Babesiose bovina é responsável por sérios prejuízos na pecuária

Inicio » Veterinária » Babesiose bovina é responsável por sérios prejuízos na pecuária
28/02/2019 Por
Babesiose bovina é responsável por sérios prejuízos na pecuária

Também conhecida como doença do carrapato, a babesiose bovina provoca prejuízos anuais de até dois bilhões de dólares à pecuária

Já ouviu falar em babesiose bovina? É uma doença transmitida pelo carrapato: um dos principais inimigos do produtor rural.

Reconhecido como um desafio para a produção pecuária, estima-se que o parasita afeta 80% do rebanho nacional. Isto é, considerando as condições climáticas do Brasil, onde predomina o clima tropical, encontra o cenário perfeito para se multiplicar. É aí que mora o perigo, considerando que pode transmitir doenças como a babesiose bovina.

A babesiose é uma doença infecciosa que costuma ser mais grave em bovinos

O que é babesiose?

A babesiose bovina ou piroplasmose é uma doença causada pelo protozoário Babesia bigemina, Babesia bovis e Babesia divergens. Transmitida pelo carrapato Boophilus microplus no Brasil, a enfermidade invade os glóbulos vermelhos e se reproduz lá dentro. Dessa forma, destrói as hemácias e quando é acompanhada pela bactéria erliquiose impede a produção de novas delas.

Quando se espalha pelo organismo do animal, de um a dois dias, se torna praticamente invisível. Durante 10 a 14 dias, desaparece do sangue bovino. Porém, quando retornam dão início à segunda fase da doença que é intensa e provoca sintomas graves.

Além do gado, alguns protozoários do gênero Babesia também podem infectar canídeos, cervídeos, equinos, felinos, roedores e até mesmo humanos. Mas a infecção em cachorros e bois geralmente é a forma mais grave da doença.

Sintomas da babesiose em bovinos

Os principais sintomas clínicos da segunda fase da doença nos bovinos são:

  • abdômen inchado
  • anemia
  • cansaço
  • depressão
  • falta de apetite
  • febre moderada a alta
  • fraqueza
  • icterícia – que deixa olhos e mucosas amarelas
  • insuficiência renal – reduzindo a quantidade de urina e eliminação de toxinas pelos rins
  • queda na produção de leite
  • urina escura

Contudo, como a maioria dos sintomas são parecidos com os de outras doenças não passam de suposições. Entretanto, a recomendação ao detectar esses sinais é buscar ajuda de um veterinário para iniciar o diagnóstico laboratorial específico.

Diagnóstico da babesiose

O diagnóstico da babesiose em bovinos pode ser feita através do exame de sangue ou por meio de um exame sorológico. Isso porque nem sempre é possível visualizar o protozoário dentro dos glóbulos vermelhos no microscópio.

Mas, em muitos casos, as Babesias coexistem nos bovinos sem causar a doença.

Tratamento da babesiose

Para combater a doença, o veterinário deve recomendar medicações que ajudem a matar os protozoários. E também outras formas de tratamento que possam corrigir os problemas de saúde animal ocasionados pela babesiose.

Os remédios mais indicados para o tratamento da infecção são o cetuarato de diminazeno, dipropionato de imidocarb, diisetionato de amicarbalida e fenamidina.

Em casos mais graves, pode ser necessária a transfusão de sangue ou até mesmo hemodiálise caso a insuficiência renal seja detectada.

Carrapato é o principal transmissor da babesiose bovina

Prevenção da babesiose

Como a enfermidade é transmitida pelos carrapatos, o uso de carrapaticidas é uma das formas mais eficientes de prevenção.

No entanto, é importante saber que quanto mais rápido for diagnosticada a babesiose bovina, maiores as chances de sobrevivência do animal. E, assim, menores os seus prejuízos como mortalidade do gado, perda de potencial produtivo e altos custos com manejo de animais, prevenção e vacinas.

Agro20 | Portal Vida No Campo