Combustão é poderosa ferramenta para as produções agrícolas

Inicio » Agricultura » Combustão é poderosa ferramenta para as produções agrícolas

O processo pode gerar danos ao solo se feito de forma inadequada

18/02/2019 Por
Combustão é poderosa ferramenta para as produções agrícolas

Combustão está presente no dia a dia e pode ser usada em processos da agricultura

Ela está mais presente no nosso dia a dia do que imaginamos: no fogão da nossa cozinha ou no nosso próprio carro. O que poucos sabem é que o processo de combustão é um pouco mais complexo do que a simples “queima” e envolve fatores que podem resultar em consequências negativas ou positivas.

Na agricultura, a combustão (ou queimada, como é mais conhecida) é muito utilizada para limpeza e preparo do solo entre um plantio e outro. Mas nem sempre ela é a melhor opção. Dependendo de como for feita, pode gerar danos como a perda de nutrientes essenciais para a planta e para o solo, prejudicando, assim, sua conservação. Ou, em alguns casos, o fogo pode sair do controle e gerar incêndios em florestas, matas ou terrenos.

Processo de combustão

O que é combustão?

A combustão nada mais é do que o oxigênio reagindo com materiais combustíveis e, assim, gerando luz e rápida produção de calor. Ela pode ser de três tipos: completa, incompleta e espontânea. A combustão completa é aquela que apresenta a maior liberação de calor. Ou seja, seu processo possui oxigênio suficiente para consumir todo o combustível.

Já na combustão incompleta (ou parcial, como também é chamada) isso não acontece. Uma vez que não há quantidade de oxigênio para consumir o combustível completamente. Nesse segundo caso, dois produtos podem ser gerados: o CO (também conhecido como Monóxido de Carbono) ou a fuligem (C) – ambas substâncias prejudiciais à saúde humana e ao meio ambiente.

O terceiro tipo de combustão é a combustão espontânea. Como o próprio nome diz, ela acontece naturalmente, sem a ação de uma fonte inflamável. Apesar de parecer um fenômeno misterioso, esse tipo de combustão, que gera fogo sem ação externa, é muito simples. O principal fator que leva à queimada espontânea é a água. A planta, ao respirar, coloca para fora água e calor. As bactérias e os fungos, se estiverem em um ambiente úmido, rompem a matéria vegetal, gerando ainda mais calor. Então, a água ao redor difunde o calor e gera o fogo. É por isso que as queimadas podem acontecer de forma natural  – e muitas vezes é até mesmo necessária – em determinados ecossistemas.

As queimadas na agricultura

Na agricultura, é muito comum ver o uso da combustão controlada. Para que esse processo seja realizado, é necessário avaliar muito bem os fatores para evitar que o fogo cause incêndios. Os principais cuidados a serem tomados dizem respeito ao clima e ao solo – que devem ser analisados antes de passar por essa reação.

Combustão

Ainda assim, existem casos em que a única saída para os agricultores é a queimada. Para evitar os riscos, algumas precauções devem ser tomadas:

  • avisar os vizinhos sobre o dia da queima;
  • enviar notificações aos órgãos responsáveis sobre o dia e horário;
  • analisar o terreno, considerando declividade, área que será queimada, umidade do solo;
  • fazer aceiros, que devem medir pelo menos três metros;
  • checar o clima, considerando força e direção do vento, assim como a temperatura do horário que será a queimada;
  • fazer a queimada com uma equipe preparada e instruída.

As consequências de um processo combustão na agricultura que não siga as normas pode gerar sérios problemas. Por isso, existe uma legislação a seguir seguida e seu não cumprimento pode gerar penalidades legais que variam de acordo com a gravidade da infração (levando em conta a área queimada e desmatada).

Agro20 | Portal Vida No Campo