Falcão peregrino é a ave de rapina mais rápida do mundo

Inicio » Meio Ambiente » Falcão peregrino é a ave de rapina mais rápida do mundo
07/10/2020 Por
Falcão peregrino é a ave de rapina mais rápida do mundo

O falcão peregrino é uma ave de médio porte, diurna e pode ser encontrada em todo o mundo. Enquanto espécie migratória, o falcão peregrino parte da América do Norte, a fim de escapar do frio do inverno. Em nosso país, ele surge entre os meses de outubro e abril. Existem, inclusive registros de até 20 mil km de migrações dessa espécie. Por ser a mais veloz ave do planeta, pode atingir cerca de 300 km/h e sua expectativa de vida gira em torno de 25 anos (em cativeiro).

O habitat natural do falcão peregrino é bastante variado, incluindo vales de rios, zonas montanhosas, ilhas rochosas e arribas marítimas. O animal é encontrado, às vezes, pousado em pontes, antenas, ruínas e torres. Com efeito, evita lugares de atividade humana intensa, bem como florestas, pântanos, planícies, regiões agrícolas e regadios.

Falcão peregrino

O que é falcão peregrino?

Falcão peregrino, cuja denominação científica é Falco peregrinus, além de ser considerado uma das mais famosas aves de rapina, integra a família Falconidae, sendo bastante reconhecido no mundo acadêmico pelo seu nome anglófono Peregrine Falcon.

Sua incidência é, praticamente, mundial, com exceção às regiões polares. No subcontinente sul-americano, surge apenas como ave migratória. Desse modo, ele não nidifica no Brasil.

Características do falcão peregrino

Esta ave mede entre 37 e 54 centímetros de comprimento, pesando entre 500 gramas a 1, 5 kg. Com efeito, o falcão peregrino apresenta uma envergadura de suas asas entre 80 e 130 centímetros. Entre fêmeas e machos da espécie, a única diferença perceptível é o tamanho.

A fêmea é maior e mais pesada que o macho, com olhos negros, partes superiores azuis e cinzas (em tons claros), coroa negra na cabeça. As partes inferiores, por sua vez, são brancas.

O falcão peregrino adulto apresenta barradas de preto, enquanto nos filhotes, são estriadas. As patas são amareladas e as asas são longas e pontiagudas. Ademais, o bico é bastante escuro com uma base amarela.

Durante o inverno, a espécie preconiza zonas abertas com presas abundantes, procurando locais abrigados para dormir à noite, sobretudo, em árvores ou superfícies rochosas.

Alimentação do falcão peregrino

O falcão peregrino tem hábitos diurnos, caçando sozinho as suas presas. A alimentação do falcão peregrino preconiza outras aves, por exemplo, os pombos domésticos.

Insetos como os cupins, tartarugas recém-eclodidas, peixes, mamíferos pequenos e morcegos também entram em seu “cardápio”.

Reprodução do falcão peregrino

O casal de falcões peregrinos dorme junto ao penhasco selecionado para nidificar. Ao longo da incubação, o marcho escolhe outro local para dormir. Desse modo, a postura é de cerca de quatro ovos, com coloração castanho-claro e manchas avermelhadas. O casal incuba os ovos ao longo de um mês inteiro.

Os filhotes se emplumam até 42 dias após a eclosão e permanecem dependentes de seus pais ao longo de cinco semanas. De fato, eles são muito sensíveis a perturbações no período de reprodução e, caso se sintam incomodados, abandonam rapidamente o ninho.

Falcão peregrino

Ameaças

Os principais elementos que ameaçam essa espécie são:

  • Incômodos gerados por atividades turísticas ou de lazer nas proximidades dos ninhos – que podem levar ao abandono ou à inviabilização da recolonização de territórios antigos;
  • Degradação dos habitats;
  • Mortes ocasionadas por enfermidades transmitidas por pombos;
  • Mortes por choques em linhas eletrificadas;
  • Colecionismo de crias e ovos para a prática da falcoaria;
  • A caça pelos humanos;
  • Envenenamento por inseticidas organoclorados, tais como o DDT.

Canto do falcão peregrino

A ave falcão, de modo geral, emite diversos tipos de sons, dependendo da idade, sexo ou situação específica que esteja enfrentando. Porém, todos realizam combinações de sons graves e/ou agudos em maior ou menor intensidade.

Curiosidades sobre o falcão peregrino

Conforme mencionado, o falcão peregrino é extremamente sensível ao envenenamento por inseticidas que são organoclorados, como o DDT. Ao entrar em contato com esse produto, por meio de suas presas, a ave se torna estéril e as cascas de seus ovos se enfraquecem.

A utilização do DDT afetou substancialmente as populações que residiam na América do Norte e na Europa Ocidental ao longo dos anos de 1950 a 1960. Essa situação foi revertida após o banimento desses compostos nas práticas agrícolas e, também, pela liberação, no meio natural, de animais criados em cativeiro.

Para Helmut Sick, célebre naturalista e ornitólogo alemão radicado no Brasil, esses esforços de recuperação, por meio da liberação de falcões criados em cativeiros (alguns, até mesmo, mestiços), reduziram os níveis migratórios dos espécimes oriundos da Costa Leste norte-americana ao Brasil, à medida que parte das populações que foram recuperadas perdeu completamente o hábito de realizar migrações.

Os falcões peregrinos presentes em nosso país, ao longo do chamado “inverno boreal” (isto é, o inverno no hemisfério norte), são pertencentes à subespécie Falco peregrinus tundrius. Há, também, a subespécie Falco peregrinus anatum que se tornou residente, ou seja, não realiza migrações para a América do Sul.

Registrou-se no norte do estado do Paraná (na cidade de Apucarana), de manhã entre os edifícios do centro da cidade, que tanto os machos quanto as fêmeas empreendem voos em diversos sentidos, pousando, algumas vezes, em prédios altos, como uma forma de reconhecer e delimitar seu território.

Falcão peregrino

Adaptação do falcão à vida urbana

Nos ambientes urbanos, as grandes concentrações de pardais, pombos domésticos e outras aves que são atraídas pelo lixo e restos de comida, tornam-se atrativos interessantes para os falcões peregrinos. Dessa forma, sua presença é frequente em grandes centros urbanos e municípios costeiros.

Outro fator de atração presente nas cidades consiste na existência dos arranha-céus, prédios e edifícios altos que lembram penhascos e desfiladeiros naturais utilizados pelo falcão peregrino como ponto estratégico de caça. Com efeito, a captura de suas presas em pleno voo promove impressionantes perseguições.

Ao utilizar a altura dos edifícios e das antenas de telefonia como poleiros, o falcão peregrino pode avistar as suas presas e se atirar certeiramente sobre elas. Outra interessante estratégia de caça é a subida em correntes térmicas (ar quente) a grandes alturas, deixando-se cair, em seguida, sobre as presas avistadas.

De fato, isso ocorre em ângulos mais ou menos pronunciados e, em certas ocasiões, em quedas livres verticais, com as asas do falcão peregrino coladas aerodinamicamente ao corpo, controlando perfeitamente sua velocidade, podendo descer a mais de 200 km/h.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo