A produção de farinha de trigo e as possibilidades de uso

Inicio » Agricultura » A produção de farinha de trigo e as possibilidades de uso
05/04/2019 Por
A produção de farinha de trigo e as possibilidades de uso

Farinha de trigo e os benefícios deste alimento

Farinha de trigo é um dos alimentos que fazem parte diariamente da alimentação de todos os indivíduos pelo mundo. Ela é base de muitos produtos e está presente no preparo de pães, biscoitos, pizzas, macarrão, doces, tortas e muitos outros.

O consumo de farinha de trigo quando aliado à uma dieta balanceada pode trazer muitos benefícios ao organismo. No entanto, é preciso estar atento à quantidade de farinha consumida, para que os benefícios não sejam anulados pelo excesso do produto.

Farinha de trigo e outros ingredientes

O que é farinha de trigo?

Farinha de trigo é uma espécie de farinha em pó desidratada, rica em amido e feita a base do grão. Este tipo de farinha é essencial na produção de massas, como, por exemplo, pães, macarrões, bolos, mingaus e outros diversos alimentos.

O trigo é um grão alimentar cultivado em todas as partes do mundo. Classificado como o segundo maior cereal plantado é uma das bases alimentar tanto de animais quanto de humanos.

A utilização da farinha de trigo para produzir pão branco deu-se pelos egípcios alguns séculos antes mesmo de Cristo.

Ao passar dos anos a técnica de fabricação foi sendo aperfeiçoada. Isso fez com que a fermentação e as diversas formas, tipos e sabores fossem controlados. Além disso, foram introduzidos outros alimentos como cereais diversos, leites e ovos.

No entanto, por mais que a moagem do trigo seja uma das técnicas milenares, ela ainda requer tecnologia adequada.

História do Trigo

O início do cultivo do trigo deu-se há 10.000 a.C. na Mesopotâmia, região chamada de Crescente Fértil. Há 4000 a.C o pão a base de farinha de trigo foi inventado pelos egípcios. Estes povos observaram o processo de fermentação da massa feita da farinha. Os egípcios também foram responsável pela criação dos biscoitos, feitos primeiramente a base de água, mel e farinha.

Na época em que cultivo foi iniciado o homem ainda era um ser nômade. Para fazer a farinha, eles trituravam os grãos de trigo entre algumas pedras rústicas.

No entanto, foi somente há 2000 a.C que o trigo espalhou-se por outros lugares do mundo. Na China, por exemplo, seu uso foi primeiramente para produzir a farinha de trigo e para fazer pastéis e macarrões.

Foi no século IX que os árabes introduziram o macarrão de origem chinesa na Itália. Eram alimentos feitos a base de água e farinha, cortados em fios que eram secos sob o sol. Isso garantia ao produto mais conservação e durabilidade.

Já no século XI, na cidade de Nápoles, na Itália, os cozinheiros começaram a usar a farinha de trigo para preparar as massas das pizzas, incluindo queijo e verduras nas receitas.

Entretanto, 400 anos depois, no século XV, o cultivo do trigo intensificou-se em alguns países europeus mais frios, como na Polônia e na Rússia. Começaram a ser preparados biscoitos que tornaram-se importante durante as grandes navegações e durante a era de descobrimentos marítimos. Eram importantes pois tinham maior durabilidade e proporcionavam quantidade de carboidratos aos indivíduos durante as viagens.

Como é feita a farinha?

Farinha de trigo: plantação de trigo

Antigamente a farinha era moída manualmente, por trabalho braçal, sem o intenso uso de tecnologias aplicadas. Entretanto, o desenvolvimento tecnológico e o moderno estilo de processamento, o trigo é levado aos moinhos. Lá ele é analisado e então começa o preparamento.

As etapas de preparo da farinha são basicamente:

  • O processo de limpeza: os grãos de trigo são higienizados antes do preparo;
  • O processo de seleção: os grãos de trigo passam por uma seleção em que os grãos não adequados são retirados;
  • O processo de peneiração: nesta etapa separa-se a farinha de trigo do farelo e do gérmen;
  • O processo de descanso: o produto é deixado em repouso por um tempo determinado;
  • O processo de empacotamento: o produto é empacotado para que depois seja direcionado aos fins respectivos, como a comercialização.

Todos esses processos são físicos e livres de qualquer adição de aditivos.

Tipos de farinha

Há muitos tipos de farinha de trigo popularmente conhecidos e comercializados. Os principais são a farinha branca tipo 00, farinha branca tipo 0, farinha tipo 1 e a farinha de trigo integral.

farinha branca tipo 00 é totalmente natural e super refinada, produzida a partir de grãos mais fracos. Ao mesmo tempo e que absorve mais água também tem quantidade menor de glúten. Os alimentos produzidos com este tipo são mais aeradas e mais leves, sendo ela ideal no preparo de tortas e bolos. Além disso, possui a capacidade de ser digerida facilmente. Este tipo de farinha não é produzido no Brasil, somente é importada do Canadá, da Argentina e da Itália.

A farinha branca tipo 0 tem quantidade de glúten maior quando comparada a farinha branca tipo 00. Este tipo de farinha é mais branca, contém mais ferro e auxilia na textura e volume das massas feitas com ela. Sendo assim, é muito utilizada no preparo de macarrão, pizzas e pães.

farinha do tipo 1 é a mais comum e a mais utilizada. Ela é produzida a partir de grãos de trigo fortes e fracos, com muito ou pouco teor de glúten. Ela pode obter a cor branca através de processos naturais ou processos químicos. Além disso, é muito utilizada para preparar pães, biscoitos e bolos.

Já a farinha de trigo integral é feita a partir da moagem do grão inteiro, utiliza-se a casca, a parte interna e o gérmen. É uma farinha rica em proteínas, fibras, vitaminas e minerais. Por conter alto teor de nutrientes traz muitos benefícios, como auxiliar no bom funcionamento do intestino, possibilitar a sensação de saciedade, reduzir os índices de colesterol ruim no sangue e diminuir as taxas de glicose.

Cuidado com o excesso

Farinha de trigo: pão integral

Todos sabem que qualquer tipo de excesso faz mal. No entanto, isso não seria diferente com a farinha de trigo. Quando consumida demasiadamente, em altas quantidades diariamente, os riscos para a saúde podem ser grandes e impactar em problemas para o organismo.

Os principais problemas com o consumo excessivo de farinha de trigo são:

  • Aumenta as taxas de açúcar no sangue pois é rica em carboidratos;
  • Aumenta o apetite e a sensação de fome;
  • Possibilita risco de problemas inflamatórios;
  • Aumenta o desejo insaciável por comida;
  • Aumenta as taxas de colesterol ruim no sangue;
  • Possibilita a perda de alguns nutrientes, etc.

Portanto, é preciso que o consumo de farinha de trigo seja moderado e sem exagero. Optar por uma dieta balanceada é essencial. E, se possível, preferir utilizar sempre produtos que sejam mais ricos em nutrientes, como a farinha de trigo integral.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo