Chumbo: suas diferentes utilidades e funções químicas

Inicio » Meio Ambiente » Chumbo: suas diferentes utilidades e funções químicas
29/03/2019 Por
Chumbo: suas diferentes utilidades e funções químicas

O chumbo é encontrado em diversos estados físicos e possui grande utilidade

A variedade de locais em que o chumbo pode ser encontrado dentro do ramo industrial varia de acordo com o seu estado físico. Popular, ele serve para as variadas funções; que vão desde auxiliar na composição de combustíveis fósseis até na aplicação em equipamentos de raio-X.

O chumbo é conhecido como uns do metais mais utilizados na indústria. Desde a antiguidade, ele vem sendo utilizado na composição de variados produtos e serve para variados setores comerciais.

elemento chumbo no estado sólido

O que é chumbo?

O chumbo é um elemento químico que aparece na tabela periódica dentro do grupo 14, assim como o carbono. Sua utilização é tão alta nos dias atuais como foi na antiguidade. Este material é extraído do meio ambiente com o auxílio de demais minerais, como por exemplo: cerusita, galena e anglesita. É um elemento de caráter renovável e próprio da natureza, entretanto, é a ação humana que faz com o que ele seja prejudicial ao meio.

No passado, diversas civilizações se apresentaram fascinadas pelo metal. Até mesmo antes de Cristo o metal já era utilizado pelos romanos para confecção de utensílios domésticos, como por exemplo taças e talheres. A característica maleável do metal facilitou que ele fosse moldado de diversas formas.

No campo da culinária, o metal também era utilizado para correção da acidez do vinho. Contudo, hoje em dia essa prática não está mais presente devido a descoberta da sua toxidade e os males que pode causar ao organismo humano.

Entre as principais características do chumbo, podem ser citadas:

  • Macio e de caráter maleável;
  • Não é um bom condutor elétrico;
  • Sua coloração possui nuances puxadas para o azul;
  • Quando está em temperatura ambiente, seu estado físico é sólido
  • O ponto de fusão é de 600 K e o de ebulição 2022 K;
  • A resistência ao fenômeno da corrosão é alta.

Para que serve o chumbo?

O chumbo está presente em diversos setores sociais devido ao seu caráter adaptável. Entre as suas principais aplicações, o elemento é utilizado como aditivo em combustíveis fósseis. Seu uso aumenta significativamente a aparição de gases poluentes, por este motivo, o Brasil foi o primeiro país a deixar de utilizar o elemento para este ramo em 1992.

Ainda sobre o setor automobilístico, o elemento é um dos componentes mais importantes de baterias de carros. Em outro setor, este material é voltado para a fabricação de soldas e até munições para armas de fogo.

Em seu estado sólido, o chumbo está presente em construções civis. O uso do material para a fabricação de placas de maior resistência para a construção de vigas de metal é um dos mais frequentes na indústria dos deias de hoje. Outro ramo em que o chumbo se encontra neste estado é no que se relaciona a fabricação de joias e peças de cerâmica.

O chumbo também é encontrado na área da medicina como, por exemplo, na fabricação de antibacterianos. Ainda sobre o uso do material em seu estado líquido, pode ser vista a sua aplicação na composição de ácidos mo geral; em especial, do ácido sulfúrico. Este fenômeno acontece pois o elemento é de grande resistência à corrosão dos ácidos.

Contudo, apesar de sua fabricação ser responsável por diversos campos do ramo industrial, alguns tipos da classe estão deixando de ser tão comuns no mercado. O chumbo tetra etílico é um bom exemplo disso; e, tendo em vista que o elemento viola uma infinidade de regulamentações ambientais, é possível considerar este fato vantajoso, de maneira geral. Sua utilização aumenta os indícios de gases responsáveis pela poluição atmosférica e, por conseguinte, o efeito estufa.

Contaminação por chumbo

A presença do chumbo na vida do ser humano é diária. Ele está presente tanto no ar que respiramos quanto no que consumimos por via oral. Muitos medicamentos, alimentos industrializados, bebidas alcoólicas e até mesmo produtos de beleza são exemplos de produtos em que podemos encontrar este elemento com certa frequência.

A tintura capilar, por exemplo, é um dos produtos em que o chumbo pode ser encontrado. Há estudos, inclusive, que comprovam que o elemento é absorvido pelo couro cabeludo e pode causar a perda de fios; além de diminuir o crescimento deles. Os malefícios são tantos que há locais na Europa em que é proibido o uso deste elemento na composição das tinturas capilares.

Na antiguidade, o uso do chumbo era feito de maneira exacerbada. Por este motivo, muitos povos eram contaminados pela sua ingestão; pois seu caráter químico e tóxico pode ser responsável por muitos problemas intestinais. Há relatos antigos de pessoas que sofreram a contaminação do elemento, sofrendo com o surgimento de deficiências das mais diversas no sistema nervoso.

Consequências do chumbo em seres humanos

Entre os principais relatos da ingestão podem ser citados a anemia, o vômito e até a infertilidade. Em tempos mais antigos, a ocorrência de morte por ingestão em excesso da substancia era muito comum. Em outros casos, sua ingestão nem mesmo era necessária para causar consequências negativa; e a simples exposição ao metal também era capaz causar danos físicos ao seres humanos.

Por outro lado, não são apenas malefícios que o metal carrega aos seres humanos. Há também uma alta incidência de avanços clínicos devido ao seu uso. Como por exemplo sua aplicação em exames que demandam o raio-X.

No Brasil, felizmente, o chumbo não é utilizado de qualquer maneira e sem critério na composição de produtos de beleza. A dosagem da quantidade de chumbo em cada material é feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). O limite percentual do elemento em tintura capilar é de 0.6%.

o chumbo pode ser encontrado em vidraças

Efeitos do chumbo

Os efeitos do chumbo na saúde humana estão concentrados em órgãos como fígado, cérebro e rins, além dos ossos. Quanto maior for a sua ingestão ou exposição, maior será a taxa do elemento no corpo e, consequentemente, as suas consequências. E é a partir de exames de sangue ou da análise dos ossos que é possível determinar os níveis de intoxicação de uma pessoa pelo elemento.

Os indivíduos mais sujeitos a sofrerem com os efeitos do chumbo são as crianças e as mulheres grávidas. Entre os problemas mais agressivos que o elemento pode causar, podem ser citados a hipertensão e os danos hepáticos, ou seja, danos ao fígado.

Tendo em vista os mais diversos usos do chumbo no dia a dia, é certo dizer que o material é indispensável em uma sociedade moderna. Contudo, seu uso demanda cuidados e, principalmente, moderação.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo