A infestação é um risco à produtividade no agronegócio

Inicio » Agronegócio » A infestação é um risco à produtividade no agronegócio
28/04/2019 Por
A infestação é um risco à produtividade no agronegócio

Infestação é, por definição, o ato ou efeito de infestar.

A infestação é uma palavra amplamente difundida e temida por aqueles que desejam manter a produtividade de suas plantações ou rebanhos no mundo da agropecuária.

Há agentes de infestação em todos os ambientes e, portanto, quase todas as atividades econômicas estão sujeitas a esse problema. No entanto, é no campo que os casos de infestação causam os maiores prejuízos.

Infestação

O que é infestação?

Infestação é o ataque violento por um organismo de forma ampla e relativamente uniforme sobre uma área ou indivíduo. Na medicina, infestação é uma infecção por parasitas macroscópicos (como piolhos e vermes) que se instalam na superfície ou no espaço interior de um órgão.

Infestação na lavoura

A infestação de insetos e pragas, desde o plantio até à colheita, sempre foi uma ameaça à produtividade dos cultivos. Independentemente do sistema de produção utilizado, uma infestação pode destruir uma lavoura.

Há uma infinidade de agentes de infestação que afetam a produção agrícola no Brasil e no mundo. Porém, um dos mais conhecidos é o gafanhoto, considerada uma das piores pragas da agricultura.

Condições como mudanças na temperatura, na umidade do ambiente ou no índice de chuvas podem fazer com que mais gafanhotos nasçam a partir dos ovos postos pelas fêmeas. Quando eles se proliferam de forma desordenada, se reúnem em forma de nuvem e saem em busca de comida, exterminando centenas de hectares de plantações.

Em 2018, uma infestação de gafanhotos destruiu plantações inteiras de coqueiros no município de Natividade, no Tocantins. Embora sejam assustadores, esses insetos não causam doenças. No entanto, devem ser combatidos porque, em excesso, causam sérios prejuízos aos produtores agrícolas.

Além dos gafanhotos, são comuns os casos de infestação por nematoides. Eles são organismos que atacam as raízes das plantas, Por isso afetam a sua absorção de água e de nutrientes. O resultado é o comprometimento da qualidade da safra.

O uso intensivo do solo, além da falta de rotação de culturas e o uso de variedades sem resistência a esses organismos são alguns fatores que contribuem para proliferação e alta incidência de nematóides.

Outros agentes de infestação nas lavouras são:

  • Formigas
  • Lagartas
  • Cochonilhas
  • Ácaro-da-ferrugem
  • Larva-mineradora (atacam viveiros ou pomar novo)
  • Moscas-das-frutas
  • Moscas-brancas
  • Pulgão-preto

Além dos insetos, há casos de infestação em lavouras causados por fungos.

Como combater a infestação na lavoura?

Há diversas maneiras de combater e evitar os casos de infestação nas plantações e no solo. O manejo de pesticidas é o mais conhecido, mas causa sérios danos ao meio ambiente.

Por isso, novas técnicas menos agressivas estão sendo cada vez mais utilizadas. O controle biológico, por exemplo, é um recurso usado não apenas por pequenos agricultores, mas em grandes plantações.

Atualmente, a tecnologia usada no controle de pragas avançou significativamente e tornou essa prática menos prejudicial ao meio ambiente e muito mais eficaz.

Os produtores, portanto, devem procurar especialistas para descobrir que solução é a mais adequada ao seu produto, não só em caso de infestação, mas também para prevenção.

Infestação

Infestação na pecuária

Na pecuária, o risco é de infestação de parasitas e de insetos que picam os animais e provocam doenças graves. Os parasitas são divididos em dois grupos: internos e externos.

Os parasitas internos mais conhecidos são os vermes. Eles atingem bovinos, suínos e caprinos e são transmitidos pelas fezes e indiretamente pelo pasto. Quando o pasto não é manejado por um longo período, as larvas dos parasitas têm uma taxa alta de crescimento.

Os agentes externos de infestação mais comuns nos rebanhos são os carrapatos e as moscas. Para prevenir a infestação, é importante fazer o manejo adequado e cuidar da higiene das áreas de criação. Além disso, é importante submeter os rebanhos a acompanhamento de um médico veterinário.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo