Inseminação artificial é grande aliada no mundo da pecuária

Inicio » Veterinária » Inseminação artificial é grande aliada no mundo da pecuária
08/04/2019 Por
Inseminação artificial é grande aliada no mundo da pecuária

A inseminação artificial ajuda, principalmente, na evolução genética dos animais

A inseminação artificial é um método comum e muito utilizado na reprodução animal e humana. Todavia, por ser um procedimento relativamente caro, acaba sendo feito apenas por pessoas de maior rentabilidade.

A técnica da inseminação artificial pode ajudar na melhoria genética dos animais, de modo que novas raças surjam e evolua cada vez mais a pecuária brasileira.

Inseminação artificial

O que é inseminação artificial?

A inseminação artificial é uma técnica da medicina humana e veterinária, utilizada para a reprodução assexuada de um animal ou ser humano. Dessa maneira, o sêmen é posto junto ao útero da fêmea em seu período fértil, para que a fecundação aconteça corretamente e o ser venha a reproduzir.

A técnica da inseminação artificial em animais pode ser interessante, principalmente para os pecuaristas, pois isso permite que tenham uma gama maior de animais em sua fazenda, fazendo com que a rentabilidade do local seja diretamente afetada de maneira positiva.

Além disso, a técnica da IA, como é conhecida, serve como opção ao melhoramento genético dos animais. O método científico é baseado em diferentes estudos e é capaz de conseguir avanços para uma determinada raça, tornando-a mais forte, veloz e até mesmo produtiva. O bovino brahman, por exemplo, é fruto da mistura entre diferentes raças, entre elas:

  1. Gir
  2. Nelore
  3. Guzerá
  4. Krishna Valley

O nelore é um dos bovinos usados como base para a técnica de inseminação artificial no Brasil, visto que ele é considerado extremamente versátil ao clima e tem alta resistência a doenças. Os primeiros animais da raça chegaram ao solo brasileiro em meados de 1700 e, após isso, o seu desenvolvimento foi determinante para a pecuária nacional.

Dentro das técnicas veterinárias, a inseminação artificial é vista como uma das mais importantes e eficazes. Durante anos, ela foi usada para erradicação de doenças transmitidas pelo touro, geralmente causadas pela monta natural. Entretanto, com o passar do tempo, veio a ideia de reprodução a partir do um método assexuado.

O uso da IA oferece inúmeras vantagens ao pecuarista, permitindo que o seu futuro rebanho venha a ser potencialmente mais rentável. Entre as principais vantagens estão:

  1. Possibilidade de reprodução mesmo sem a presença do macho
  2. Controle do transmissão de doenças entre animais

Como é feita a inseminação artificial?

Para que o procedimento saia dentro do esperado, é de suma importância que a fêmea a receber o sêmen esteja no cio. Na maioria dos casos, o teste é feito duas vezes ao dia, no período da manhã e a noite, para assim haver plena convicção de que o animal está preparado para o procedimento. A monta dos animais é um dos métodos usados para verificar se a fêmea está pronta.

O período em que o animal foi identificado no cio é marcado, pois o procedimento precisa acontecer até 12 horas após o seu período mais fértil. Com isso, no caso dos animais que entram no cio pela manhã, a inseminação acontece no período da tarde.

Ovelha fruto de inseminação artificial

É importante saber o histórico do animal pois, caso haja alguma anomalia visível, é importante que o método não seja aplicado para não colocar em risco a sua vida. Além disso, aqueles que tiveram filhotes há menos de 45 dias não devem – de maneira alguma – ser submetidos ao procedimento. Dessa forma, o procedimento de introdução do sêmen deve seguir os seguintes passos:

  1. Conter o animal próximo ao troco.
  2. Esvaziamento de seu reto, para assim observar o muco vaginal do animal.
  3. Higienização do períneo e da vulva, evitando um possível contágio.
  4. Preparação dos instrumentos que serão utilizados no procedimento, entre eles a bainha, tesoura, luva e a pinça.
  5. Preparação do sêmen, que deve ser descongelado de maneira gradativa, para não se tornar inutilizável. Geralmente, são descongelados a 37°C.
  6. Calçar as luvas, para evitar algum problema de infecção, tanto no animal quanto no aplicador.
  7. Introdução do aplicador na vagina do animal e o despejo do sêmen. O líquido deve ser aplicado devagar, para não incomodar o animal.

Vantagens e desvantagens da inseminação artificial

As vantagens e desvantagens são visíveis em um método de inseminação artificial. Nesses casos, o pecuarista deve entender o que é melhor ao desenvolvimento dos animais e, por consequência disso, sua fazenda. Entre as principais vantagens estão:

  1. O sêmen tem valor de mercado, podendo ser vendido para outros fazendeiros que desejam fazer esse método de reprodução.
  2. Possibilita a reprodução de animais com proporções muito diferentes, o que seria muito difícil se acontecesse por cruzamento direto das duas raças.

Principais desvantagens:

  1. Precisa de especialistas para a coleta do sêmen
  2. Requer muito tempo de cuidado

Inseminação artificial em humanos

O método da inseminação artificial em humanos consiste na colocação de espermatozoides no ovário da mulher, durante o seu período fértil, para que o corpo tenha melhor aceitação e a fecundação aconteça. Na maior parte dos casos, é um método aplicado em mulheres que têm algum tipo de dificuldade em engravidar. Assim, a técnica é usada como uma chance extra de gestação.

A coleta do sêmen pode ser feita em casa ou no laboratório. Feito isso, as amostras são coletadas para análise e separação das células consideradas imaturas, ou seja, que não terão serventia dentro do útero feminino. Em caso de o homem ser estéril, a opção do banco de sêmen é uma alternativa a qual o casal pode recorrer. Dessa forma, são utilizados espermatozoides de doadores.

Médica realizando inseminação artificial

Durante a parte que antecede a inseminação, é necessário que a mulher tome os remédios receitados pelo médico especialista, visto que eles ajudam no crescimento dos folículos – local onde ficam os óvulos. Quando os folículos estão prontos, o especialista receita outro remédio, cuja função é a de permitir a evolução; e é neste período que a inseminação dos espermatozoides é feita.

Para garantir a total eficiência do procedimento, é recomendado que o homem fique cerca de 5 dias sem ejacular, certificando que o espermatozoide coletado tenha mais qualidade na hora da inseminação. O consumo de bebidas alcoólicas ou de cigarro também deve ser evitado para garantir total eficácia do método.

A contagem de espermatozoides, o formato deles e a garantia de trompas em bom estado, sem cicatrizes ou obstruções também são fatores que podem contribuir com o sucesso do procedimento da inseminação artificial;  e é importante que seja realizada uma bateria de exames específicos antes do procedimento para garantir mais chances de eficiência.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo