Espelta é opção saudável e sua busca cresce junto ao trigo tradicional

Inicio » Agricultura » Espelta é opção saudável e sua busca cresce junto ao trigo tradicional
19/03/2019 Por
Espelta é opção saudável e sua busca cresce junto ao trigo tradicional

O trigo espelta é bastante conhecido por pessoas quem segue uma dieta balanceada e mantém  hábitos saudáveis. Rico em vitaminas e fibras, o espelta pode ser consumido de diferentes formas. Com a sua farinha é possível produzir bolos, pães e biscoitos com menor índice de glúten.

O trigo espelta é um grão bastante antigo, consumido principalmente em países ocidentais. Entretanto, vem ganhando o mundo devido a seus benefícios.

  1. O que é espelta?
  2. Trigo espelta
  3. Propriedades do espelta
  4. Tipos de trigo
  5. Benefícios do espelta
  6. Como cozinhar espelta?
  7. Receitas com espelta
  8. Exposição do trigo espelta a pesticidas
  9. Mercado de trigo no Brasil

Espelta

O que é espelta?

Espelta (T. spelta) é um tipo de trigo bastante consumido na Europa. Apesar de atualmente ele não ser tão comum, o grão é fonte de alimento no ocidente desde a Idade Média. Também chamado de trigo vermelho ou trigo selvagem, há alguns anos a espécie vem sendo consumida por quem busca alimentos mais saudáveis.

O grão é uma boa opção para a agricultura, já que é mais resistente às pragas. Já em relação ao seu espaço no comércio, ele vem cada vez mais ganhando espaço nas prateleiras em forma de farinha, pão, bolachas, biscoitos e até cervejas artesanais.

Trigo espelta

Se comparado com o trigo comum, o espelta é mais nutritivo e traz muitos benefícios para o consumo humano. Apesar de não ser muito popular no Brasil, sua procura vem crescendo devido às qualidades da espécie. Ele pode ser consumido de três maneiras.

  • Grão: excelente opção para quem busca por proteínas
  • Broto: rico em fibras, auxilia na digestão
  • Farinha: menor quantidade de glúten, pode ser uma opção para quem é intolerante

Propriedades do espelta

Embora os benefícios do trigo vermelho ainda não tenham sido 100% comprovados, o interesse pelo grão aumentou principalmente por quem está preocupado com a saúde. Confira alguns pontos positivos, então:

  • Rico em fibras
  • Possui vitaminas do complexo B
  • Minerais como cobre, magnésio, fósforo e ferro
  • Alimento de fácil digestão

Tipos de trigo

Existem diversos tipos de trigo sendo cultivados mundialmente. Porém, algumas variedades são mais comuns e têm acesso mais facilitado em comparação à outras.

  • Trigo comum: é a espécie mais cultivada e consumida no mundo, quando processado, dá origem à farinha branca.
  • Triticum monococcum: foi um dos primeiros tipos de trigo a ser cultivado. Atualmente, porém, sua utilização não é comum
  • Farro: foi graças a esta variedade que surgiu a palavra “farinha”. Da mesma forma, ele já foi bastante utilizado antigamente. Hoje, entretanto, é pouco encontrado
  • Trigo duro: uma das variedades muito comercializada
  • Kamut: cultivada em pequenas quantidade, a espécie teve origem no Oriente. Embora a sua produção relativamente baixa, é bastante comercializado.

Benefícios do espelta

Uma das qualidades do trigo é sua capacidade de acelerar o metabolismo reduzindo, portanto, o nível de colesterol. Outro ponto positivo é que o grão auxilia no sistema imunológico, devido a vitamina B3 presente em sua composição.

Uma dica sobre o grão, então, é sua indicação para ser utilizado em barrinhas de cereais – ele tem um sabor ligeiramente mais doce e mais qualidade nutricional, com grande concentração de amido e minerais. Em uma comparação, o espelta apresenta pouca quantidade de glúten – por isso vem sendo consumido por pessoas intolerantes.

O trigo espelta tem mais benefícios. Vamos detalhar vários deles a seguir.

Espelta

  • É bom para a digestão

O espelta facilita a digestão. O trigo tem altos teores de fibra. O cereal espelta tem a maior variedade de fibras entre as opções de trigo existentes. A variação proporciona uma digestão saudável.

As fibras promovem uma digestão mais saudável por transportarm os alimentos por meio do trato digestivo. A fibra dietética absorve enzimas nocivas do trato digestivo. Quando a fibra é expelida do organismo, traz consigo essas enzimas e promove a limpeza intestinal.

Alimentos ricos em fibras como o trigo espelta evitam e tratam doenças como constipação, cólicas, excesso de gases, diarreias e distensão abdominal. Fibras evitam também problemas mais graves, como úlceras.

  • Ajuda na circulação do sangue

Trigo espelta melhora a circulação da corrente sanguínea. O grão tem altos níveis de ferro e cobre. Ferro e cobre, combinados, aumentam a circulação do sangue. Eles aumentam porque são essenciais para a criação de glóbulos vermelhos.

Eletrócitos produzidos em alta quantidade elevam o fluxo sanguíneo de todo o corpo.

O fluxo sanguíneo promove a oxigenação de órgãos e tecidos. A oxigenação, por sua vez, melhora o processo de cicatrização. Além disso, também promove elevação dos níveis de energia. O metabolismo fica mais funcional.

A circulação sanguínea aumenta o crescimento do cabelo. O alto teor de ferro impede anemia.

  • Regula os hormônios

O trigo é composto por uma vitamina essencial. A vitamina é a niacina. A niacina ajuda o sistema endócrino, fundamental para a saúde. O sistema endócrino faz um trabalho importante nas glândulas suprarrenais do corpo.

O trabalho de maior destaque é a produção de hormônios sexuais. Portanto, niacina em níveis saudáveis na dieta é sempre uma boa escolha.

  • É bom para a saúde óssea

A espelta tem os minerais considerados fundamentais para a saúde dos ossos. Os minerais presentes na espelta ajudam no desenvolvimento dos tecidos ósseos. Os minerais também previnem doenças como a osteoporose.

Sem dúvida, os minérios são indicados para tratar de outras enfermidades relacionadas ao enfraquecimento do corpo devido o avançar da idade.

Pelo fato do trigo ser usado em diversas receitas, pois vários alimentos precisam do uso de trigo, certamente incluí-lo na dieta não será o maior dos problemas.

Essa inserção pode ser considerada outro ponto positivo. Um ponto a favor do trigo, pois não prejudica a qualidade de vida de seus usuários.

Considerando que o gosto não difere muito da versão tradicional, a inserção no cotidiano das pessoas é bastante facilitada.

Espelta

  • Favorece crescimento saudável e constante

A combinação de fósforos e proteínas resulta no crescimento corporal. O espelta é rico em fósforo e proteínas. A mistura promove crescimento porque ajuda na formação de novos tecidos, músculos, vasos sanguíneos, ossos e órgãos.

Fósforos e proteínas formam uma boa dupla, pois um necessita do outro. O fósforo, por exemplo, é um elemento de vital importância para a produção de novas proteínas. O fósforo, sem dúvida, também ajuda o DNA na construção de novas células.

As proteínas participam dos processos corporais mais importantes. Elas são quebradas e se transformam em aminoácidos compostos. Elas são reformadas para depois serem usadas nos processos corporais.

  • É bom para o controle de diabetes

Açúcar é perigoso para a diabetes. Carboidrato também. Porém, felizmente, espelta é rica em fibras. As fibras evitam o pico de glicose. Elas ajudam a regular a liberação dos açúcares do glicosídeo.

Essa capacidade das fibras, portanto, ajuda a controlar a doença. O consumo de espelta evita também o desenvolvimento da enfermidade nos pré-dispostos.

  • Ajuda na prevenção do câncer de mama

Fibras protegem mulheres do câncer de mama. O espelta, além de fibras, tem lignanas. Lignana é um fitonutriente. Lignanas vegetais fornecem proteção contra cânceres de mama. Dependentes de hormônios também se beneficiam delas.

  • É adequado para os sensíveis ao glútem

O trigo espelta é adequado para os sensíveis ao trigo. Celíacos são sensíveis a todos os tipos de trigo. Celíacos não consomem glúten. No entanto, há pessoas que são sensíveis ao trigo, mas não são celíacas.

Espelta tem baixa quantidade de glúten. A quantidade é inferior, por exemplo, à verificada no trigo tradicional. Isso significa que pessoas sensíveis ao trigo, mas que não sejam celíacas, podem consumir espelta sem receios.

O trigo espelta é uma ótima alternativa a esse público.

  • Favorece a saúde da pele e do corpo da mulher

Todo mundo gosta de ter uma pele bonita e hidratada. Se a sua maior preocupação for essa, certamente o espelta é um bom aliado.

Como dito acima, o cereal é rico em fósforo. Ele ajuda o organismo a absorver de melhor forma as proteínas que contribuem para a saúde da pele.

O espelta colabora para a manutenção de uma pele mais bonita, jovem e principalmente livre de acnes.

Já sobre a saúda da mulher, lembra da lignina? O fitonutriente volta ao centro das atenções e merece toda a atenção por parte das mulheres. Mas por quê? Porque é um amigão para as mulheres que sofrem de menopausa.

Explicando: a lignina é uma substância semelhante ao estrogênio. O estrogênio protege o sistema hormonal das mulheres. Portanto, caso comece a sentir ondas de calor, alterações de humor e problemas de concentração devido à menstruação, aumente a dose diária de ingestão de espelta.

Espelta

  • Evita formação de cálculos biliares

Você sabe qual é o papel da vesícula biliar? O principal papel é liberar fluidos para o sistema digestivo.

Contudo, ao longo do processo de liberação dos fluidos, há uma acumulação de diferentes tipos de sedimentos. A acumulação leva, em algumas ocasiões, à formação dos chamados cálculos biliares.

Acredite: você não vai querer sentir a dor que causam. As dores provocadas são intensas. Muitas vezes, é preciso medicação na veia para interromper o suplício.

Alguns casos pedem intervenção cirúrgica.

Qual o papel do espelta para evitar esse transtorno agradável? Mais uma vez, as fibras são a resposta.

As fibras absorvem fluidos do corpo sem praticamente sofrerem deterioração. Elas são expelidas e levam junto todos os fluidos que absorvem. Muitos desses fluidos são os sedimentos que ajudam a forma o cálculo biliar.

As fibras, portanto, ajudam a limpar a vesícula biliar de depósitos nocivos a longo prazo. O espelta ajuda a prevenir a formação de cálculos biliares.

Como cozinhar espelta?

Como se trata de um trigo diferente, é normal que haja dúvidas sobre o modo de inseri-lo nas refeições. O processo de inserção, contudo, é bem simples.

Para saber como cozinhar espelta, os grãos devem ser lavados e mergulhados em água por 8 horas ou durante a noite.

Uma nova lavagem deve ser feita depois desse prazo e antes de cozinhar. Os grãos, na próxima etapa, precisam ser coados.

Então, coloque os grãos em uma panela. Adicione 3 xícaras de água para cada xícara de grãos. Aguarde ferver.

Abaixe o fogo quando o líquido tiver fervido. Depois, os grãos devem ser cozidos por cerca de 1 hora. Coe e adicione ao prato quando terminar.

Receitas com espelta

Aproveitando que demos o passo a passo para preparar os grãos em receitas, certamente é oportuno passar uma receita de prato que usa o trigo vermelho.

Esse pão caseiro é de fácil preparo, até mesmo para iniciantes na cozinha. Claro, além de ser muito saboroso. Confira abaixo os ingredientes da receita e o modo de preparo.

  • Ingredientes do pão caseiro integral com espelta

  • Trezentos e cinquenta (350) mililitros de água morna;
  • Meio (1/2) quilograma de farinha de espelta integral;
  • Quinze (15) gramas de fermento biológico fresco. Para essa medida, basta cortar ao meio um tablete de trinta (30) gramas;
  • Uma (01) colher de chá de sal.

Como fazer o pão caseiro integral usando espelta?

  1. O tablete de fermento deve ser dissolvido em água morna. Contudo, é importante ter em mente que a água deve estar morna, não quente. É importante manter em tal temperatura pois ajuda ativar as bactérias presentes no fermento.
  2. A farinha de espelta tem que ser colocada em uma tigela junto ao sal. Misture e adicione a água com o fermento dissolvido no centro. Amasse e sove por 10 minutos usando as mãos. Se preferir utilizar a batedeira, bata por 5 minutos. No entanto, não esqueça de usar o acessório de gancho;
  3. A massa tem que ser modelada em forma de bola no final. Deixe repousar por 30 minutos depois de cobrir com um pano;
  4. Extra: você pode acrescentar mais farinha e voltar a amassar a massa se ela ficar muito mole após a sova;
  5. Polvilhe farinha em uma bancada após o período de 30 minutos. Coloe, então, a massa sobre a bancada;
  6. Suas mãos e a massa têm que ser polvilhadas. Sove a massa após, mas somente para retirar o ar. Modele outra vez em forma de bola. Ponha em um tabuleiro polvilhado com farinha. Use novamente o pano para cobrir;
  7. Deixe reservado no forno por 2 horas.

Dica extra: forno aquecido por um ou dos minutos ajuda a massa a crescer mais depressa. Ele deve ficar morno no interior. Quando atingir essa temperatura, desligue e ponha a massa.

Sovar o pão feito de trigo espelta

A próxima fase da receita de pão caseiro integral com espelta é voltar a sovar a massa um pouco. Porém, dessa vez, sove em uma superfície enfarinhada. Assim, elimina-se o ar.

Modele no formato de preferência. Polvilhe a massa com um pouco de farinha. Faça um corte usando uma faca afiada. Corte no formato de cruz. Cubra com um pano ao devolver ao tabuleiro. Aguarde 15 minutos.

Dica extra: aqueça o forno na temperatura máxima durante esse período.

Terminado esse tempo, reduza a temperatura para 200 °C. O pão precisa receber calor em cima e em baixo por 30 a 40 minutos. Quando o pão estiver dourado e craquelado, retire-o e coloque-o sobre uma grade de resfriamento.

Dica extra: no forno, coloque um recipiente com água quente. Isso liberará o calor conforme o pão assa. A crosta do pão, certamente, ficará crocante. No entanto, cuide para selecionar um recipiente adequado para ir ao forno.

O pão de espelta caseiro integral estará pronto. Você pode servi-lo em seguida ou cortá-lo em fatias. Ele pode ser embalado em um plástico filme depois de esfriar completamente.

Espelta

Exposição do trigo espelta a pesticidas

O trigo de nome espelta tem uma vantagem e desvantagem em relação ao trigo tradicional. Primeiro, a desvantagem: sua casca é muito espessa. A casca do trigo convencional, por exemplo, é mais fina. E qual a desvantagem que isso proporciona?

A casca espessa dificulta o acesso ao interior do grão. É necessário usar uma máquina especial para quebrar a casca desse tipo de grão.

Portanto, é mais prático consumir o trigo tradicional. Essa é uma das razões para se ter popularizado bem mais do que o espelta.

Agora, vem a vantagem. Novamente, é a espessura da casca. Como assim? Ela é vantagem e desvantagem ao mesmo tempo? Sim.

A vantagem fica por conta da casca espessa proteger mais o grão de riscos ambientais. Ela protege contra a ação de várias pragas, insetos e pesticidas nocivos.

Aqui, então, o espelta ganha mais um ponto quanto à questão da alimentação saudável. Consumi-lo no lugar do trigo comum aumenta as chances de alimentação mais saudável, livre de agrotóxicos.

Mercado de trigo no Brasil

O Brasil produz, por ano, entre 10 a 12,5 milhões de trigo. Mais de 80% da área de produção total no país fica na região sul. Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná representam 88% da área de plantação do cereal. A região produz 40% da demanda nacional.

Anualmente o Brasil importa de 6,5 a 7 milhões de toneladas de trigo. O principal parceiro comercial do país é a Argentina. Aliás, parceiro comercial do qual importamos 75% do trigo necessário para abastecer o mercado interno.

O trigo espelta, sem dúvida, tem custo de produção alto por aqui. Certamente, é um dos motivos para não ser tão popular em terras brasileiras. Contudo, o aumento da procura nos últimos anos tem incentivado estudos e experiências para facilitar a sua  produção em solo nacional. Portanto, vale a pena ficar de olho no que essa variedade tem a oferecer.

Tags: ,

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo