Demanda agregada e o seu importante impacto na economia

Inicio » Agronegócio » Demanda agregada e o seu importante impacto na economia
28/02/2019 Por
Demanda agregada e o seu importante impacto na economia

Demanda agregada é um dos principais fatores que afetam a economia de um país

Baseada nos estudos do economista britânico John Maynard Keynes, a demanda agregada é extremamente importante para o desenvolvimento dos países. Isso acontece porque ela está diretamente ligada com a economia. E, principalmente, com o poder de compra. Muitas vezes também está relacionada com a agricultura.

Alguns fatores influenciam na demanda agregada. Por exemplo, ela está relacionada a questões importantes como as políticas monetária e fiscal. Além disso, está relacionada também com a renda do consumidor destinada ao consumo, aos impostos e aos gastos públicos.

Demanda agregada

O que é demanda agregada?

Demanda agregada nada mais é do que a junção de todos os agentes da economia de um país. Ou seja, a demanda agregada representa o total de gastos dos consumidores, dos produtores (ou empresários), do Governo e do restante do mundo. De modo mais geral, ela representa o Produto Interno Bruto (PIB) de um país. Ela constitui o gasto total, a quantidade de bens e serviços que podem ser comprados pelos consumidores, pelas empresas e pelo Estado. É a soma de tudo que é produzido no país. Além disso, engloba desde os bens e serviços mais simples até os mais complexos.

De maneira mais simples, a demanda agregada corresponde à quantidade de produtos que os consumidores, os empresários e o Governo tem a intenção de comprar e a faixa de preço que cada um terá.

Para ser entendida de uma forma mais simples, a demanda agregada possui uma fórmula que engloba todos os seus agentes. Sendo ela: DA (demanda agregada) = CP (gastos do consumo privado) + I (investimentos) + GG (gastos do Governo) + E (exportações). Ou seja, DA = CP + I + GG + E. Confira, abaixo, como cada um deles pode influenciar a demanda agregada.

  1. Consumo privado: corresponde ao gastos das pessoas em bens e serviços, como alimentos, roupas e veículos, por exemplo.
  2. Investimentos: dizem respeito a compra de produtos como máquinas, equipamentos e edificações que visam melhorar o negócio somadas aos estoques planejados (ou seja, os estoques decorrentes da falta de venda não entram nessa conta).
  3. Gastos do Governo: correspondem aos gastos governamentais destinados à compra de bens e serviços somados ao pagamentos dos funcionários. Ou seja, gastos exigidos para que a administração pública aconteça.
  4. Exportações: são as vendas destinadas ao comércio exterior.

Demanda agregada x oferta agregada

Ela é representada por uma curva que varia de acordo com a capacidade de pagamento. Ou seja, quanto maior a capacidade de compra das pessoas, das empresas e do Governo, menor a demanda agregada.

Enquanto a oferta é a quantidade de produtos que são colocados à venda em um mercado, a demanda corresponde ao que é consumido. Tudo isso considerando um determinado período de tempo. Quando a curva da demanda agregada se aproxima (ou se iguala) à curva de oferta agregada, a economia atinge seu equilíbrio. Já que, assim, a quantidade de bens e serviços demandada torna-se igual à quantidade de bens e serviços que é ofertada. Segundo o britânico Keynes, quando uma dessas curvas se move, um novo equilíbrio é formado.

Demanda agregada na agricultura

Demanda agrícola

A demanda e a oferta são os principais fatores que estabelecem o preço de um produto agrícola, tanto no mercado interno como no externo. E a lógica para perceber isso é muito fácil. A cada safra, o balança entre a oferta e a demanda comercial deste produto gera excedentes (de produtos ou da falta deles). Assim, os estoques aumentam ou diminuem.

Nos casos em que a produção é maior que a quantidade consumida, há sobra e a consequência é a queda dos preços. Quando a situação inverte e a produção agrícola falta, os preços tendem a subir. De modo geral, na agricultura, a demanda agregada é um fator determinante. Ou seja, a demanda agrícola varia diretamente de acordo com a renda do consumidor, do produtor e do Governo.

Agro20 | Portal Vida No Campo