Importação no Brasil e os seus reflexos no agronegócio

Inicio » Agronegócio » Importação no Brasil e os seus reflexos no agronegócio
01/03/2019 Por
Importação no Brasil e os seus reflexos no agronegócio

Importação funciona como uma parceria comercial e é essencial para que um país possa prosperar economicamente

A importação de matérias-primas de outros países pode causar preocupação em produtores nacionais, mas visa atender às necessidades internas.

Assim sendo, a importação de mercadorias que um país não é capaz de produzir em quantidade suficiente é inevitável.

Navio cargueiro sendo carregado para a importação de produtos

O que é importação?

Importação é comprar bens ou serviços vindos de países do exterior. Em outras palavras, a entrada de matéria-prima estrangeira em um país. Ou seja, se uma empresa precisa de um insumo aqui pode fazer a importação de outro país. Já se ele precisar de um bem produzido no Brasil, é realizada a exportação do produto para atender a essa necessidade.

A importação e exportação são trocas comerciais que acontecem por diversos motivos, como o climático. Quando um país não tem clima favorável para cultivar soja, por exemplo, precisa importar de líderes produtivos como o Brasil.

Como a importação impacta no agronegócio no Brasil?

Ao contrário da exportação, que significa vender um produto para outro país, a importação pode prejudicar produtores nacionais. Isso porque, para produzir produtos do agronegócio no Brasil é preciso arcar com altos impostos e taxas. Então, comprar produtos de fora acaba sendo bem mais barato do que negociá-los internamente.

Contudo, é notável a diferença entre os produtos mais importados e os mais exportados pelo país. Enquanto as importações brasileiras giram em torno de produtos do setor automobilístico e tecnológico, as exportações destacam o agronegócio.

O Brasil é o terceiro maior exportador agrícola do mundo, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Dos 10 principais produtos exportados pelo Brasil, em 2017, sete são desse setor. Entre eles: soja triturada, açúcar de cana, carne de frango, celulose, farelo de soja, café cru em grãos e carne bovina. Juntos, responderam por 26,8% de um total de US$ 74 bilhões exportados. As informações são da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil e Comex do Brasil.

Fertilizantes e máquinas para agricultura estão entre os produtos mais importados pelo agronegócio brasileiro

Quando o assunto são as importações, chama atenção a dependência do país pela importação de fertilizantes. Cerca de 76% deles precisam ser importados de estrangeiros, enquanto a produção local não chega a 15% do mercado.

Outros bens com grande demanda pelo agro nacional foram as máquinas para agricultura. No acumulado de janeiro a agosto de 2018, aumentaram 38,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. A maior parte se refere a máquinas não produzidas no Brasil, como colhedoras de algodão. O balanço foi divulgado pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

Plantação de soja, um produto que é destaque na importação brasileira

China se destaca na importação de produtos brasileiros

Curiosidade à parte, uma das principais potências da economia mundial é um dos principais parceiros comerciais do Brasil no agronegócio. Também em 2017, sete dos 10 produtos mais importados pela China foram produzidos em território brasileiro. O destaque foi para a importação de soja, uma das principais alavancas do agronegócio no país.

Dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) mostram que as exportações brasileiras para a China chegaram a US$ 47.488 bilhões. Já a importação de produtos chineses atingiram US$ 27.321 bilhões. Isto é, só as negociações com a China resultaram em um superávit de US$ 20.167 bilhões para o Brasil.

Agro20 | Portal Vida No Campo