Arara vermelha é nativa do Panamá, Brasil, Paraguai e Argentina

Inicio » Meio Ambiente » Arara vermelha é nativa do Panamá, Brasil, Paraguai e Argentina
06/10/2020 Por
Arara vermelha é nativa do Panamá, Brasil, Paraguai e Argentina

Apesar de  sua população ter sido reduzida, a arara vermelha pode se encontrada em diversas regiões do Brasil, onde encanta turistas e moradores. A ave, identificada como papagaio de asa verde ou como arara vermelha, possui 90 centímetros de comprimento e pode chegar a 1500 gramas. A exuberância de suas cores se tornou um símbolo da diversidade da fauna brasileira.

A ave é responsável pela disseminação de uma grande quantidade de sementes de espécies naturais da floresta Amazônica. Além disso, a arara vermelha costuma ser criada e domesticada por alguns moradores ou também ser traficada para se tornar um animal de estimação. Porém, esses animais são selvagens e devem ser protegidos na natureza.

Arara vermelha

O que é arara vermelha?

Arara vermelha é o nome dado a uma ave da ordem Psittaciforme, ou seja, um grupo de aves mais inteligentes com capacidades morfofisiológicas desenvolvidas. Esse grupo de aves tem a capacidade de imitar sons e parte do vocabulário humano. Por isso, também são conhecidos como papagaios de asa verde.

Esses animais possuem as suas peculiaridades. Algumas das principais características da arara vermelha são as cores vermelha na cabeça e parte do tronco, cauda e asas azuis com penas verdes nas asas. Essas cores bem definidas e destacadas sem formar um gradiente fazem com que a ave arara vermelha seja alvo de captura para comércio de animais.

O seu bico é côncavo acentuado, a mandíbula superior é maior que a inferior e possui grande força para bicar sementes e quebrá-las. Devido ao seu porte grande que pode ultrapassar os 90 cm de comprimento, e por ser um animal silvestre, deve se ter muito cuidado ao manejar a ave. Quando ameaçadas, podem reagir e machucar quem esteja segurando.

A arara vermelha grande pode reproduzir palavras se ensinadas a ela devido à parte inferior de sua mandíbula não ser fixa ao crânio, e a ave consegue movimentá-la.

A língua destes animais possui papilas gustativas, diferentemente de outros pássaros. As patas destas aves possuem anatomia que lhes permite levar os alimentos à boca, segurando-os com destreza.

Em contrapartida, a glândula uropigial não é tão desenvolvida quanto em outras aves como os marrecos, por exemplo. Desta forma, as suas asas não possuem tanta proteção contra água, o que chamamos de impermeabilização. São parentes próximas da arara azul.

Arara vermelha

Comportamento da arara vermelha

Essas aves fazem ninhos em grutas, árvores e penhascos, onde sentem-se distantes do alcance de predadores. Nesses ninhos, realizam a postura de seus ovos.

O habitat da arara vermelha é em locais próximos a corpos hídricos, como rios. São encontradas em florestas tropicais, cordilheiras e comumente em capões no Pantanal mato-grossense.

O nicho ecológico da arara vermelha grande é bastante comum em relação à mesma espécie. Elas andam em bandos e habitam as copas das árvores em florestas altas.

É comum ver os pares de araras voando juntos. Os casais se unem para proteger e cuidar do ninho após a postura dos ovos. Nessa época, ficam mais agressivos e procuram abrigar-se em troncos ocos de árvores e rochas.

A sua reprodução é um pouco diferente das outras aves brasileiras. O período de reprodução da arara vermelha ocorre entre os meses de setembro até o final da estação em maio.

Cada fêmea realiza a postura de 3 ou 4 ovos no ninho, os quais levam cerca de 30 dias para eclodir um novo pássaro. Durante a incubação dos ovos, a fêmea os guarda enquanto o macho a alimenta e oferece proteção para o ninho.

Os riscos para os filhotes no ninho são bem grandes devido à disputa de território com outras aves. Entretanto, a taxa de desenvolvimento dos filhotes é bem alta, havendo poucas perdas. Isso resulta em um ponto positivo para a sobrevivência da espécie e sua competição em ambientes selvagens. Muitos outros animais silvestres não têm a mesma sorte.

O filhote da arara vermelha pesa cerca de 90 gramas logo após o nascimento.

Alimentação da arara vermelha

A alimentação da arara vermelha consiste em coletar frutos, sementes de diversas espécies de árvores e também de pequenos insetos. Como dito anteriormente, durante a época de reprodução da espécie, esta tarefa de coletar alimentos fica restrita aos machos, os quais devem levar aos ninhos e fornecer às fêmeas para a sua nutrição e mantimento da caloria necessária para aquecer os ovos.

O bico possui grande capacidade de quebrar cascas de nozes, partir frutos e macerar folhas. A espécie atua como dispersora de sementes, auxiliando na reprodução de muitas espécies arbustivas em florestas altas.

Arara vermelha

Arara vermelha em extinção

Devido ao desmatamento e também ao tráfico ilegal dessas aves do Brasil, a arara vermelha entrou para a temida lista dos animais em extinção no estado do Paraná. A preocupação com a conservação das espécies de arara azul agora estendem-se para a espécie de arara vermelha em extinção em regiões do país.

O animal é muito visado para comércio devido à sua beleza e também à sua inteligência. Essas aves, além de símbolos da diversidade e da beleza da floresta amazônica, são muito dóceis quando criadas com pessoas.

Infelizmente, a preocupação pode se estender aos demais estados do país onde encontram-se exemplares da espécie. Por isso, as políticas ambientais devem estar voltadas à preservação, conservação e conscientização da importância de mantê-las em seu habitat, bem como devem ser preservados os ambientes nos quais a espécie se reproduz.

Uma das principais curiosidades sobre a arara vermelha é o valor que ela possui no mercado negro. O preço da arara vermelha pode chegar a mais de 70 mil reais.

Em criadouros especializados e com certificados, o animal é comercializado apenas para pessoas aptas a cuidar e manter o animal, custando apenas 6 mil reais.

As aves vendidas por criadouros são reproduzidas em cativeiro. Assim, o animal não é capturado diretamente da natureza. No entanto, é permitida a criação de apenas duas espécies de aves silvestres como estas em viveiros: a arara vermelha e a araraúna. Isso porque a espécie ainda não encontra-se em extinção e pode ser facilmente encontrada. Entretanto, a sua parente próxima, a arara azul, não pode ser criada em cativeiro.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo