Carpa é espécie de peixe de fácil criação e alto rendimento

Inicio » Pecuária » Carpa é espécie de peixe de fácil criação e alto rendimento
06/05/2019 Por
Carpa é espécie de peixe de fácil criação e alto rendimento

A carpa é peixe de referência em qualidade e beleza para piscicultura ornamental

A carpa é um tipo de peixe de origem asiática. Para os povos chineses e japoneses esta espécie é um símbolo de paz entre os indivíduos. Existem vários lugares, principalmente no Japão, em que há viveiros ao livre de carpas pelas cidades. A sua maior característica está diretamente ligada a beleza e a sua variedade de cores. O aspecto que mais incentiva a criação, tanto na Ásia como no mundo, é a criação para inclusão em espaços decorativos.

A carpa é de fácil manejo, pois o animal não é de caráter predatório com a sua prole. Entretanto, existem algumas técnicas de criação em aquário que podem facilitar e melhorar o desenvolvimento deles. Esta espécie é nativa de água doce e fria, por isso, para a criação no Brasil, é necessário um tanque com equipamento de controle de temperatura ou lagos de águas frias. Da mesma forma, manter as taxas de pH em ordem é uma maneira de facilitar o desenvolvimento do peixe.

A carpa é um peixe lucrativo na piscicultura

Características da carpa?

A carpa é um tipo de peixe da família Cyprinidae, caracterizada por conter uma boca pequena e rodeada de barbilhões – filamento gustativo encontrado em cada lado – que podem atingir até 1 metro de comprimento. Este peixe é nativo de água doce e sua origem é asiática, mais especificamente, da China e do Japão. Nos últimos anos a espécie tem sido introduzida na América do Sul e sua criação teve um grande crescimento no ramo da piscicultura.

Para os japoneses, o animal é um símbolo espiritual e emana paz para os criadores. É possível encontrar lagos em locais públicos repletos da espécie pelas cidades japonesas, assim como em criações dentro de casas. Já no Brasil, o animal é referência de qualidade de carne de pescado e um ótimo negócio no ramo da criação em viveiros.

Em razão do caráter ornamental que esta espécie de peixe tem, é muito comum que seja procurado para criação em aquários do tipo decorativo; como, por exemplo, lagos e espelhos d’água construídos em locais públicos ou privados. Entretanto, nem todos os tipos de carpas são comuns no meio da ornamentação.

Por outro lado, as espécies de carpas que não são coloridas e têm seu uso voltado para o campo decorativo, são destinadas para o ramo da culinária. Um dos tipos de pescados mais consumidos na época da revolução industrial foi a carpa.

Além disso, o peixe também esteve presente na Antiguidade, sendo servido entre os romanos. A qualidade da carne do animal está diretamente relacionado com o tipo de água em foi desenvolvido. As carpas mais saborosas são as águas naturalmente límpidas como, nascentes, riachos e até os açudes, por exemplo.

Os tipos de carpas

As carpas são classificadas de acordo com as suas características físicas, existem as carpas do tipo ornamentais e as para consumo humano. Os quatro principais tipos são: a carpa comum, a carpa preteada, a carpa capim e a carpa cabeçuda. Entre estas espécies, algumas podem atingir até 27kg, entretanto, a fase em que são mais consumidas é a partir de 3kg. Na preparação deste pescado, é preciso cuidado, o animal contém muitos espinhos.

A carpa comum é utilizada mais para tanques, com o objetivo da engorda, e na pesca. No comércio, seu preço por milheiro está entre 200 até 250 reais. Já a carpa ornamental, que pode ser a prateada ou cabeçuda, do mesmo tamanho que a comum, e têm seu preço muito mais alto, pois pode chegar a custar até 4 reais por peixe.

Este animal se destaca dos outros peixes em razão da quantidade de tempo que é capaz de viver. É muito comum que em viveiros em condições de ambiente e alimentação adequadas, o peixe possa atingir os 60 anos de idade. Os sistemas mais comuns utilizados nos aquários de criação são os extensivos e semi-intensivos. Além disso, as carpas mais procuradas para a criação são as coloridas justamente por conta da beleza do animal. O fator que incentiva a criação são as cores que os animais podem ter, nenhum é igual ao outro.

A carpa é um peixe nativo de água doce

Como funciona a criação de carpas

A criação deste peixe no Brasil está mais voltada para as carpas ornamentais. Apenas no país, a receita anual com a criação e comercialização deste tipo de peixe movimenta mais de 700 milhões de reais. Sendo, portanto, os tipos peixes mais procurados para a criação em aquários decorativos.

Por outro lado, em comparação com o Japão, o Brasil está apenas no começo da produção. A maior parte dos alevinos que são cultivados em viveiros brasileiros são frutos de exportações japonesas por conta da qualidade dos rios que são criadas.

A maior parte dos criadores começam sua criação com cerca de 500 alevinos por gaiola. Elas são dispostas em lagos de água doce e límpida para os peixes consigam se desenvolver da melhor forma.  Além disso, uma das maiores vantagens da criação é o caráter resistente dos animais, por isso a criação é de fácil manejo. A espécie se adapta melhor em águas rasas e com uma vegetação local.

Em um sistema de produção do tipo de extensivo, a produção é feita de maneira reduzida e a maior vantagem é a economia em ração pela menor quantidade de animais por viveiro, e portanto, são capazes de se alimentar por meio da vegetação. Por outro lado, em um sistema de produção semi-intensivo, é comum o uso de ração para a alimentação dos alevinos, pois a concentração por tanque é maior. Entre os dois tipos de criação, o semi-intensivo é o mais lucrativo.

Como melhorar a criação de carpas

Estes animais são de fácil manejo para a criação, entretanto, existem alguns cuidados que podem tornar a criação mais eficiente e com melhor qualidade. As carpas são nativas de águas geladas, portanto, caso a criação seja em tanques ao invés de lagos, certificar sempre da temperatura é uma maneira eficiente de melhorar a qualidade de vida dos peixes.

Regular a temperatura entre 18ºC até 17ºC pode ser o ideal; do mesmo modo que estar atento ao pH da água e a oxigenação também são fatores cruciais para uma criação de qualidade.

Como forma de proporcionar um melhor desenvolvimento, o espaço do aquário ou do lago em o tanque está, deve ser extenso, mas sem muita profundidade. Além disso, a limpeza – na criação em aquário – pode ser feita regularmente afim de realizar as trocas dos filtros e dos equipamentos.

Entretanto, o criador pode evitar o uso de agentes químicos para que a limpeza seja feita, pois os animais são de caráter sensível e podem ser intoxicados com facilidade. O ideal a se fazer neste caso é trocar a água, mas não por completo.

O cuidado para que não falte oxigênio para os peixes é muito importante, seja por meio de bombas ou cascatas. Além da limpeza do aquário, o uso de cloro também pode ser evitado para tratamento da água. Tendo em vista que os animais são de caráter sensível, o cloro pode atingi-los com facilidade. Portanto, o uso de desclorificante é o ideal. Outro ponto importante é o pH, o nível ideal para os animais está entre 7 até 7,4.

A reprodução das carpas

O período de reprodução da carpa acontece apenas uma vez ao ano e em uma determinada estação. Entre o fim do inverno e o início da primavera, a desova acontece com milhares de ovos por ciclo. Entretanto, atualmente há métodos artificiais que facilitam e aceleram o ciclo reprodutivo destes animais, por exemplo, inseminação artificial. A qualidade da água influência diretamente em um bom ciclo reprodutivo. Os animais se adaptam melhor em um pH balanceado e uma temperatura constante.

Um fato curioso sobre as carpas coloridas é que nenhuma das espécies nasce igual a outra. São todos diferenciados tanto pelas tonalidades da pele quanto pelas machas no corpo. Estes fatores atribuem para a longevidade da espécie e favorece o título de ‘rei da água doce’.

A carpa mais procurada no agronegócio é a colorida

O consumo de carpas

A criação de carpas para consumo acontece com apenas uma de suas espécies, a carpa comum de coloração cinza. Isso porque a espécie é, de maneira geral, muito mais conhecida pelos tipos coloridos e ornamentais; que são destinados para a criação em aquários com fins decorativos.

Deste modo, as do tipo comum são as únicas voltadas para consumo. Dentre de um sistema de criação, o cardume já pode ser comercializado após o sexto mês, pois os animais ganham peso rapidamente. A carne é macia e suculenta, entretanto, é importante se atentar aos espinhos do animal.

Justamente pelo fato da carpa conter muitos espinhos, o hábito de consumir sua carne tem caído muito nos últimos anos. Além disso, dependendo do tipo de criação que o animal recebe, por exemplo, o ambiente ou o tipo de alimentação, sua carne pode ter um sabor amargo e desagradável. Este sabor é por conta de um óleo conhecido por “geosmina” que é produzido por algas decompostas de bactérias. Quando o animal habita em ambiente com a presença deste tipo de alga, interfere diretamente na qualidade da carne.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo