Erosão eólica: como acontece e quais suas consequências para o agro

Inicio » Meio Ambiente » Erosão eólica: como acontece e quais suas consequências para o agro
01/03/2019 Por
Erosão eólica: como acontece e quais suas consequências para o agro

Capaz de modificar dois ou mais ambientes, a erosão eólica é um tipo de degradação do solo

Ao mesmo tempo em que demonstra o poder da natureza, a erosão eólica pode causar sérios problemas em regiões de cultivo.

Ainda pior em regiões áridas e semiáridas, a erosão eólica é mais forte em regiões planas. Isto é, locais onde o vento pode ganhar mais velocidade.

Erosão eólica é causada pelo transporte de partículas do solo por longas distâncias

O que é erosão eólica?

A erosão eólica é um desgaste progressivo do solo que é provocado pela ação do vento. E, aliás, pode ocorrer, inclusive, em escalas intercontinentais.

Confira, a seguir, quais são os quatro processos provocados por ela:

1. Abrasão

É o desgaste de rochas provocado pelo atrito e impacto de poeira carregada pelo vento. Também pode ocorrer por vias fluviais, glaciais, marinhas e de turbidez.

2. Corrosão

Parecido com a abrasão, é o desgaste físico de rochas provocado pelo impacto e atrito de partículas transportadas por correntes eólicas. Mas também pode ocorrer pelos meios fluvial ou glacial.

3. Eólico

É um processo em que os sedimentos são depositados no solo através do vento. Um exemplo são as praias, que podem ter suas areias movimentadas pela ação eólica.

4. Deflação

Provoca a retirada de fragmentos superficiais mais finos do solo, restando, assim, pedras e pedregulhos. O aparecimento de pequenos lagos, rochas esculpidas e zonas rebaixadas são alguns dos resultados da deflação.

Como acontece a erosão eólica

Basta perceber como o solo é composto e como reage à ação da natureza para entender como acontece a erosão eólica.

Considerada uma degradação do solo, ela pode ocorrer pelo transporte aéreo ou rolamento de partículas. Por meio do vento são retirados os fragmentos superficiais mais finos do solo.

No Brasil, a maior parte de suas ocorrências se concentram em regiões próximas da costa, onde a incidência de ventos é maior.

As formações causadas pela ação da erosão eólica no Brasil podem ser percebidas em diversas regiões do país. Assim sendo, dois exemplos bastante conhecidos são as dunas formadas na praia de Jericoacoara, no Ceará, e da Joaquina, em Florianópolis (SC).

Já outra formação interessante está em um dos principais pontos turísticos do Paraná: Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa (PR). Um sítio arqueológico com esculturas naturais esculpidas pela erosão eólica e pluvial em arenitos.

Consequências da erosão eólica

O enterramento de solos férteis é uma das principais consequências da erosão eólica. Afinal, o problema ocorre com a retirada da vegetação de cobertura do solo, que é transportada e se sedimenta, cobrindo camadas férteis.

Alguns fragmentos de solos degradados pela ação do vento entram em suspensão e viram poeira atmosférica. Ou seja, além de obscurecer a visibilidade, podem provocar acidentes e colocar em risco a saúde animal e humana.

Formações como dunas são exemplos da ação da erosão eólica

Como prevenir as lavouras dos efeitos da erosão eólica

Existem estudos que comprovam que a presença da vegetação ajuda a reduzir a velocidade do vento na superfície do solo. Assim, consequentemente, os impactos podem ser minimizados.

Alguns agricultores adotam um sistema de integração de lavouras para criar uma barreira de proteção contra a erosão eólica. Um método que pode ser utilizado com o plantio de vegetais como bambu, cana-de-açúcar e eucalipto.

Tags: ,
Agro20 | Portal Vida No Campo