Chia é semente que traz diferentes benefícios para o corpo humano

Inicio » Agricultura » Chia é semente que traz diferentes benefícios para o corpo humano
09/05/2019 Por
Chia é semente que traz diferentes benefícios para o corpo humano

A chia é uma semente muito rica em proteínas e minerais essenciais para o organismo humano

A chia é uma semente originária do México e tem uma alta produção na América Central. A semente é explorada por muitos séculos e culturas pelo mundo, por conta da versatilidade do uso. O seu consumo agrega muitos benefícios para a saúde do ser humano e em diferentes aspectos.

A chia é rica em proteínas e fibras e, por isso, é utilizada como complemento alimentar para os indivíduos que buscam mais saúde. Outro ponto importante de benefícios da semente é o auxílio no processo de emagrecimento que ela oferece. Isso porque as suas propriedades ajudam a proporcionar saciedade por um maior período de tempo.

A produção da semente no Brasil não é muito comum como em outros locais do mundo. Entretanto, no Paraná, a concentração de plantações experimentais em campi de faculdades ganham cada vez mais força e incentivam agricultores. Além disso, o investimento é baixo e o lucro é alto por conta da procura de mercado. O manejo no campo não exige muitos cuidados e também não atrai pragas com facilidade.

A produção da chia no Brasil é pequena

O que é chia?

A chia é uma planta de origem mexicana e suas sementes já tinham uso frequente pelos povos da América Central por séculos. Estudos indicam que ela é utilizada para consumo humano há mais de quatro mil anos. A parte mais conhecida da planta são as suas sementes, que ganham notoriedade em razão de suas propriedades. Por conta dos benefícios que carrega, ela têm sido cada vez mais recomendada por especialistas de nutrição.

É uma planta herbácea, ou seja, contém um caule macio e maleável. A sua família etimológica é a das lamiáceas, em que também estão o linho e a sálvia.

Quando comparada com outras sementes, a chia é facilmente colocada em evidência por conta das suas características. Entre 20% até 23% do peso total da semente é apenas composto por proteínas e toda a quantidade de gorduras totais é de caráter benéfico, e não gera inchaço no corpo.

Produção de chia no Brasil

A produção de chia no Brasil não é tão comum como na América do Norte e em outros continentes. A produção nacional está concentrada no Sul do país por conta das condições que a semente exige no plantio; já que ela é considerada uma planta que não aprecia o sol e nem chuvas. O tempo de desenvolvimento do plantio é curto, e leva uma média de até 140 dias.

Os investimentos de um produtor que deseja iniciar a produção em larga escala não são tão altos como os de outras sementes. Além disso, a sua manutenção é simples, e se destaca uma grande facilidade nos cuidados com a produção; assim como no processo de adubação, fertilização e no controle de pragas. A semente é sensível à geadas e, por isso, o clima brasileiro pode ser ideal em seu cultivo.

Quais são os benefícios da chia?

A chia é considerada um superalimento, pois comporta diversos benefícios essenciais para o organismo. Ela é fonte de ácidos graxos poli-insaturados, também conhecidos como ômega 3 e 6. Ela é também rica em carboidratos considerados gorduras saudáveis por conta do baixo teor glicêmico. Além disso, 100% dos carboidratos da chia são fibras, proporcionando saciedade e auxiliando na regulação da flora intestinal.

Um dos benefícios mais interessantes desta semente está relacionado com os seus compostos fenólicos, sendo, portanto, fonte natural de antioxidantes. A função desta propriedade é evitar o envelhecimento precoce e controlar os níveis de radicas livres. Outro ponto importante está ligado ao alto índice proteico da semente, composto por leucina, lisina, treonina, valina, entre outras substância essenciais e que não são produzidas naturalmente.

Por conta da alta taxa de fibras e a presença de gorduras saudáveis, a semente tem sido recomendada por nutricionistas como forma de controlar a diabetes. Os índices de cálcio e magnésio que a semente contém são referência para auxiliar na resistência e fortalecimento dos ossos.

Como forma de incrementar o alimento na dieta, é indicado escolher o café da manhã e pequenas porções entre refeições é para consumir este grão. Pelo fato de a chia ter um sabor neutro, ela pode ser facilmente adicionada ao iogurte natural e com algumas frutas, como morango, banana e mamão.

Entretanto, é preciso ter cuidado com a forma de consumir a chia por si só. Em razão do gel que esta semente forma assim que entra em contato com líquidos, não é recomendado consumir as sementes e ingerir uma quantidade muito grande de água logo em seguida.

A chia emagrece

A chia ganhou muita força no mercado consumidor pela sua fama em auxiliar no processo de emagrecimento. As propriedades nutritivas são muito procuradas e recomendadas por nutricionistas. Entretanto, o composto que mais chama atenção é a fibra, pois proporciona saciedade.

Esta substância é capaz de absorver uma grande quantidade de água e se transformar em uma espécie de gel dentro do organismo. Ela pode aumentar de tamanho em até seis vezes e, uma vez em contato com o suco gástrico, aumenta a dilatação do estômago.

A chia é um alimento muito importante para a saúde humana

A implementação da semente em dietas e suplementos alimentares é cada vez maior nos últimos anos. Um dos fatores que mais ajudou no crescimento industrial da semente está ligado com a onda de alimentação saudável que está sendo perpetuada no Brasil nos últimos anos. A busca e o consumo de produtos naturais, também conhecidos como ‘in natura’, estão presentes nas prateleiras de supermercados com uma maior frequência.

Além disso, outro publico que busca muitos os benefícios desta semente são os adeptos do vegetarianismo e veganismo. O ômega 3 presente na chia é ideal para suprir as carências de proteínas e enriquecer o sistema gastrointestinal do indivíduo.

Diferença entre chia e linhaça

O tamanho pequeno e o fato de serem cada vez mais incorporadas na dieta dos brasileiros que se preocupam com a saúde não são as únicas características em comum das sementes. As duas são grandes fontes de fibras e gorduras saudáveis, contudo, é necessário que o seu consumo seja ponderado.

A linhaça é destaque no campo dos alimentos por conta das suas propriedades de ômega 3, e deste modo, é associada como auxiliar na prevenção de doenças cardiovasculares.

Como forma de tirar o melhor proveito dos dois alimentos, o mais recomendado é consumir a farinha de ambas. Alguns nutricionistas alertam sobre a casca das sementes, que pode não ser digerida por completo. O destaque de ambos os alimentos está associado com as propriedades de saciedade e, consequentemente, de ajuda no processo de emagrecimento; e as suas fibras que ajudam em um melhor funcionamento da flora intestinal.

Como funciona o cultivo de chia

O cultivo da chia no Brasil está mais concentrado no Sul do país como o Paraná, por exemplo. Entretanto, boa parte das plantações são de cunho experimental, por conta das necessidades climáticas da planta. Em razão de esta planta ser originária do México (local de clima seco boa parte do ano), ela necessita de menos de 12 horas de sol por dia.

Em contrapartida, o Brasil é um país com abundância em sol e umidade, por isso, no verão brasileiro a planta não floresce. No entanto, mesmo quando plantada no inverno, são necessários alguns cuidados no cultivo da semente.

A planta é sensível à geadas, então se a plantação se iniciar em março, a probabilidade de ter a ocorrência de geadas entre junho e julho é muito grande. O ideal de plantação no Brasil, portanto, é do final de janeiro até o início de fevereiro; para que a colheita seja feita antes das geadas.

O período médio de crescimento e desenvolvimento da planta pode levar 120 dias; isso se houver condições saudáveis de solo e clima ameno. Outro ponto que pode prejudicar a planta é a possibilidade de chuva perto dos momento de colheita. Por conta das propriedades de absorção da chia e o seu crescimento em contato com a água, a colheita pode ser perdida quase por completo se ocorrer em época de fortes chuvas.

A chia é um superalimento

Investimentos para o cultivo da chia

Os investimentos para começar uma plantação desta semente não são altos e a sua manutenção é simples. Um fator que ajuda bastante nessa economia de investimentos é o fato de ser uma planta com grande resistência à pragas e outras doenças agrícolas.

Este fenômeno da baixa incidência de pragas na plantação pode ser explicado por conta da cultura ser nova no Brasil. Com isso, a necessidade do uso de implementos no solo para gerar mais produtividade é muito pequena, pois a planta não é exigente em questões de adubagem. Além disso, os lucros na venda são de custo benefício por conta da alta procura nos últimos anos.

No que se refere ao solo de plantio, a chia não é uma planta exigente, aprecia terra drenada e com um teor de pH entre 6,5 e 7,5. Ela pode ser cultivada em um canteiro junto com outros tipos de plantações, como a soja, por exemplo. No momento da colheita, por ser muito pequena, é preciso cuidado para que a semente não seja impactada por maquinas. Alguns agricultores adaptam a forma de colher a soja para a chia, fazendo pequenas mudanças para não prejudicar os grãos.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo