Farinha de milho é alimento que combina sabor e versatilidade

Inicio » Agricultura » Farinha de milho é alimento que combina sabor e versatilidade
30/04/2019 Por
Farinha de milho é alimento que combina sabor e versatilidade

A farinha de milho não contém glúten, é fonte de energia e fortalece o sistema imunológico

Farinha de milho é o pó ou granulado obtido a partir da moagem seca ou úmida do grão do milho. A farinha de milho é acessível e versátil, podendo ser usada em uma infinidade de preparações culinárias. É um alimento amplamente consumido na África e nas Américas. Afinal, a produção de milho é abundante nessas regiões.

Em Angola, a farinha de milho é a base da preparação do funge, um pirão que é o acompanhamento mais popular dos pratos consumidos nesse país.

Farinha de milho

O que é farinha?

Farinha é, basicamente, o pó obtido pela trituração e moagem de sementes ou raízes. A origem da farinha é antiga. A farinha de mandioca, por exemplo, já era produzida pelos povos indígenas brasileiros.

Farinha de milho, farinha de aveia e farinha de trigo

Como foi mencionado, a farinha de milho é um ingrediente extremamente versátil. Por essa razão, é uma estrela na culinária, entrando na composição de diversos pratos.

Entre os alimentos que usam este ingrediente estão pães, bolos, farofa e cuscuz.

É possível ainda preparar molhos e receitas de textura mais cremosa como polenta e bobó com o produto. Além de saborosos e nutritivos, os pratos preparados com farinha de milho se destacam pela bela coloração amarelada.

A farinha de milho, assim como a farinha de mandioca e a farinha de aveia é usada para substituir a farinha de trigo em algumas receitas. Em termos nutricionais, é tão nutritiva quanto a farinha láctea, por exemplo.

Tipos de farinha de milho

Há diversos tipos de farinha de milho no mercado. Embora todas sejam obtidas pela moagem do grão de milho, elas possuem texturas e até sabores diferentes. Além disso, são usadas em receitas distintas. Se derivada do milho, a composição da farinha, no entanto, é a mesma.

Cada tipo é comercializado por um nome. Eles se distinguem principalmente pelo tamanho do grão (granulometria) e pelo processo de produção. Conheça alguns:

  • De moagem seca: obtida a partir do grão seco e limpo, que é moído e peneirado. Não há utilização de água nesse processo.
  • Integral: é a que não passou pelo processo de refinamento que retira a casca e o germe do milho. Em alguns casos, é produzida artesanalmente, moída em rodas de pedra ou moinhos de pedra.
  • Sêmola de milho ou semolina de milho: também chamada de ou farinha de milho grossa, é constituída de grãos grossos de milho amarelo. É muito usada na preparação de mingaus, biscoitos, bolos, cereais matinais, salgadinhos e até de algumas cervejas.
  • Fubá: muito popular no Brasil, é obtida pela moagem do grão de milho amarelo e degerminado. Com grãos são bem finos, é usada para fazer pratos típicos como angu, bolos e polenta. Também é usada para empanar alimentos fritos e assados.
  • Flocada: também conhecida farinha biju, é produzida com a farinha de milho úmida ou massa de milho prensada com rolos para formar os flocos que em seguida são secos ou torrados.

Farinha de milho

Benefícios da farinha de milho

A busca por uma vida mais saudável tem feito a procura por alimentos sem glúten aumentar. Por isso, pratos à base de farinha de milho estão em alta. Além de ser gluten free, esse ingrediente tem poucas calorias.

A farinha de milho é pobre em gordura e tem pouco sódio. Além disso, é rica em vitaminas, ferro, zinco e fibras (que dão saciedade e ajudam a controlar a glicose e o colesterol). Portanto, esse produto tão abundante em nosso país é uma excelente (e barata) fonte de alimentação.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo