Edição genética: conheça os pontos positivos e negativos

Inicio » Agronegócio » Edição genética: conheça os pontos positivos e negativos
30/10/2020 Por
Edição genética: conheça os pontos positivos e negativos

Com técnicas de edição genética, a biologia molecular revoluciona a vida e a produtividade no campo. Uma das mais novas aliadas da produtividade rural, a tecnologia de edição genética tem como função primordial garantir eficiência pelo seu alto grau de precisão. Também denominada pela sigla CRISPR, a técnica já era observada na década de 1980, mas hoje a corrida pelo seu domínio continua bem disputada entre as grandes multinacionais.

Apesar de ter uma nova abordagem, seu emprego em organismos complexos também visa o aprimoramento de certos processos biológicos. Em outras palavras, a edição genética pode ser uma ferramenta que permite modificar mais facilmente sequências genômicas de qualquer ser vivo, melhorando a qualidade de vida e aumentando a produtividade.

edição genética

O que é edição genética?

Edição genética é um termo que denota a possibilidade de alterações nas sequências genéticas dos seres vivos. Como exemplos, temos a codificação de genes através da inserção de novas sequências de DNA, substituição de sequências e até a deleção e realocamento de porções do DNA.

Nesse sentido, com a edição gênica é possível alterar propriedades e características de organismos vivos, seja por seleção ou por escolha. Ainda sobre o conceito de o que é edição genética, vale lembrar que ela age como uma “tesoura”. Ou seja, com seu emprego é possível realizar cortes em sequências de DNA, possibilitando uma reedição mais direcionada e racional.

Como funciona a técnica da edição genética?

Na técnica da edição genética, organismos como plantas, animais e fungos apresentam funções responsáveis pela funcionalidade e integridade dos genomas. Isso porque esses organismos complexos estão em constante atividade.

Como exemplos comuns, eles estão sempre codificando proteínas, exercendo funções reparadoras e replicando-se para manterem-se íntegros frente danos sucessivos causados por inúmeros fatores externos. Entre eles, podemos citar:

  • Compostos presentes em bebidas e alimentos;
  • Espécies reativas de oxigênio;
  • Radiação solar.

edição genética

Dessa forma, para aumentar a preservação de tais estruturas frente a esses fatores, as células já possuem uma ferramenta de reparo molecular própria, para consertar possíveis danos e erros. Neste caso, podemos exemplificar o mau funcionamento de alguma parte do organismo ou até mesmo o surgimento de células cancerosas.

Enfim, com a tecnologia da edição genética CRISPR, já é possível direcionar enzimas para realizar a alteração de regiões específicas para realizar uma interferência saudável. Neste caso, o reparo do DNA pode ser feito com uma modificação de certos trechos do código, seja por modificação, adição ou inserção de novas sequências.

Com isso, fica mais preciso e fácil inativar certos genes indesejados a partir de ações como a inserção de genes, mapeamento, substituição de sequências e até de deleção integral, conforme a necessidade.

Vale destacar que um dos grandes benefícios das interferências e modificações na manipulação e edição genética são o aumento da longevidade e melhora da saúde.

edição genética

As aplicações da edição gênica

Confira a seguir alguns dos campos nos quais a edição gênica obtém melhor proveito da tecnologia:

  • Agricultura: geração e produção de plantas e alimentos transgênicos;
  • Pesquisas básicas: visando a ampliação de conhecimentos sobre a função dos genes;
  • Indústrias químicas: produção de novos compostos, como biocombustíveis e medicamentos;
  • Medicina personalizada: realizando combate e estudos de doenças genéticas.

A edição genética apresenta inúmeras aplicações, desde a área da saúde até o agronegócio. Vale a pena ficar por dentro do assunto.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo