Larva não tem capacidade reprodutiva, mas pode danificar plantas

Inicio » Agronegócio » Larva não tem capacidade reprodutiva, mas pode danificar plantas
12/07/2019 Por
Larva não tem capacidade reprodutiva, mas pode danificar plantas

A larva e a ambiguidade de sua existência

É sabido que os insetos (como borboletas e libélulas), sapos e cnidários (como águas-vivas) têm um estágio larval. Mas o que se entende exatamente por larva e quais os efeitos que os insetos causam na vida das pessoas?

Pode-se dizer que uma larva não se parece em nada com o adulto que será um dia. Em alguns animais, para tornar-se “crescida”, ela precisa sofrer metamorfose, ou uma série de mudanças. Vamos tentar entender um pouco mais a respeito de todo esse universo complexo.

Larva

O que é larva?

Larva é um inseto no estágio de sua vida depois de ter se desenvolvido a partir de um óvulo e antes de se transformar em sua forma adulta. Em algumas espécies, a larva é de vida livre, e o adulto é uma forma ligada ou não móvel. Em outras, a larva é aquática e o adulto vive na terra.

Nas formas com adultos não-móveis, a larva móvel aumenta a distribuição geográfica das espécies. Essas larvas possuem estruturas locomotoras bem desenvolvidas.

Entender o que são larvas é entender como funciona um coletor de alimentos. Em muitas espécies, a fase larval ocorre em um momento em que a comida é abundante – e tem um sistema alimentar bem desenvolvido.

Elas armazenam comida para que a transformação para o estágio adulto possa ocorrer. Algumas larvas funcionam tanto na dispersão quanto na nutrição.

A quantidade de tempo no ciclo de vida gasto no estágio larval varia entre as espécies. Alguns têm períodos larvais longos, nascendo cedo, metamorfoseando-se em adultos tarde ou ambos. Alguns organismos têm uma fase larval de vida curta ou nenhuma larva.

Larvas aparecem em uma variedade de formas. Muitos invertebrados (por exemplo, cnidários) têm uma simples larva ciliada chamada planula. O Shistosoma tem vários estágios larvares, e anelídeos, moluscos e crustáceos têm várias formas larvares.

As formas larvais dos vários insetos são chamadas de lagartas, larvas ou ninfas. Equinodermos (por exemplo, estrelas do mar) também têm formas larvares. A larva do sapo é chamada de girino.

Os insetos “bebês”

Insetos são às vezes percebidos como pragas. Na verdade, a mera visão dessas criaturas de várias pernas geralmente remete ao seu controle e extermínio. No entanto, você sabe que os próprios insetos que você teme são realmente úteis?

Existem mais de um milhão de espécies que podem ser encontradas em vários ambientes em todo o mundo. Em vez de perturbações, alguns tipos de artrópodes são considerados parte integrante da maioria dos ecossistemas.

Esses insetos ajudam a humanidade decompondo matéria orgânica e polinizando colheitas. Este é um processo ecológico que pode até mesmo ajudar a aumentar a produção de certas culturas alimentares.

Em vez de temer insetos, tente aprender mais sobre eles para entender seu valor para o meio ambiente. Isso te ajudará a apreciá-los e identificar o que é útil para si e para o seu entorno. Para começar, aprimore seu conhecimento sobre o que são larvas (a fase bebê de alguns seres vivos) e seus tipos.

Larva

Ciclo de vida da larva

“Bebê de inseto” é um termo informal para a larva, que é a forma imatura de alguns seres vivos.

Um corpo de larva é realmente diferente do corpo de um adulto totalmente formado. Isso se dá especialmente porque seus corpos se ajustam ao ambiente em que estão atualmente. Alguns tipos de larvas são dependentes de suas mães devido à imobilidade, no entanto, alguns não são nada disso.

O ciclo de vida de um inseto começa quando o ovo é incubado. A partir daí, a larva se tornará uma pupa, antes de se tornar um adulto completo. Lagartas são algumas das larvas mais comuns.

Essas criaturas minúsculas mais tarde se tornam borboletas quando atingem o estágio crescido. Outras larvas usuais que se encontram em diversas partes do mundo são:

  • Os vermes;
  • A larva da dengue;
  • As larvas de mosca;
  • E até mesmo as larvas de arroz.

Uma vez que eles se desenvolvam e amadurecem, acabam se transformando, já na forma adulta, em besouros e moscas. Muitas vezes, a ação desses animais já formados não é de todo benéfica, prejudicando o homem em diversos aspectos.

Tipos de larvas

As larvas são diversas e podem ser categorizadas em diferentes tipos. Abaixo estão algumas das principais formas que se encontram na natureza:

  • Larvas oligópodes: estes insetos parecem semelhantes aos seus homólogos adultos. Isso ocorre porque suas bocas e cápsulas de cabeça desenvolvidas são um pouco semelhantes às suas formas adultas. Larvas sob esta categoria têm 6 pernas, mas não há os membros abdominais;
  • Larvas protópodes: este tipo eclode de ovos com gemas pequenas. Além disso, muitas vezes elas parecem muito diferentes de outras formas normais de insetos;
  • Larvas eruciformes: as larvas desta categoria vivem perto de seus alimentos e são bastante inativas. Elas têm dois a cinco pares de pernas abdominais e três pares de pernas torácicas;
  • Larvas Ápodas: este tipo de larva não tem pernas ou esclerotina (corpo endurecido). Tem 3 outras formas: Acephalus (larvas sem cápsula da cabeça); Eufáceos (larvas que têm boas cápsulas na cabeça esclerotizadas); Hemicephalus (larvas que reduziram as cápsulas da cabeça que são retráteis para o tórax).

Peste x inseto

Embora tenha havido confusões sobre insetos e pragas, os insetos são classificados de forma diferente. Eles são pequenos animais artrópodes que têm seis patas e um ou dois pares de asas.

Enquanto isso, as pragas são insetos destrutivos que podem ser prejudiciais a você ou ao seu entorno. Isso significa que nem todos os insetos devem ser exterminados. Alguns deles podem contribuir não só para a fertilização das plantas, mas também para o embelezamento do meio ambiente.

Embora alguns insetos possam ser destrutivos, existem aqueles que contribuem imensamente para a natureza. Para identificar quais são úteis e quais não são, é necessário que você continue melhorando seu conhecimento sobre o maior grupo do reino animal.

Larva

Larva da dengue

À medida que se desenvolvem, os mosquitos transmissores da doença mudam de formas e habitat. Mosquitos fêmeas, em geral, depositam os ovos acima da linha de água dentro de recipientes que a contêm.

Estes recipientes incluem pneus, baldes, jarros de armazenamento e vasos de plantas. A larva da dengue eclode dos ovos quando recipientes armazenam líquidos, na maioria das vezes, depois da chuva.

Tais larvas são totalmente aquáticas, quer dizer que vivem e acabam se alimentando de microrganismos encontrados na água. Elas, em geral, passam por estágios de desenvolvimento em que fazem a muda, ou perdem a pele três vezes.

Quando uma larva está cerca de 1/4 totalmente desenvolvida, sofre metamorfose em uma nova forma chamada pupa (casulo). Este estágio da vida do mosquito também é aquático.

Após dois dias, o mosquito adulto rompe a pele da pupa, uma vez que já é capaz de voar e seu habitat passa a ser terrestre.

Larvas de mosca

As moscas são as únicas que passam por uma completa metamorfose em cada fase de transição de suas vidas. De ovos a larvas de mosca, depois pupas a adultos. Cada estágio é completamente diferente do anterior e do próximo.

Talvez as mais perturbadoras sejam as larvas de mosca, que eclodem dos ovos. Isso ocorre, às vezes, em menos de 24 horas.

As larvas se alimentam por alguns dias – com o tempo dependendo da espécie. Logo estão prontas para entrar no estágio de desenvolvimento das pupas. A partir daí, elas entram rapidamente no estágio adulto, onde se transformam no incômodo que você e seu mata-moscas estão mais familiarizados.

Larvas no arroz

As bicheiras-da-raiz, ou larvas no arroz, são as pragas com maior ocorrência em todas as lavouras.

Seu ataque gira em torno de 30% a 50%, com perdas chegando a 10%. Ocorrem por conta da elevação da temperatura e a irrigação da área. As larvas no arroz impedem que as plantas absorvam os nutrientes dos solos, pois causam cortes nas raízes.

Em resumo, como se pôde ver, a larva é uma das fases que dá origem aos insetos. Eles são responsáveis tanto por um prejuízo quanto por um benefício à espécie humana. Basta atentar-se para que tipo de atividade exercem e se podem ou não serem exterminados por isso.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo