O Mercadão Municipal de São Paulo e a sua importância histórica

Inicio » Agronegócio » O Mercadão Municipal de São Paulo e a sua importância histórica
17/05/2019 Por
O Mercadão Municipal de São Paulo e a sua importância histórica

O Mercadão Municipal é considerado um centro histórico da cidade de São Paulo e conta com uma imensa variedade de produtos

O Mercado Municipal de São Paulo – popularmente conhecido como Mercadão Municipal – está localizado no berço da capital paulista e chama atenção dos turistas pela variedade de produtos que oferece. Foi fundado em 1933 com intuito de oferecer um novo espaço para comerciantes autônomos e substituir o antigo mercado.

Planejado segundo moldes europeus, o Mercadão Municipal chama atenção até hoje pela arquitetura moderna. O local é espaço de muitos alimentos inusitados, incluindo desde frutas e queijos até vinhos, castanhas, carnes e pescados. Entretanto, o que mais conquista os turistas são as famosas barracas de frutas exóticas; todas abertas para degustação. Chamarizes de novos clientes, elas ganham o público com sabores que só se encontra por lá.

O Mercadão de São Paulo é muito mais que um local de venda e compra de alimentos; o espaço também conta com uma área destinada à eventos culturais. É espaço pra artesanatos de todos os tipos, incluindo shows culturais e eventos de gastronomia. Além de oferecer oportunidade para comerciantes autônomos, como forma de divulgação do trabalho; também serve para atrair diferentes públicos e diversificar os frequentadores do local. Prova disso é que os comerciantes comentam sobre a importância histórica que o local agrega para a cidade e porque ele é tão procurado.

O Mercadão Municipal conta uma imensa variedade de produtos

O que é o Mercadão Municipal?

O Mercado Municipal Paulistano, também conhecido como Mercadão Municipal, é um importante mercado público da cidade de São Paulo. O estabelecimento está localizado no centro histórico da cidade e foi projetado pelo engenheiro Felisberto Ranzini, também responsável pela Pinacoteca e o Teatro Municipal.

O projeto de Ranzini foi elaborado em 1925 e a construção demorou apenas sete anos. Ele foi inaugurado em 1933 e, por isso, já faz parte da vida dos brasileiros há mais de oitenta anos. A estrutura do local é referência para muitos arquitetos até hoje, e destaca vitrais incríveis na lateral; além de um teto com luz solar. O edifício passou uma reforma há alguns anos – época em que foi construído um mezanino para os restaurantes.

A especialidade de comercialização do mercado está voltada para o ramo das frutas, carnes, temperos, frutos do mar e outros produtos alimentícios. A diversidade e a qualidade das frutas e dos alimentos é o que mais chama atenção dos clientes no Mercadão. Há também aqueles que vêm de fora de São Paulo apenas para aproveitar as mercadorias.

Jéferson Carlos, 23 anos, trabalha na loja de lembranças do Mercadão há 3 anos e conta que “as pessoas vêm pra cá procurando lembranças da cidade e gostam de comprar chaveiros. Quando a fome bate, uma opção popular é o lanche mais famoso, de mortadela. É muito saboroso e, por isso, um dos mais consumido entre os turistas. Já uma outra parte do público vêm em busca de frutas exóticas, como a pitaya, por exemplo”

Qual a origem do Mercadão Municipal?

A origem do edifício se deu em 1925. Ele foi planejado pelo engenheiro Felisberto Ranzini e o arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo. O principal objetivo da construção era de ganhar renome de “Metrópole do Café” no período em que a cidade buscava valorizar suas zonas centrais.

A arquitetura foi inspirada em uma ideia de modernidade, combinada com o aquecimento econômico da produção cafeeira. Além disso, a construção do Mercadão se enquadra nos moldes das cidades europeias no final do século XIX. A primeira função deste mercado foi servir de armazém para pólvora e munições. Somente após a Revolução Constitucionalista de 1932 foi que o mercado assumiu suas atuais funções.

O Mercadão Municipal é um centro histórico de São Paulo

Em 2004, o estabelecimento ganhou uma reforma completa; e a tão conhecida fachada e o vitral foram recuperados durante o processo. Além disso, um mezanino foi construído para que os restaurantes pudessem ser separados da venda de frutos e outros alimentos.

Por conta da reforma, o Mercadão é, hoje, um dos pontos turísticos mais frequentados pelos paulistanos e turistas. A partir de uma parceria de iniciativa privada, em 2006 foi construído no mezanino o Mercado Gourmet; espaço voltado para sediar eventos de gastronomia, shows musicais, feiras de artesanato e outros do gênero.

O que fazer no Mercadão Municipal?

A variedade de coisas para fazer no mercado pode deixar o visitante confuso, pois são muitas as barracas e os alimentos. E o Mercado já virou mais que um simples ponto de venda de frutas, passando a ser uma parada obrigatória para turistas e o público local.

Além do sanduíche mais famoso de São Paulo, as frutas inusitadas e os queijos saborosos, o local também conta com um salão de eventos para aumentar o público e tornar o local ainda mais convidativo.

“É um espaço bem democrático e eclético, porque tem como explorar e encontrar de tudo por aqui. Nós somos muitos ‘Brasils’ em um Brasil só, e esse é um local de muito acolhimento por conta da diversidade”, comenta a comerciante Josie Azevedo; que participa da feira de artesanato da edição Abril-Maio 2019 do Mercadão pela primeira vez.

Sanduíche de mortadela do Mercadão

Um dos sanduíches mais famosos do local, o de mortadela têm uma história. No mesmo ano da inauguração, em 1933, foi aberto um estabelecimento fundado por dois irmãos portugueses. O lugar é conhecido até hoje como o Bar do Mané.

Por meio de uma brincadeira entre os funcionários, foi feito um lanche com uma quantia exagerada de mortadela, e isso despertou a curiosidade dos clientes; fazendo com que os bares em volta passassem a fazer igual, fazendo da receita um mito na culinária paulistana. Não apenas o lanche é servido no local, mas eles também produzem deliciosos bolinhos de bacalhau.

Frutas exóticas do Mercadão

Outro ponto que chama muito a atenção dos clientes são as frutas exóticas. Elas são caracterizadas pelo sabor, formato e cheiro diferenciados, e ganham o paladar dos clientes.

“São frutas que você não encontra em qualquer lugar, de forma geral. Aqui é um mercado em que você não encontra banana, por exemplo, que é uma fruta normal dos mercados. E mesmo as frutas usuais, como o morango e a laranja, são muito diferentes. A cor, o cheiro e o sabor são diferentes das que vemos nos mercados de bairro. A qualidade é diferente, e as frutas são maiores e mais suculentas”, comenta Jéferson Carlos, funcionário do Mercado.

Uma das combinações que facilmente pode ser degustada entre uma barraca e outra é a tâmara com morango. A tâmara é uma fruta conhecida como uma espécie de chocolate natural. Desta forma, quando ela é combinada com o morango, compõe uma mistura muito saborosa e saudável.

Além desta, o Mercado conta com uma variedade imensa de frutas exóticas, nacionais e internacionais. As mais conhecidas e populares são: pitaya, cherimoia, lichia, romã, kino, cupuaçu e cambuci.

O Mercadão Municipal conta com um espaço destinado para eventos

Salão de eventos do Mercadão

O salão de eventos do Mercadão Municipal, inaugurado em 2006, é espaço de muitos eventos culturais como forma de atrair diferentes públicos para o local e proporcionar um espaço de venda para comerciantes autônomos. Por isso, a comerciante Leonize, 58 anos, que trabalha há 6 anos com produtos artesanais da Amazônia, participa do salão de eventos do Mercadão todas as vezes em que é aberto para o público.

“É tudo muito difícil para o comerciante de pequeno porte e não conseguimos montar loja uma física. É essencial para nós (comerciantes) este tipo de espaço, pois ele serve para que possamos divulgar nosso trabalho; além disso também proporciona o contato com novos clientes”, comenta a dona da marca ‘ManaBanana Amazônia’.

Produtos de sucesso do Mercadão

Desde os queijos, vinhos, amêndoas e frutas até os produtos de açougue, os camarões e os pescados; o local destaca uma divisão de barracas para cada tipo de comércio, e faz com o que vários públicos se encontrem em um só espaço. As barracas de frutas, por exemplo, têm como carros-chefe as frutas importadas.

“A pitaya amarela e a atemóia são as frutas mais procuradas por aqui, até por serem encontradas apenas no Mercadão”, comenta o comerciante Raimundo de Souza Neto, 60 anos. A importância do estabelecimento trabalhar com estes produtos inusitados faz com o que o público conheça ainda mais sobre a cultura de outros países; e de outras regiões do Brasil também.

Outro produto de muita procura no local é o queijo; oferecido com qualidade única e, mais uma vez, do tipo que só se encontra no Mercado Municipal.

“Os melhores queijos da barraca são os holandeses e os italianos. O tempo de cura (maturação) é diferenciado dos brasileiros e, por isso, são muitos procurados por aqui. O inverno é a melhor época para a venda, pois eles combinam muito com vinho. Muitas pessoas, inclusive, vêm para cá procurando vinho e acabam parando aqui para levar o queijo que melhor acompanha”, comenta Caíque Gustavo Almeida, 23 anos, comerciante do Mercadão.

A importância do Mercadão

O Mercado Municipal SP tem uma importante relevância histórica para a cidade de São Paulo em termos de formação histórica. Da mesma forma, também demonstra uma importância gastronômica para a formação da cultura da capital paulista.

O local é tão conhecido no Brasil que pessoas de fora da cidade vêm apenas para o conhecer e desfrutar das delícias que ele oferece. O espaço conta com uma imensa variedade de lanches, frutas, aperitivos e muitos outros tipos de gastronomia. Atualmente é impossível falar de alimentos inusitados e não pensar no Mercadão Municipal SP como referência de variedade e qualidade nos produtos.

*Artigo escrito com colaboração de Marilia Gouveia.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo