O controle de pragas e sua relevância nos centros urbanos e rurais

Inicio » Agricultura » O controle de pragas e sua relevância nos centros urbanos e rurais
20/02/2019 Por
O controle de pragas e sua relevância nos centros urbanos e rurais

Como é planejado o controle de pragas?

O controle de pragas torna-se cada vez mais importante, uma vez que esses seres vivos impactam de forma negativa o ecossistema, o desenvolvimento agrícola e a saúde dos animais e seres humanos.

Assim, um dos principais métodos do controle de pragas é impedir a superlotação destes seres e evitar a instabilidade ecológica.

Controle de praga: seres vivos nocivos à plantações

O que é controle de pragas?

Controle de pragas consiste em ações que visam impedir a tendência, proliferação, disseminação e abrigamento de pragas, seja no meio urbano ou rural. Técnicas e métodos de desenvolvimento e controle estão inseridos para que haja um controle preciso, preservando a higiene, os aspectos ambientais e econômicos.

Nessas ações estão inseridas medidas corretivas e preventivas. As corretivas baseiam-se em armadilhas, empecilhos físicos e controle químico das pragas. Já as medidas preventivas, são as condutas de confecção, fabricação e treinamento do controladores.

O chamado Controle Integrado de Pragas (CIP) trabalha por meio de processos e etapas que auxiliam nas inspeções dos locais. As principais etapas são:

  • Inspeção: analisar a situação, diagnosticar e desenvolver estratégias de tratamento;
  • Educação: conceder folhetos, palestras e informativos;
  • Adequação do ambiente: realizar a limpeza, organizar e fazer manutenção;
  • Tratamentos: pode ser físico, biológico ou químico.

Praga biológica

Praga biológica consiste em seres vivos que cresce e se prolifera de forma abundante e exagerada. Essa proliferação excessiva provoca muitas consequências no meio em que encontra-se. Sendo assim, as pragas em plantações, especificamente, causam devastação, doenças e destruições de produtos, principalmente os têxteis e madeiras.

As principais pragas são:

  • Pragas agrícolas: este tipo de praga caracteriza-se como insetos, animais e ervas daninhas; além disso, ela é dividida em:
    1. pragas reprodutivas: lagartos, verme-de-madeira, percevejo, etc;
    2. pragas dos grãos: também chamadas de “infestação cruzada”, estas atacam os grãos principalmente em campos e armazéns, como a mariposa, o percevejo e o caruncho de feijão;
    3. pragas subterrâneas: este tipo de paga ataca, especialmente, as sementes e raízes das plantas, como o grilo-toupeira e a lagarta-rosca.
  • Pragas urbanas: este tipo de praga caracteriza-se como animais e insetos que apoderam-se do espaço urbano. Eles se alojam em busca de abrigo e alimentos, reproduzindo-se principalmente no inverno. Barata, rato, formiga, mosca, cupim, inseto e pombo são as principais pragas urbanas.
  • Pragas infecciosas: este tipo de praga caracteriza-se por causar endemias, pandemias e epidemias, além de doenças altamente nocivas aos seres (malária, salmonela, febre amarela, dengue, sarnas e viroses, por exemplo). Bactérias, vírus, protozoários e fungos são as principais pragas infecciosas.

Pragas na agricultura

Controle de pragas: insetos nas plantações

Um dos principais desafios dos agricultores é a disseminação de pragas nas plantações. Uma vez que a proliferação de pragas faz-se presente antes, durante e depois dos cultivos nas lavouras, os produtores precisam lidar com a presença dos seres vivos indesejados.

A falta de controle de pragas da agricultura interfere principalmente no desenvolvimento e produtividade dos plantios. Assim, as pragas agrícolas comprometem o crescimento de toda a safra, gerando prejuízos econômicos tanto para o agricultor, quanto para a economia do país.

Na agricultura, o tipo de controle de pragas mais habitual é o uso de agrotóxicos – produtos químicos que auxiliam no combate a doenças e pragas nas plantações. Herbicidas, inseticidas, raticidas e fungicidas são os principais agrotóxicos utilizados.

Portanto, o controle de pragas feito a partir do uso excessivo de agrotóxicos coloca em risco o desenvolvimento do solo, podendo comprometê-lo e, através da cadeia alimentar, implica indiretamente na saúde dos seres humanos e dos bichos.

Agro20 | Portal Vida No Campo