Carroça ainda é meio de transporte comum no campo

Inicio » Agronegócio » Carroça ainda é meio de transporte comum no campo
25/03/2019 Por
Carroça ainda é meio de transporte comum no campo

A carroça é um dos primeiros locomotores criados no mundo

A carroça é um dos meios de transporte mais antigos do mundo, visto que sua utilização é importante para movimentar alimentos e outros tipos de produções, principalmente as do campo.

Por ser um transporte bastante antigo, a carroça tem sua sua tração feita de forma totalmente manual. Dessa forma, ela é puxada por animais – geralmente muares – todo o caminho que percorre.

Carroça sendo utilizada para por alimentos

O que é carroça?

Carroça é um meio de transporte muito comum em regiões mais afastadas dos grandes centros. Seu uso é importante para movimentar alimentos e outros tipos de utensílios que serão utilizados dentro de uma fazenda, por exemplo. Hoje, mesmo com grandes tecnologias, as características da carroça ainda são indispensáveis; visto que algumas pessoas usam desse meio para os trabalhos que ajudam a sustentar suas famílias.

Todavia, o seu uso é recomendado apenas para pequenas locomoções, já que o seu pequeno tamanho não permite carregar muita carga. No caso da necessidade de um transporte de volume maior, o recomendável é contratar caminhões especializados nesse tipo de locomoção.

Na origem da carroça, a sua tração era feita por animais, principalmente o cavalo – uma vez que o animal é considerado resistente a esse tipo de situação.

O uso da carroça nas grandes capitais ainda é considerado retrogrado, pois ainda é muito comum encontrar carroceiros usando do locomotor com animais o puxando. Entretanto, existem aqueles que fazem o próprio trabalho sozinho.

Nos centros, geralmente o trabalho é feito com o intuito da reciclagem. Pessoas que não têm um sustento fixo, acabam usando a carroça para coletar materiais e, desse modo, conseguir tirar algum sustento.

Diferença entre charrete e carroça

Enquanto o intuito da carroça é movimentar materiais e levá-los de uma região para a outra, as charretes recebem a função de movimentar as pessoas. Assim, tornando-o um locomotor.

Feita de madeira com estrutura aberta, a charrete pode movimentar até cerca de 4 pessoas. O cavalo é o animal responsável por movimentá-la.

Historicamente, a charrete foi o primeiro tipo de locomotor terrestre criado pelo homem. A necessidade de negociar com mercadantes de outras cidades fez com que fossem criadas. Dessa maneira, passando por evoluções até o momento que acabou se tornando inválida, por conta do surgimento dos automóveis.

No faroeste, caçadores de recompensa, por exemplo, viajavam incontáveis quilômetros em suas charretes, tudo isso com o intuito de encontrar o que se procurava.

A carruagem também era comum, principalmente entre as madames que costumavam andar de uma região para a outra sem a exposição direto ao sol. No entanto, a sua principal característica era a presença de coberturas e janelas, assim evitado o contato de pessoas de fora com essas mulheres.

Carroça de boi

Assim como a carroça movida por meio de equinos, a utilização dos bois é extremamente comum no setor rural. Isso porque o animal destaca bom porte físico para movimentar locomotivos pesados.

Muitos pecuaristas dão preferência ao boi por conta de ele já ser presente na fazenda. Desse modo, evitando a necessidade de comprar cavalos que exerçam única função na fazenda.

Dessa forma, o uso de carroças de boi pode se tornar interessante – principalmente a novos investidores -, uma vez que poderão cortar custos excessivos, usando animais que já fazem parte de seus rebanhos. Festas em pequenas regiões – normalmente juninas – costumam contar com carroças de boi – dando um ar mais rústico e campestre ao local, além de serem um ótimo atrativo na comemoração.

Origem da carroça

Em sua história, a carroça de boi surgiu durante a idade da pedra e evoluiu ao ponto de sua característica mais tradicional. A sua chegada ao Brasil ocorreu durante a colonização dos portugueses. Assim, toda ida a novas regiões e locomoção dos produtos aconteciam por conta da carroça.

Durante o período da segunda guerra, por conta da falta de combustível, a carroça de boi tomou o lugar dos automotivos. Com isso, tornou-se essencial naquele período.

Um ponto negativo da carroça é a sua baixa velocidade. O fato do animal estar carregando peso dificulta sua locomoção,o que torna a atividade relativamente lenta. O mesmo acontece com as charretes.

Vendo essas dificuldades na locomoção, alguns agropecuaristas preferem fazer o uso de automóveis que têm uma espécie de carroça traseira, possibilitando as movimentações em um curto período de tempo.

A evolução para o uso de automóveis permitiu que a logística da fazenda fosse melhorada e, consequentemente, afetando a rentabilidade de maneira positiva. Isso porque todo o trabalho pode ser feito com maior velocidade e eficiência tendo a ajuda de automóveis de maior potência e velocidade.

Economizar tempo em determinadas tarefas permite que o pecuarista possa dedicar mais tempo para exercer outras funções. Com isso, cresce a sua propriedade de modo conjunto.

Carroça sendo usada para locomoção

Características da carroça

A carroça ainda é muito utilizada no campo. Isso se dá ao fato dela possuir características que apresentam vantagens ao agropecuarista. Entre as principais delas, podemos citar:

  • Corte de gastos: O dono de uma carroça não precisará se preocupar com gastos excessivos em relação a carroça. Apenas situações isoladas requerem manutenção, como a troca de rodas, por exemplo.
  • Leveza: Animais que carregam a carga não sofrem com o peso da carroça; pois é feita com materiais leves para evitar prejudicar a integridade física deles.
  • Pode ser feito em casa: Pequenos investidores que não têm condições de comprar uma carroça, podem produzi-las por conta própria.

Entretanto, existem grupos que defendem a vida dos animais e o seu uso para esse tipo de função. Eles alegam que isso é abuso com o animal e que muitas vezes eles são colocados em situações extremas de trabalho, como atuar em dias de extremo sol.

No Rio de Janeiro, por exemplo, foi sancionada a lei que proíbe o uso de cavalos para puxar carroça. Fernando Pezão, ex governador do estado alegou que essa prática é considerada prejudicial a vida do animal. Entretanto, a prática abre exceção para regiões rurais.

Regiões rurais necessitam desse tipo de trabalho, pois, muitas vezes, se sustentam dessas atividades. Portanto, abolir uma prática tradicional como essa prejudicaria diferentes setores da agropecuária. Com isso, fica claro que a carroça têm função importante desde o seu surgimento – visto que, mesmo com o alto crescimento tecnológico, ela ainda se faz indispensável no campo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo