Cafeicultura e a sua importância no desenvolvimento econômico do Brasil

Inicio » Agricultura » Cafeicultura e a sua importância no desenvolvimento econômico do Brasil
12/04/2019 Por
Cafeicultura e a sua importância no desenvolvimento econômico do Brasil

Cafeicultura é destaque na economia brasileira

A cafeicultura faz parte dos fatores que possibilitaram o grande desenvolvimento econômico do Brasil. Considerado como a primeira atividade mercantil, o cultivo de café passou pela transformação social do país e pelo desenvolvimento das grandes cidades.

O Brasil está ranqueado como o maior exportador e produtor de café do mundo. A cafeicultura nacional se estabilizou ao incrementar métodos e técnicas que auxiliassem no plantio e na colheita, contando com fatores climáticos e ambientais de cada região.

Cafeicultura

O que é cafeicultura?

A cafeicultura está englobada nos segmentos da agricultura e da agronomia, consistindo no plantio e na colheita de cafeeiros, estabelecida para o colhimento dos frutos e as vantagens das sementes, para que seja feita a produção dos grãos torrados ou do café em pó. Há alguns tipos de cafeicultura, os mais conhecidos são:

  • Cafeicultura familiar: consiste na cafeicultura com relações familiares de trabalho, utilizando principalmente a força básica da mão de obra. Além disso, há outros elementos de produção que agem como trabalho estipulado (durável ou casual) mas não podem exceder o empenho do trabalho familiar.
  • Cafeicultura empresarial: consiste na cafeicultura que faz o uso de recursos e métodos modernos de administração e monitoramento. Além disso, também foca na execução no gerenciamento das lavouras e no levantamento de gastos.
  • Cafeicultura de precisão: foca no gerenciamentos da lavoura para aumentar a produtividade a partir da eficiência da produção. Além disso, o cafeicultor faz controle do uso de insumos para que a qualidade do solo não seja comprometida devido ao excesso de defensivos e fertilizantes utilizados.

O cafeeiro é o nome dado ao arbusto produtor das sementes de café e possui três fases, são elas:

  • Fase de formação
    Engloba o período entre a plantação e a primeira produção para o desenvolvimento do solo do plantio; assim, auxiliando os cafeeiros para as próximas produções.
  • Fase de produção
    É o período entre a primeira produção e a máxima produção, dependendo das condições ambientais e dos tratos da lavoura. Além disso, faz uso de técnicas e métodos sustentáveis.
  • Fase de plantio
    É o café no momento ou após o plantio, dependendo de condições climáticas. Isso porque refere-se a fase de naturalização das plantas.

História do café no Brasil

A chegada do café no Brasil aconteceu em 1727, primeiramente no Estado do Pará, trazido por Francisco de Mello Palheta direto da Guiana Francesa. A partir disso, a plantação foi se espalhando devido aos bons fatores climáticos, com a produção de café direcionada para o mercado doméstico do país. Os primeiros Estados a obterem o café foi a Bahia, Rio de Janeiro, Maranhão, Minas Gerais, Paraná e São Paulo.

Cafeicultura

O trajeto percorrido pela produção de café no Brasil o transformou em um dos principais produtos-base da economia do país. Após a guerra de independência do Haiti (antigo principal exportador mundial), o Brasil deu impulso em sua produção; e passou a exportar o produto com maior frequência. O país passou a ser o maior produtor e exportador de café mundialmente, segundo dados do Conselho de Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

A cafeicultura foi um dos agentes responsáveis pelo desenvolvimento do Brasil e por sua presença nas relações de comércio internacional. A colheita de café resultou no surgimento de centros urbanos nos principais Estados. Além disso, também influenciou a construção de ferrovias para garantir o fluxo da produção e diminuir o uso de animais de carga; além de ser responsável pelo crescimento da classe média e de movimentos culturais no país.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo