Bioindicadores podem indicar se um habitat é saudável ou poluído

Inicio » Meio Ambiente » Bioindicadores podem indicar se um habitat é saudável ou poluído
18/03/2019 Por
Bioindicadores podem indicar se um habitat é saudável ou poluído

Os bioindicadores sinalizam a qualidade de um ecossistema e determinam as características de uma região

Bioindicadores são fenômenos, ou microorganismos, que mostram o impacto ambiental de determinada área: eles alteram o habitat e destacam os efeitos da poluição.

Os bioindicadores podem surgir de diferentes formas como a morte de peixes, procriação exagerada de determinados animais, assim como o nascimento (ou desaparecimento) de organismos em uma floresta, por exemplo.

Bioindicadores

O que são bioindicadores?

Bioindicadores são organismos que revelam a quantidade de poluição em determinada região. Também chamados de indicadores biológicos, eles oferecem pistas sobre a qualidade do ecossistema no qual estão inseridos. Os indicadores ambientais também podem relevar a quanto tempo o problema existe na região indicando, portanto, qual a fonte poluidora. Através destes organismos é possível detectar as irregularidades e, então, analisar as soluções para o ambiente.

Tipos de bioindicadores

Há diversos tipos de indicadores biológicos na natureza, eles podem surgir nas matas, florestas e oceanos. Eles podem aparecer através de organismos vivos ou alterações de comportamento do fauna de da flora.

Alguns exemplos de bioindicadores são os líquens (uma associação entre algas e fungos) que nascem nas florestas, o fenômeno da maré vermelha, nos oceanos, e ainda a própria reprodução e morte de espécies. Todos estes são exemplos, portanto, de indicadores e sinais de alteração do bioma.

Identificando as mudanças ambientais

Alguns exemplos de indicadores já foram apresentados. Para saber como eles agem, vamos conhecer cada um, então:

  • Líquens: indicam qualidade do ar e clima. A morte dos líquens pode estar associada a poluentes a base de enxofre, assim como óxidos de nitrogênio.
  • Maré vermelha: acontece quando algumas espécies de alga (podendo ser tóxicas, inclusive) se proliferam excessivamente. Esse fenômeno pode ocorrer devido as escoamento do esgoto diretamente no mar afetando, portanto, as condições ambientais. A maré vermelha ainda pode causar morte de diversas espécies de peixes e moluscos.
  • Morte de animais: a morte em grande escala de animais é um indicador de que o ecossistema foi alterado. Se os animais estão morrendo de fome, por exemplo, é um indicativo de que a cadeia alimentícia está em desarmonia.

Indicadores biológicos aquáticos

Alterações no habitat aquático podem ser bastante perceptíveis. A morte de animais marinhos e algas é um forte indicativo da qualidade da vida na água. Geralmente essas alterações ocorrem pelo descarte de lixo nos mares e rios, alteração do fluxo de rios e despejo de produtos químicos e poluentes na água.

O meio mais indicado para identificar esses impactos ambientais, então, é estudando espécies que sensíveis à estas mudanças, demonstrando os efeitos da poluição.

Bioindicadores

Principais organismos aquáticos

  • O inseto megaloptera: é geralmente encontrado em regiões com qualidade boa de água. Então, se o inseto desapareceu de um local, é porque o ambiente está poluído.
  • Os precópteros também são insetos aquáticos, da família das libélulas. Vivem em regiões com água de qualidade razoável.
  • A oligochaeta são organismos que possuem concha e vivem em habitats com água de qualidade ruim.
  • A hirundinea, também chamada de sanguessuga, é outro exemplo de bioindicadores. A espécie também habita regiões com qualidade de água bastante ruim.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo