Colorau é um condimento avermelhado composto por especiarias

Inicio » Agronegócio » Colorau é um condimento avermelhado composto por especiarias
13/09/2019 Por
Colorau é um condimento avermelhado composto por especiarias

Colorau é essencial na culinária e surpreendente em outras finalidades

Obtido a partir da semente do urucuzeiro, o colorau é muito famoso como tempero, mas também possui outras finalidades pouco conhecidas.

Utilizado desde as civilizações que povoavam as Américas, antes da chegada dos europeus, o colorau (ou urucum) servia para pintar os corpos, afastar insetos e até como medicamento e produtos estéticos.

colorau

O que é colorau?

Colorau é o nome genérico dado a um condimento específico, de origem vegetal e cor vermelha, que é utilizado para temperar e alterar a cor dos alimentos.

A origem desta especiaria dependerá do local onde ela é produzida. No Brasil, por exemplo, o mais comum é a produção de colorau a partir da trituração de sementes, como urucum. Já em Portugal, ele é obtido a partir da páprica, pimentão doce, entre outras fontes.

Também chamado de falso-açafrão ou urucum, dependendo da região, o colorau é muito utilizado para realçar o sabor de carnes e também como substituto de corantes artificiais.

Origem do colorau

Herança dos primeiros habitantes que viveram por aqui, o colorau é derivado do urucum que era utilizado pelos indígenas para confecção da “tinta” usada em suas pinturas corporais.

Derivadas da língua tupi, tanto a palavra “urucu” quanto a mais utilizada “urucum” designam aquilo que é vermelho. Isto em razão da cor predominante nas sementes e frutos da planta.

Primordialmente, o produto obtido através do esmagamento das sementes era utilizado com uma espécie de tinta corporal das tribos em celebrações festivas ou rituais de guerra.

Outra finalidade muito comum entre os índios era o uso desta tinta para cobrir o corpo a fim de diminuir os efeitos do calor e do sol, bem como para afastar insetos.

Alguns povos ainda tinham a veneração pela cor vermelha da planta que, segundo eles, representaria o poder do sol, a força da natureza ou a abundância da colheita, dependendo da crença da tribo.

Como fazer colorau?

Também chamado de colorífico, o colorau é obtido através da mistura entre o pó resultante das sementes esmagadas do urucum com algum tipo de farinha, geralmente fubá, de milho ou farinha de mandioca. Portanto, saiba que o processo que envolve como fazer colorau é bem interessante.

Dependendo da receita utilizada, é possível que seja adicionado sal, óleo ou outros elementos à especiaria.

Atualmente, o mais comum é a produção industrial do produto que gera quantidades gigantescas do tempero, entretanto, sem muitas variações de sabor ou intensidade.

Felizmente, produtores caseiros têm experimentado maneiras rústicas e tradicionais de produção do condimento e, em alguns casos, novas combinações que geram resultados inovadores e saborosos.

colorau

Utilização do tempero colorau

Mais conhecido por seus “dotes” culinários, o colorau também é base para produção de diversos produtos não-alimentícios.

A indústria de cosméticos, por exemplo, utiliza as propriedades e sua forte coloração para acompanhar a composição de vários produtos, entre eles, alguns batons e protetores solares.

A medicina se beneficia das várias qualidades bioquímicas do colorau para produção de uma grande variedade de medicamentos.

Na culinária, o tempero colorau auxilia a alterar a cor e o sabor dos alimentos, especialmente as carnes. É ideal para substituir os corantes artificiais e para dar um sabor suave à receita.

Consumo de colorau no Brasil

Muito requerido em restaurantes, indústrias de alimentos e, como vimos, em outros segmentos, o colorau também é muito procurado pelas famílias para utilização na culinária diária. É muito provável que você já tenha comido colorau na preparação de algum prato.

Entretanto, apesar de ser conhecido em todo o país, o colorau não possui um consumo uniforme entre as diferentes regiões.

De acordo com pesquisas do IBGE, o Nordeste é a região que mais consome colorífico anualmente: cerca de 61% da produção. Em seguida, vem o Sudeste e também o Norte. Já os estados que menos consomem o condimento são os localizados nas regiões Sul e Centro-Oeste.

Ainda segundo estimativas de pesquisas do IBGE, o consumo anual per capita está na média de 0,165kg no Nordeste. Por outro lado, na região de menor consumo (Centro-Oeste), a média gira em torno de 0,012kg por pessoa.

Colorau faz mal?

Muitas pessoas não utilizam colorau por acreditarem em lendas que afirmam que o tempero faz mal à saúde. Será que colorau faz mal?

Diferentemente de algumas crenças equivocadas, o consumo moderado do colorau traz diversos benefícios à saúde.

Dentre os benefícios do colorau, destacam-se a proteção da pele contra os efeitos dos raios solares e as ações cicatrizante, anti-inflamatória e antioxidante.

Outros benefícios decorrentes do urucum:

  • Protege os olhos dos raios UV solares;
  • Retarda o envelhecimento da pele;
  • Fornece cálcio necessário à saúde dos ossos;
  • Provoca efeito diurético, beneficiando processos de emagrecimento;
  • Melhora os processos do sistema digestivo;
  • Agiliza a cicatrização da pele;
  • Diminui riscos de problemas cardíacos decorrentes do colesterol;
  • Ajuda a prevenir diversas doenças, entre elas, o câncer.

colorau

A cor do colorau

A tonalidade forte que caracteriza o colorau é decorrente da presença da bixina. Este elemento químico natural é responsável pelo vermelho marcante do tempero.

Como vimos, além das propriedades para a saúde, muito do interesse pelo colorau se dá pelas possibilidades que a pigmentação oferece. Tal propriedade pode ser utilizada tanto na culinária quanto na estética ou em outras indústrias.

Das pinturas corporais das tribos aos pratos sofisticados de restaurantes caros, o colorau é um recurso valioso para quem busca uma cor forte e diferenciada.

Cultivo do urucum

O urucuzeiro é uma espécie de planta ereta, arbustiva e de fácil manejo. As características da planta variam de acordo com as condições de clima e solo do local.

Em média, ela chega a alcançar 3 a 4 metros de altura. Entretanto, não é raro encontrar plantas com medidas superiores a 5 metros.

Uma planta de urucum chega a produzir, em média, cerca de 15 quilos de sementes. Para se desenvolver adequadamente, necessita de chuvas regulares ao longo do ano e solo profundo e fértil.

Dentre as variedades disponíveis, as mais recomendadas para plantio são:

  • Peruana Paulista;
  • Peruana do Pará;
  • Piave Vermelha;
  • Bico de Pato.

Cada espécie possui nuances de consistência e sabor que as diferem. Então, profissionais de alimentação costumam variar de tipo dependendo da intenção da receita.

Assim, teremos uma boa qualidade de sementes que fornecerão um colorau de cor viva e sabor suave que, em breve, estará nos pratos e peles das pessoas.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo