Técnicas de despontar auxiliam no desenvolvimento das plantas

Inicio » Agricultura » Técnicas de despontar auxiliam no desenvolvimento das plantas
27/03/2019 Por
Técnicas de despontar auxiliam no desenvolvimento das plantas

Como funciona o despontar e quais seus benefícios?

Despontar é uma das técnicas utilizadas na agricultura, muito semelhante à poda de culturas. Realizado por muito cultivadores, a técnica permite melhor desenvolvimento e crescimento das plantas, preservando sua saúde e sua produtividade.

O despontar feito nas culturas de tabaco e café, por exemplo, traz benefícios não somente ao cultivadores, mas também ao mercado comercial. Garantir que o produto esteja em ótimas qualidades é importante para a comercialização, por isso a técnica tem sido aplicada em muitos plantios.

Despontar: plantação de tabaco

O que é despontar?

O significado de despontar está associado aos termos usados na agricultura. Consiste em realizar o corte dos caules ou das plantas nos vegetais. Isso é feito para que a seiva (líquido que permite o transporte de água) realize seu processo mais facilmente, possibilitando melhor desenvolvimento e crescimento das culturas.

O despontar nas culturas de tabaco

O desponte do tabaco consiste no restauro dos pés da produto. Ou seja, é retirado de cada planta o broto presente na flor que aparece nos primeiros períodos de florescimento. O objetivo de despontar é fazer com que as folhas fiquem mais atraentes e vigorosas, aumentando as chances de procura na comercialização.

Com a retirada da flor, o pé passa a transferir toda a energia para suas folhas. Devido isso, em muitas lavouras esse processo é feito regularmente. Além disso, é um processo essencial para que as lavouras de tabaco fiquem uniformes e se desenvolva mais facilmente, melhorando o volume e a qualidade da produção.

Despontar cafeeiro

Despontar de folhas

O despontar cafeeiro é um tipo de poda que varia no tamanho do corte nas plantações de café. Há cortes feitos em 40 a 60 cm.

Geralmente, os cafeicultores fazem este tipo de desponte a cada dois anos. O intuito é de renovar os ramos produtivos da planta. Algumas cafeiculturas brasileiras optam por esse período para zerar a safra do ano após a poda.

Quando o despontar é realizado, é preciso que um ou dois brotos no ponteiro sejam preservados, cortando sempre os mais fracos. Em plantas já despontadas há abundância de novas brotações. Essa brotações deixam as plantações vulneráveis ao ataque de algumas doenças, como pseudomonas e ferrugem. Então faz-se necessário um acompanhamento mais profundo nos plantios e um controle fitossanitário adequado para este tipo de cultura.

É recomendado que o despontar seja feito o mais cedo possível. Quanto mais cedo mais os resultados serão melhores na brotação e na recuperação do crescimento vegetativo. Sendo assim, logo após a colheita, entre o período de julho a agosto.

Para que o desenvolvimento e crescimento dos cafezais sejam preservados após o processo de desponte, faz-se necessário o uso de inseticidas e fungicidas nas plantações. Esses agroquímicos ajudarão a preservar a saúde do produto e auxiliará no controle de doenças e pragas nocivas. Além disso, também colaboram para melhor absorção da água e de nutrientes que agem diretamente sobre a brotação e sobre o crescimento dos ramos.

O despontar seletivo – feito em só algumas partes das plantas de cafeeiros – possibilita uma brotação mais rápida e maior recuperação dos ramos podados. Assim, ele também é responsável por manter a função da manutenção do restante da planta. Além disso, gera e vegeta reservas, capazes de aliviar o estresse que as plantações sofrem ao serem despontadas por completo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo