Girino apresenta características físicas semelhantes às dos alevinos

Inicio » Meio Ambiente » Girino apresenta características físicas semelhantes às dos alevinos
17/04/2019 Por
Girino apresenta características físicas semelhantes às dos alevinos

O girino vive exclusivamente na água em seus primeiros estágios de vida

O girino é o nome dado ao filhote do sapo e da rã. Este ser é conhecido como o primeiro estágio de desenvolvimento destes anfíbios. Ele tem todo o seu crescimento feito dentro da água e sua alimentação varia de acordo com a espécie. Há tipos de girinos que não se alimentam até sua fase terrestre, em contrapartida, existem aqueles que são de caráter carnívoro e se alimentam de outros animais pequenos.

O girino apresenta dois principais estágios de desenvolvimento e é muito semelhante ao alevino – filhote do peixe. Os ovos de girinos são depositados em lagos ou pequenas poças e permanecem lá até que desenvolvam seus pulmões. Depois desta primeira etapa, os animais passam por mais uma antes de sua fase adulta, para que a sua reprodução seja possível.

Girino

O que é girino?

O termo girino é o nome atribuído à larva ou filhote de rãs e sapos. Este animal é da categoria dos anfíbios e contém um formato semelhante ao dos peixes. Entre suas características principais, ele destaca uma cauda longa e cartilaginosa, não possui membros e suas brânquias são externas nas primeiras fases.

Esta fase da vida das rãs e dos sapos é a inicial, portanto, não possuem quase nenhuma das características do animal já adulto. O coração, por exemplo, apresenta apenas um átrio e um único ventrículo, muito semelhante aos alevinos – filhotes de peixes.

Os girinos vivem em lagos ou pequenas poças de águas, como as bromélias. Em determinados tipos de habitats, os animais desenvolvem características adaptativas em seu corpo, como ventosas, por exemplo, para evitar que sejam arrastados por correntezas.

O tempo de metamorfose varia em cada grupo, acordo com a espécie. Até o que ciclo se complete e o animal se torne adulto, pode levar até 10 meses desde o nascimento. A maior parte das espécies não permanece junto à prole para alimentação ou cuidados; eles despejam os ovos e seguem com o ciclo reprodutivo. Por isso, muitos girinos não sobrevivem; já que, além da dificuldade de se alimentar, são alvos de caça de outros anfíbios.

Alimentação dos girinos

A alimentação dos girinos está divida em duas fases principais: os primeiros dias e quando suas patas se desenvolvem. A primeira delas é classificada como fase herbívora, em que os girinos se alimentam de algas e detritos vegetais em poucas quantidades.

Com o passar dos dias e o crescimento das patas, os animais entram na fase ominívora, ou seja, passam a se alimentar de larvas, minhocas, moscas e pulgões.

Existem algumas espécies de girinos que são carnívoras desde o início e podem consumir até mesmo outros girinos. Os membros digestivos destes animais se desenvolvem de forma mais rápida e são capazes de metabolizar tais alimentos.

Girino

Além disso, eles contém pequenos dentes e uma espécie de bico em formato córneo – presente em aves e que serve para quebrar alimentos com maior facilidade. Por outro lado, existem também os que não se alimentam de nada. Este o caso dos girinos que sobrevivem das reservas nutritivas de seus ovos.

Como acontece o desenvolvimento do girino

O desenvolvimento do girino acontece exclusivamente dentro da água por meio de metamorfoses. A metamorfose é um processo pós embrionário em que acontece o desenvolvimento das espécies até sua fase adulta.

No caso dos girinos, em sua primeira fase, eles respiram exclusivamente pelas brânquias externas. Com o passar do tempo, estes organismos são absorvidos pelo animal e se tornam internos. Entre outras transformações, é possível observar a reabsorção da cauda e o aparecimento de membros posteriores e anteriores. Esta primeira etapa da vida dos girinos pode durar até três meses.

Após o surgimento de outros membros, os animais começam a se preparar para a vida terrestre. Deste modo, acontece o desenvolvimento de dois pulmões e há mudanças na estrutura do coração. Uma vez que o coração se forma, é possível que os animais saiam da água e sua respiração – que antes acontecia apenas por brânquias – passa a ser pulmonar.

Após o desenvolvimento completo dos girinos, os animais passam para a fase imago, e depois se transformam em rãs ou sapos adultos. O período de crescimento deste animal pode durar entre 39 semanas e 10 meses, e atingem maturidade sexual logo na segunda etapa de vida.

Outro ponto importante sobre os girinos é que a maior parte deles não consegue atingir a fase adulta em razão da alta predação.

Na cadeia alimentar, os ovos dos girinos são caçados por peixes, larvas, serpentes, insetos e alguns outros anfíbios. Por isso, como estratégia para que alguns consigam sobreviver à caça, os animais depositam uma grande quantidade de ovos.

Girino

Diferença entre alevino e girino

Os alevinos e os girinos são muito confundidos na natureza, e isso acontece em razão da semelhança física entre eles. O termo alevino faz referência ao filhote do peixe em seus primeiros dias de vida, já o girino se refere ao do sapo.

Contudo, os dois animais são exclusivamente de água e suas estruturas morfológicas são muito semelhantes. Um bom exemplo disso é que a chegada dos animais na natureza ocorre por meio de ovos, em que recebem carga nutritiva dos progenitores. Além disso, apresentam de uma cauda longa e cartilaginosa em sua formação.

O tipo de alimentação é semelhante e, assim como os girinos, há espécies de alevinos que se alimentam por um período apenas das reservas nutritivas em seus sacos vitelinos até atingirem a próxima fase de crescimento. Da mesma forma que outras espécies, de ambos os animais se alimentam de pequenas larvas e animais pequenos.

A principal diferença entre o alevino e o girino são as suas fases de desenvolvimentos no período da metamorfose. Enquanto os alevinos, após atingir sua fase adulta, vão continuar em vida aquática e respirando pelas brânquias; os girinos iniciam sua vida com uma respiração interna exclusiva e vivem na água, do mesmo modo que os peixes. Contudo, logo em sua segunda fase de vida, são animais terrestre e com um desenvolvimento respiratório mais desenvolvido. Em outras palavras, podem sobreviver dentro e fora da água.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo