Asno é animal de tamanho médio muito usado no transporte de cargas

Inicio » Pecuária » Asno é animal de tamanho médio muito usado no transporte de cargas
20/08/2020 Por
Asno é animal de tamanho médio muito usado no transporte de cargas

O asno é um animal dócil e manso, contudo, é importante ter empenho e paciência para criá-lo.

É preciso conquistar, treinar e trabalhar na confiança do asno para obter sucesso no manejo construindo um relacionamento colaborativo entre dono e animal.

asno

O que é asno?

Asno é como é chamada a sub espécie domesticada do asno selvagem africano. O Equus africanus asinus é um tipo perissodáctilo de mamífero pertence à família Equidae, e pode ser reconhecido por diversos nomes populares no Brasil. Por exemplo:

  • Jegue;
  • Jumento;
  • Burro;
  • Jerico;
  • Asno;
  • Asno doméstico.

O animal asno possui um tamanho mediano (a depender da raça), com orelhas e focinho compridos.

Sua origem remonta à pré-história, quando o mamífero era utilizado como animal de carga – função que atravessou séculos e se mantém atual. Os registros mais antigos a respeito da existência desses animais indicam que eles derivam das áreas desérticas do planeta.

A domesticação do ancestral selvagem do asno, entretanto, ocorreu por volta do ano de 5.000 antes de Cristo. Ou seja, a domesticação aconteceu quase em simultâneo com a domesticação dos cavalos. Assim, esses animais permanecem há mais de sete mil anos sendo utilizados pelo homem como animais de montaria e carga.

No que se refere ao Brasil, o termo “asno” (ou ainda “burro”) costuma não se referir à espécie domesticada do asno africano (Equus africanus asinus).

De fato, é mais comum que o termo seja aplicado aos machos derivados da cruza entre o cavalo e o asno selvagem da África. O equivalente designado para as fêmeas derivadas do cruzamento do cavalo com o asno selvagem é “mula”.

Asinino

Sem dúvida, o cavalo, o jegue, a mula, o burro e o asinino são animais que, devido às similaridades aparentes, causam confusão no que diz respeito às suas diferenciações e origens, seja nas habilidades, criações ou manejos individuais de cada espécie.

Entretanto, os asininos têm características marcantes que os diferenciam dos demais. De fato, há diversas raças distribuídas ao redor do mundo, cada qual com uma história e origem específica. No Brasil, por exemplo, as raças similares ao asinino são utilizadas, em particular, para deslocar cargas.

Afinal, esses animais são populares por sua resistência, o que os tornam aptos para montarias, selas e deslocamentos de cargas nos campos. Em suma, esses animais recebem o nome de “asno” no Brasil e podem ser encontrados, em especial, nas regiões de temperaturas altas.

asno

Raças brasileiras de asininos

As raças de asininos que podem ser achadas no Brasil são:

Jumento nordestino

O chamado “jumento nordestino” é principalmente encontrado na Bahia e no Maranhão. Essa raça de jumento é usada para a montaria e para o transporte de cargas, sendo uma das primeiras espécies a serem domesticadas na história.

O comportamento desse jumento é selvagem e a base da sua criação é o deserto. Entre suas características mais reconhecíveis, estão as longas e típicas orelhas.

Jumento pêga

Essa raça de jumento é resultado de cruzamento, surgindo da necessidade de criar uma espécie que se adaptasse facilmente ao lugar.

Assim como o nordestino, esse jumento é usado para montaria e deslocamento, além de ser o reprodutor dos híbridos muares de tons claros.

Jumento paulista

O paulista, por sua vez, como o próprio nome sugere, é um animal encontrado sobretudo no sudeste brasileiro. Suas condições, tanto quanto suas características, são similares às do pêga.

Características dos asininos

Os asininos são mais baixos do que os cavalos, tendo também pescoços menores e mais engrossados. Além disso, seus focinhos e orelhas são mais longos.

A pelagem dos asnos pode ser preta, branca ou acinzentada, sendo mais volumosa do que das mulas e cavalos. Os muares e asininos – mulas e buros – são mansos, resistentes e fortes.

Por essa razão, a criação desses animais pode ser direcionada para campeonatos e competições, havendo treinos para o ganho de habilidades. Em geral, os asnos são animais de elevada inteligência que vivem por aproximadamente vinte e cinco anos.

asno

Criação de asno

Como observado acima, o asno é utilizado há milênios como um animal próprio para a carga, seja cangalha, carroça ou outros. Além disso, ele também é muito útil para a tração, como plantadeiras, carpideiras, arados e mais.

Em suma, os asnos são uma peça crucial para o trabalho pesado do campo, servindo como uma importante engrenagem.

Nas selas, os jumentos também são utilizados para enduros, concursos de marcha, cavalgadas, passeios, manejos e lidas de gados. Sem dúvidas, essa espécie de asinino possui uma inteligência extrema, sendo equivocada a noção de que os asnos são animais teimosos.

Na verdade, a aparente teimosia e desobediência identificadas nos asnos não passa de um senso apurado de autopreservação, ou seja, um instinto de sobrevivência. Esse tino apurado é a diretriz que leva os jumentos a se negarem, algumas vezes, a obedecer quem os monta. Afinal, eles literalmente travam em um lugar quando sentem o menor dos sinais de alerta.

Portanto, para lidar com os jumentos, é necessário ser mais inteligente do que eles. Assim, pode nascer uma parceria rentável para os produtores.

A comercialização do jumento pêga, por exemplo, está demonstrando crescimento, sobretudo porque há uma necessidade de animais de boa procedência e qualidade no mercado. Isto é, animais que possuam excelentes valores zootécnicos.

Em suma, o mercado comprador de asnos está se tornando mais rígido, mas quando criados respeitando um padrão determinado para assegurar a qualidade, os jumentos do tipo pêga podem ser vendidos de norte a sul do Brasil.

Asno de Buridan

Asno de Buridan é o nome que recebe o paradoxo filosófico a respeitos dos conceitos do livre arbítrio. Isto é, o paradoxo se refere a uma circunstância hipotética na qual um asno é posicionado em uma distância igual de um reservatório de água e de um fardo com palha.

O paradoxo sugere que o asno irá sempre em direção àquele que estiver a uma distância menor. Assim, diante de uma distância igual, o animal morrerá de fome e de sede, uma vez que é incapaz de decidir racionalmente entre a primeira e a segunda hipótese.

O paradoxo recebeu o nome de asno de Buridan em homenagem ao francês Jean Buridan, filósofo que satirizava o determinismo da moral.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo