Erosão fluvial é agravada em margens de rios sem vegetação

Inicio » Meio Ambiente » Erosão fluvial é agravada em margens de rios sem vegetação
01/03/2019 Por
Erosão fluvial é agravada em margens de rios sem vegetação

Agravada em margens de rio sem vegetação, a erosão fluvial pode ser prevenida

Capaz de mudar o curso de um rio, a erosão fluvial pode provocar desmoronamentos e inundações. Mas, ao tomar as medidas preventivas adequadas, seus prejuízos ao solo podem ser reduzidos.

Saiba o que é erosão fluvial, como se difere da erosão pluvial e quais as suas etapas.

Cânion é resultado da ação da erosão fluvial

O que é erosão fluvial?

A erosão fluvial é resultado do trabalho contínuo das águas correntes da superfície do planeta, como lagos, córregos e rios. É ocasionada pela ação da água e aprofunda os vales em relação às terras circundantes.

Pode ocorrer tanto em profundidade, quanto lateralmente, aumentando a largura do rio e criando bancos de areia.

Em regiões temperadas e úmidas, faz com que as águas escorram na superfície e formem enxurradas, devastando grandes áreas produtivas com inundações.

Também pode provocar o deslizamento de terra ao provocar o desgaste nos planaltos e removerem porções do solo nas margens dos rios.

Pode ser agravada quando a mata ciliar próxima aos rios é retirada, tornando as margens desgastadas pela força das águas e intensificando o assoreamento. Isto é, margens desprotegidas, sem vegetação, são mais suscetíveis a serem escavadas pela correnteza. Assim sendo, podem formar grandes gargantas, conhecidas como cânions.

Prevenção da erosão fluvial

Medidas preventivas como a manutenção da vegetação nativa nas margens dos rios ou plantação de novas espécies ajudam a prevenir os prejuízos da erosão fluvial.

Exemplos de erosão fluvial

Um dos exemplos mais conhecidos pela ação das águas dos rios sobre o solo são os cânions. Moldados pela erosão fluvial, calor, vento, gelo e gravidade terrestre, são formações que mudam de feições ao longo do tempo.

Como os rios também transportam sedimentos e os depositam em certos locais, podem formar deltas na foz de alguns rios. Um exemplo é o Delta do Rio Nilo, na África.

Já na região amazônica, a erosão fluvial é chamada de terra-caída pelas populações ribeirinhas. Um fenômeno que provoca vários danos socioambientais na paisagem, assim como nas proximidades do Rio Amazonas. Aparece até mesmo na letra da famosa música Tic Tic Tac, do grupo Carrapicho.

Um processo erosivo provocado por fatores como clima, altos índices pluviométricos e a composição do material das margens dos rios.

No caso da Amazônia, ganha um impacto maior por causa do deslocamento das embarcações que atracam e saem dos portos. Com a facilidade de acesso, muitas pessoas moram perto das margens dos rios. Dessa forma, provocam o solapamento na base da encosta.

Erosão fluvial é causada pelos rios

Etapas da erosão fluvial

A erosão fluvial pode ser dividida em três processos: corrosão, corrasão e cavitação. Entenda melhor, a seguir, sobre cada uma delas:

  • Corrosão: é o processo de reação química que ocorre quando a água e as rochas entram em contato.
  • Corrasão ou abrasão: é o desgaste provocado pelo atrito mecânico de partículas transportadas pelas águas do rio.
  • Cavitação: acontece quando o fluxo de água ganha velocidade e as ondas produzidas por bolhas formadas pela mudança de pressão causam a erosão. Alguns exemplos são corredeiras e quedas d’água.

Diferença entre erosão fluvial e pluvial

Parecida com a erosão pluvial, a erosão fluvial também é causada pela água, mas de rios. Seja perenes ou temporários, em escala maior, regime mais prolongado ou permanente.

Tags: ,
Agro20 | Portal Vida No Campo