Fitorremediação é tecnologia para despoluir o meio ambiente

Inicio » Meio Ambiente » Fitorremediação é tecnologia para despoluir o meio ambiente
21/03/2019 Por
Fitorremediação é tecnologia para despoluir o meio ambiente

Fitorremediação é importante técnica que auxilia na preservação do meio ambiente

Um dos grandes problemas enfrentados hoje em dia por nosso planeta é a poluição ou contaminação do meio ambiente. Entretanto, existem vegetais que, mediante certos métodos, são capazes de auxiliar nessa importante questão da preservação dos ecossistemas. Estamos falando, neste caso, de fitorremediação.

Fitorremediação é uma tecnologia que vem sendo cada vez mais utilizada, recorrendo ao cultivo de vegetais. O termo phyto (fito) significa “plantas”, sendo que o emprego de certos vegetais como “purificadores” de ambientes naturais vem se expandindo desde a década de 1990.

fitorremediação

O que é fitorremediação?

Fitorremediação é, em resumo, remete à ideia de uma tecnologia. Por meio dela, certas plantas são utilizadas para a minimização da ação de agentes poluentes em certos ambientes naturais. Essas plantas podem promover a extirpação dos contaminadores.

Assim, dentre os principais contaminadores do meio ambiente, pode-se citar:

  1. Pesticidas;
  2. Metais;
  3. Óleos do lugar que se encontra em degradação.

Portanto, tendo removido os poluentes, as plantas impedem que estes não sejam transportados por agentes exóginos como chuva e vento. Isso evita que os contaminadores sejam dispersos para outros lugares.

Como funciona a fitorremediação?

Esta tecnologia, surgida na década de 1990, é resultante de pesquisas realizadas em diferentes áreas. Uma das principais vantagens do processo é remover metais pesados, tão nocivos ao meio ambiente.

Há várias formas de aplicar a fitorremediação, de acordo com o tipo de agente contaminador em questão. Outra classificação desse método é quanto ao tipo de uso.

De qualquer maneira, esta tecnologia funciona com mais eficiência em ambientes que apresentam de baixa a média concentração de poluentes.

Assim, o funcionamento da fitorremediação se dá, em linhas gerais, da seguinte forma:

  • As raízes removem químicos do solo. Estas podem se desenvolver consideravelmente no interior do solo, penetrando e atingindo poluentes em zonas profundas;
  • Tendo o poluente entrado no interior das plantas, são propensos a se manter armazenados em suas folhas, caule e raízes;
  • As plantas podem provocar modificações químicas nos agentes poluentes, reduzindo seu perigo em relação ao meio ambiente. Por exemplo, há a possibilidade de tais contaminadores virarem gases devido à respiração dos vegetais.

Tipos de fitorremediação

 

 Há diferentes tipos de fitorremediação:

  • Fotoextração: ocorre a absorção dos agentes contaminadores através das raízes dos vegetais. Estas agem sobre metais como zinco, chumbo, níquel e outros, e também atingem compostos inorgânicos como selênio. Ainda alcançam substâncias orgânicas. Espécies de plantas aptas a este método são: Thlaspi caerulescens, Aeolanthus biformifolius e Alyssum bertonii;
  • Fitoestabilização: xontaminantes de origem orgânica ou inorgânica se incorporam no húmus do solo ou à parede dos vegetais;
  • Fitoestimulação: raízes que estão crescendo permitem que se proliferem microrganismos degradantes na rizosfera. Tais organismos utilizam metabólitos exudados do vegetal, a fim de obter energia e carbono;
  • Fitodegradação: contaminantes de origem orgânica são mineralizados ou degradados. Isso se dá no interior das células destas plantas, por meio de certas enzimas.

Os água pés são boas alternativas para a fitorremediação. Podem se colocados em um lago, que receberá u, efluente com os contaminadores cuja remoção é desejada. Nesse método, o água pé absorverá os agentes poluentes através da raiz. Sabe-se que o aguapé pode se livrar de altas quantidades de metais pesados, níquel, cádmio e fenóis.

fitorremediação

Da mesma maneira, outros tipos de fitorremediação podem ocorrer através em lagoas de rabanetes, macrófitas, beterraba e cenoura, cada planta direcionada a um poluente específico. Essa última remove com eficácia magnésio, ferro, zinco e cobre.

Enfim, fitorremediação é uma tecnologia biotecnológica que objetiva a minimização de efeitos nocivos em solos e em organismos aquáticos. O processo ocorre por meio de plantas. Suas vantagens são o baixo custo e a variedade de contaminadores que pode absorver.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo