Germoplasma é responsável por melhoramento genético

Inicio » Meio Ambiente » Germoplasma é responsável por melhoramento genético
01/08/2020 Por

Apesar de ser o maior detentor da biodiversidade do mundo, o Brasil depende de transferência germoplasma para os desenvolver programas de melhoramento genético. O germoplasma é dividido em várias categorias: populações locais, linhagens experimentais, cultivares primitivas, mutações, dentre outros derivados de programas de melhoramento, com cultivares modernas.

Para alcançar o melhoramento genético de plantas como vemos hoje, o germoplasma é a matéria-prima.

germoplasma é responsável pelo melhoramento genético

O que é germoplasma?

O termo germoplasma define o material que forma a base física da herança sendo transmitida de uma geração para outra. Podendo ser definido ainda como a soma dos materiais hereditários de uma espécie.

Exemplos de germoplasma

Sementes, pólen, e células são alguns materiais que podemos considerar.

Ao falar sobre a importância do germoplasma, a Embrapa lembra que a maior parte dos produtos que compõem as refeições dos brasileiros não são originárias do Brasil.

Alguns produtos foram introduzidos de outros países e adaptados às nossas condições edafoclimáticas (condições de solo e clima). Como exemplos, arroz, feijão, milho, trigo, soja, algumas frutíferas e hortaliças exóticas.

Isso se deve, principalmente, ao que chamamos de intercâmbio de germoplasma, que é a transferência de patrimônio genético vegetal de um país. Essa transferência segue o princípio de reciprocidade, regida por regras de acordo com a segurança biológica, embasada na legislação fitossanitária.

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia desenvolve atividades de manejo de recursos genéticos, e isso inclui atividades de coleta de amostras vivas. A empresa de pesquisa agropecuária define a coleta de germoplasma como um conjunto de atividades que visam a obtenção de unidades físicas.

Essas amostras devem conter a composição genética de um organismo, ou amostra populacional de determinada espécie, com a habilidade de se reproduzir.

Germoplasma vegetal

Esse intercâmbio de material genético visa suprir os programas de melhoramento genético, com as devidas precauções para evitar a entrada de pragas de um país pra outro.

Essas iniciativas com germoplasma vegetal possibilitaram ao Brasil a realização de pesquisas fitotécnicas na agricultura para obtenção de novas cultivares, adaptadas às nossas regiões, sendo mais resistentes e produtivas.

pólen é um exemplo de germoplasma

Apesar de ser o maior detentor de biodiversidade do mundo, o Brasil depende dessas transferências de germoplasma para os programas de melhoramento genético vegetal.

Porém, assim como o Brasil, todos os países precisam, em maior ou menor escala, de germoplasma exótico (de plantas que não são nativas) para desenvolver o setor agropecuário. Assim, com a introdução de material genético vegetal não-nativo, amplia-se a criação de novas cultivares.

O Brasil hoje conta com os chamados Bancos de Germoplasmas, onde são conservados materiais genéticos de algumas espécies, para a preservação de células germinativas das espécies. A Embrapa por exemplo, mantém um desses bancos de arroz e feijão, criado em 1976. A Embrapa mantém também bancos de hortaliças, pupunha, milho, sorgo, abelhas, dentre outras espécies, animais e vegetais.

Essa preservação através de um Banco de Germoplasma é de extrema importância para a conservação dos genes, possibilitando estudos para materiais mais tolerantes e resistentes, seja ao clima ou contra pragas e doenças. E, além disso, contribuir para alavancar a produtividade do país.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo