Manjerona pode servir como tempero e destaca propriedades medicinais

Inicio » Agricultura » Manjerona pode servir como tempero e destaca propriedades medicinais
15/08/2019 Por
Manjerona pode servir como tempero e destaca propriedades medicinais

Erva manjerona pode ser usada de diferentes maneiras para que se aproveite seus benefícios

Bastante utilizada como tempero em diferentes receitas, a manjerona é uma planta que pode ser facilmente encontrada em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação ou até feiras livres.

Geralmente utilizada na produção de chás, óleos e até mesmo pomadas, a manjerona também é bastante conhecida pelas suas propriedades medicinais; sendo indicada para pessoas que sofrem com problemas digestivos, inflamatórios e até mesmo relacionados à ansiedade e o estresse.

Manjerona pode auxiliar o sistema digestivo e cardiovascular

O que é manjerona?

Manjerona é uma erva ou planta perene que possui várias propriedades medicinais. Também conhecida pelo nome científico Origanum Majarona, ela pertence à família das mentas, assim como o orégano, por exemplo. Possui um gosto bastante suave e é rica em diversos nutrientes benéficos para a saúde.

Benefícios da manjerona

Como já dissemos, a manjerona é repleta de nutrientes importantíssimos para a manutenção de nossa saúde e bem-estar. Entre eles podemos destacar o ômega 3, responsável pelo fortalecimento de nosso sistema cardiovascular e digestivo. Mas as propriedades da manjerona vão muito além disso.

Entre os principais benefícios da manjerona para a saúde, podemos citar:

  • Manjerona pode combater estresse a ansiedade

A erva manjerona possui propriedades relaxantes que podem auxiliar pacientes em tratamento contra o estresse e ansiedade. Da mesma forma, ela também pode ajudar na prevenção de algumas complicações de origem neurológica, incluindo o Alzheimer; doença neurodegenerativa que atinge milhões de pessoas em todo o mundo.

Estudos indicam que receitas com manjerona podem exercer essa função preventiva, pois melhoram a atividade cognitiva do cérebro. O indicado é que, para se beneficiar dessas propriedades, o paciente consuma um chá ou utilize o óleo da erva para realizar uma massagem relaxante.

  • Manjerona beneficia a saúde do coração

Conforme citado, o coração é um dos maiores beneficiados pelo consumo da manjerona. Isso porque, além da presença do ômega 3, a erva ainda conta com antioxidantes que atuam diretamente nos vasos sanguíneos, diminuindo consideravelmente a pressão arterial.

  • A erva ajuda a amenizar sintomas da TPM

A grande maioria dos sintomas da TPM ocorre devido as mudanças hormonais que ocorrem durante este período. No entanto, estudos indicam que o chá de manjerona pode regular os hormônios e todo o ciclo. Com isso, além de ser indicado para aliviar estes sintomas característicos, ele também é recomendado para tratamento de ovário policístico.

  • Manjerona possui propriedades anti-inflamatórias

Além de todas as outras propriedades já citadas, a manjerona ainda destaca uma ação anti-inflamatória. Dessa forma, além de curar diversas infecções, ela pode atuar como uma alternativa caseira para o tratamento de gripe, resfriados e até mesmo dores musculares.

  • Manjerona melhora o metabolismo e ajuda quem sofre com diabetes

A manjerona também pode ser utilizada como óleo essencial. Assim, ela atua em nosso organismo estimulando a secreção de sucos digestivos e glândulas salivares. Isso, consequentemente, contribui de maneira direta com a nossa digestão.

Além disso, a erva pode auxiliar o tratamento de pessoas que sofrem com diabetes. Isso porque ela ajuda a equilibrar os níveis de açúcar em nosso sangue, inibindo a atuação das enzimas que aumentam a intolerância à insulina.

Como posso incluir a manjerona em minha dieta?

Tendo em vista a versatilidade da planta manjerona, não é difícil imaginar formas variadas de incluir o consumo da erva no dia a dia; facilitando a absorção de seus muitos nutrientes e, principalmente, benefícios.

Manjerona pode auxiliar o sistema digestivo e cardiovascular

Assim, a manjerona planta é bastante empregada como tempero para saladas e carnes de maneira geral. A ideia ao utilizá-la como tempero é suavizar algum dos ingredientes presentes no prato. O ideal é utilizar a manjerona fresca e adicioná-la ao alimento apenas na hora de servir.

Fora isso, ainda é possível elaborar um chá com a planta. Para isso, basta colocar 20 gramas de folha em um litro de água fervente e deixar a mistura descansar por cerca de 10 minutos. Em seguida, basta coar e beber. O recomendado é consumir um máximo de 3 xícaras por dia.

Por fim, a terceira forma mais utilizada da erva é por meio do óleo de manjerona. Para isso, geralmente é utilizada a técnica de arraste à vapor, onde as folhas da planta são colocadas junto com água em um recipiente aquecido. Assim, as altas temperaturas rompem estruturas específicas da planta, liberando os óleos essenciais.

Dessa forma, a substância extraída pode ser utilizada em massagens, compressas, inalações, aromatização e spray ambiental. Ao entrar em contato com nosso organismo, eles desempenham suas propriedades terapêuticas e medicinais.

Efeitos colaterais da manjerona

A grande verdade é que a maioria das pessoas que consomem a erva, em qualquer que seja o seu estado, não apresentam nenhum efeito colateral. Entretanto, existem relatos de casos de dermatite de contato, constipação, dor de cabeça e até mesmo prisão de ventre. Portanto, é ideal consumir a planta com moderação.

Além disso, é bom saber que o seu uso é contraindicado para mulheres gestantes ou que estejam amamentando. Também não é aconselhado o uso para crianças até os 12 anos de idade. Isso porque esta planta influencia diversas alterações hormonais que podem ser prejudiciais durante esta etapa da vida, podendo prejudicar o desenvolvimento do corpo.

Óleo de manjerona

Além de ser utilizado de maneira individual, o óleo de manjerona pode ser misturado com outros óleos essenciais. No entanto, para realizar esta mistura, é ideal que você saiba com quais óleos está mexendo e quais são suas propriedades.

Manjerona pode auxiliar o sistema digestivo e cardiovascular

Entre os exemplos de óleos essenciais que podem ser misturados ao óleo essencial de manjerona para a obtenção de resultados positivos, podemos citar:

  • Óleo de alecrim: auxilia no combate ao cansaço mental, falta de memória, dificuldade de concentração, dor de cabeça, enxaqueca, dores musculares e dores articulares.
  • Óleo de lavanda: controla o excesso de estresse, dor de cabeça, resfriados, insônia e problemas respiratórios;
  • Óleo de canela: combate o cansaço físico ou mental, tonturas, irritabilidade, dor de cabeça, falta de concentração, cólicas menstruais e dificuldade em relaxar.
  • Óleo de jasmim: propicia a diminuição da líbido, problemas respiratórios, excesso de estresse, depressão e tensão muscular.
  • Óleo de bergamota: ajuda a combater o estresse, depressão, ansiedade, infecções da pele, má digestão.
  • Óleo de camomila: combate o excesso de estresse, tensão muscular, depressão e inflamação do sistema urinário.
  • Óleo de eucalipto: problemas respiratórios, dor de cabeça, enxaqueca, dores musculares, febre e tensão muscular.
  • Óleo de limão: combate a falta de concentração, ansiedade, excesso de estresse, falta de energia, sistema imune enfraquecido, dor de cabeça, má digestão e febre.
  • Óleo de sândalo: alivia dor no peito, excesso de estresse, tensão muscular, diminuição da líbido.
  • Ilangue-ilangue: este óleo combate a ansiedade, excesso de estresse, dor de cabeça, náuseas, pressão alta, problemas intestinais ou redução no crescimento de pelos.

Eles podem ser misturados ao óleo essencial de manjerona, proporcionando os mais diversos benefícios em nosso corpo simultaneamente.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo