Leite: características, benefícios e histórico de consumo

Inicio » Pecuária » Leite: características, benefícios e histórico de consumo
08/05/2019 Por
Leite: características, benefícios e histórico de consumo

As propriedades e particularidades do leite

O leite é um alimento presente na vida de todos os seres humanos em qualquer parte do mundo, seja em sua forma natural e como seus subprodutos. Este alimento é popularmente conhecido, sendo base para a alimentação humano. Há diversos tipos de leite existem, sejam eles de origem animal, vegetal e até natural (de mãe para filho). Seus benefícios são enormes e seu consumo é recomendado por especialistas.

O consumo do leite, com o passar dos séculos, foi tornando-se cada vez mais frequente. Além disso, ele é um produto que foi sendo aprimorado para ser usado na fabricação de outros. Iogurtes, queijos, manteiga, margarina, requeijão, doces e muitos outros, são exemplos de produtos feito com o leite como base. É um alimento facilmente encontrado em todos os quatro cantos do mundo.

Leite

O que é leite?

Leite é o nome dado ao produto proveniente da ordenha total e contínua de uma fêmea leiteira em boas condições físicas. Em outras palavras, leite consiste em uma secreção nutritiva vinda das glândulas mamárias de mamíferos fêmeas, produzido antes mesmo do parto.

É um líquido branco, fosco, com mais viscosidade em relação à água, com um aroma quase que imperceptível e um sabor levemente adocicado. Sua constituição varia de acordo com a raça, espécie, alimentação, individualidade, tempo gestacional, entre outros fatores.

De alguns ano para cá, o termo também se aplica ao suco de determinados frutos e plantas. Por exemplo:

  • Leite de coco;
  • De arroz;
  • De soja;
  • De amêndoa;
  • De aveia, entre muitos outros.

Dessa forma, veja a seguir as principais características do leite, como ele é formado, o mercado leiteiro, os animais produtores e os principais tipos de leite popularmente conhecidos.

Como o leite é formado?

O leite é um produto produto formado a partir de elementos naturais do sangue do animal. A água e alguns outros determinados fatores passam direto por filtração, enquanto que, por outro lado, os ácidos graxos, a lactose, os aminoácidos e outros minerais passam por processos de transformações e bioquímicos dentro da mama. Isso resulta na produção da proteína, da gordura, de alguns minerais e da lactose.

Geralmente, é preciso de em média 400 a 800 litros de sangue passar no úbere para que 1 litro de leite seja produzido. Após ser constituído e formado, o leite passa pelos alvéolos mamários, por meio dos canais galactóforos, para a cisterna do úbero e do teto.

História do leite

As práticas de consumo humano do leite natural dos animais expandiu-se rapidamente com o surgimento e desenvolvimento da agriculta. Com isso, a domesticação do gado também foi sendo aprimorada. No entanto, todo esse processo começou no Oriente Média, sendo um dos fatores que impulsionamento a Revolução Neolítica.

O primeiro animal a ser domesticado foi a vaca e, em seguida, a cabra, quase que na mesma época. A domesticação da ovelha deu-se apenas em 9000 e 8000 a.C.

Há suposições em que diz que o leite ocasionou uma mudança importante nos hábitos alimentares das populações de caçadores-coletadores. Eles passaram a ingerir o produto excessivamente e com frequência, com o intuito de receber mais carboidratos.

Essa transformação fez com que as populações de origem euro asiáticas ficassem mais resistentes à algumas doenças (como, por exemplo, à diabete do tipo 2) e mais tolerantes à lactose. Todo esse pressuposto foi feito em comparação a outras populações humanas que só passaram a conhecer o produto derivado da pecuária.

Na época da Idade Média e da Antiguidade, o leite era um produto muito difícil de ser conservado e por isso era consumido fresco ou, até mesmo, em forma de queijo. Com o passar dos anos e dos aprimoramentos, outros laticínios, como a manteiga, foram sendo desenvolvidos.

Por volta do ano de 1830, durante a Revolução Industrial na Europa, surgiu então a possibilidade de transportar o leite fresco dos campos para as zonas urbanas. Tudo isso graças ao desenvolvimento e melhoria dos sistemas de transportes.

No entanto, com o passar dos anos, novos instrumentos na indústria de processamento do leite foram aparecendo. É o caso da pasteurização, criado por Louis Pasteur, no ano de 1864. Em 1886, ela foi sugerida pelo químico microbiologista Franz von Soxlet para ser usada no leite.

Todas esses fatores de inovação, portanto, possibilitaram que o leite tivesse um aspecto mais saudável, maiores benefícios, tempo de conservação e processamento mais adequado e higiênico.

Leite

Animais produtores de leite

O leite de vaca é o mais utilizado na produção de laticínios e o mais conhecido mundialmente, no entanto, ele não é o único adequado para consumo.

O consumo dos mais variados tipos de leite depende especificamente da região e do tipo de animal disponível nela. Por exemplo, nas regiões árticas é comum usar o leite de baleia.

Em escala mundial, existem diversos animais capazes de produzir leite adequado para consumo. Por exemplo:

  • Búfalo: o leite de búfalo começou a substituir o leite de vaca em algumas comunidades europeias. Além disso, ele é usado na produção de queijo de búfala, a chama mozzarella de búfala italiana;
  • Iaque: o leite de iaque é rico em proteínas e gorduras. É um produto ideal para a fabricação de manteigas e alguns laticínios fermentados;
  • Ovelha: o leite de ovelha é rico em proteínas e gorduras;
  • Cabra: leite de cabra é rico em natas e possui grande quantidade de cálcio. Famoso na produção de queijo de cabra, iogurte e, até mesmo, alguns produtos de cosméticos;
  • Camelo: o leite de camelo é muito famoso em regiões com climas áridos;
  • Llama e Alpaca: leite de Llama e o leite de Alpaca tem a produção voltada para consumo local, na Cordilheira dos Andes;
  • Cervídeos: estudos comprovam que o leite de cervídeos é capaz de proteger as crianças contra as doenças gastrointestinais;
  • Equídeos: é um leite rico em hidratos de carbono e muito usado na fabricação de bebidas alcoólicas.

Tipos de leite

São diversos os tipos de leite disponíveis no mercado, cada um com características principais como os valores nutricionais, o aroma e o sabor.

Leite integral

leite integral é o leite de vaca que não passa por nenhum processo para remover as gorduras. Ele é consumido com grande parte de suas características de valores nutricionais originais. Além disso, é o tipo de leite mais consumido mundialmente e também o mais conhecido.

Esse tipo de leite é geralmente comercializado após passar pelo processo de pasteurização (chamado de leite pasteurizado). Dessa forma, esse processo contribui garantindo para o maior tempo de duração do produto e segurança aos consumidores do alimento.

Portanto, são leites com elevado teor de gordura, com alta concentração de vitaminas lipossolúveis (como as vitaminas A, K e as do complexo B), elevada concentração de cálcio e proteínas. Assim, seu sabor é intenso e muito marcante.

Semidesnatado

leite semidesnatado tem apenas 50% do volume de gordura total presente nesse alimento. Isso pois ele passa por um processo que remove metade do teor de gordura. No entanto, diminuir a gordura do leite não afeta nas quantidade de cálcio e de proteínas encontrados no produto. Devido isso, é um opção para quem deseja ingerir menos calorias.

Desnatado

leite desnatado é quando passa por um processo que remove todos as gorduras presentes nesse alimento. Ele é, portanto, o tipo menos calórico. No entanto, ainda possui boas quantidade de cálcio e de proteínas.

Leite de cabra

O leite de cabra, no entanto, não muito consumido e popular no Brasil, possui um valor nutricional importante. Ele possui um maior volume de gorduras em sua composição – fator que pode aumentar o valor calórico. Por outro lado, é muito benéfico por conta da alta concentração de minerais e vitaminas.

Este tipo de leite é muito consumido por pessoas que possuem intolerância ao leite de vaca, uma vez que ele é mais fácil de ser digerido. Assim, é um produto rico em cálcio, proteínas e outros nutrientes importantes para a manutenção da saúde do corpo. O aroma e sabor são mais marcantes em comparação ao leite de vaca.

Leites especiais

Há também os leites “especiais”, que consistem em redução de lactose ou leite sem lactose e os leites enriquecidos com ferro (leite fortificado).

Leites vegetais

Os leites vegetais tem sido cada vez mais procurados pelos adeptos ao veganismo e ao vegetarianismo. Eles são bebidas feitas a partir de cereais, oleaginosas e leguminosas. Portanto, contêm alta quantidade de proteína, minerais e vitaminas. Os mais conhecidos são:

  • De quinoa;
  • De soja;
  • De amêndoas;
  • De arroz;
  • De aveia;
  • De nozes, entre outros.

Além de serem encontrados para vender, esses leites vegetais também podem ser feitos em casa. Muitas pessoas preferem essa última opção pois ela garante mais nutrientes e vitaminas ao produto.

Leite

Mercado do leite

Segundo dados da FAOSTAT (Food and Agriculture Organization of the United Nations), de 2017, os maiores produtores de leite mundialmente são:

  • Estados Unidos;
  • Índia;
  • China;
  • Brasil;
  • Alemanha;
  • Rússia;
  • França;
  • Nova Zelândia;
  • Turquia;
  • Reino Unido.

No mesmo ano, de acordo com dados da MilkPoint, os maiores produtores de leite do Brasil apontaram o estado de Minas Gerais em primeiro lugar.

Sendo assim, Minas Gerais comporta 41% de toda a produção de leite no país. O Paraná ocupa a segunda posição no ranking, responsável por 19% da produção leiteira nacional. Em terceiro lugar está Goiás, responsável por 12% de toda a produção e em quarto o estado de São Paulo, seguido do Rio Grande do Sul, da Bahia e do Ceará.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo