Miasma foi base de teoria que defendia transmissão de doenças pelo ar

Home » Meio Ambiente » Miasma foi base de teoria que defendia transmissão de doenças pelo ar
29/09/2019 by
Miasma foi base de teoria que defendia transmissão de doenças pelo ar

Transmissão de doenças por miasma amedrontou a humanidade por muito tempo

Teoria da Evolução, Teoria da Relatividade e Teoria do Big Bang são apenas uma das teoria mais conhecidas. No entanto, outras teorias também assolam a população desde o início da vida na Terra. Uma outra teoria que assolou a humanidade por muito tempo foi a da transmissão de doenças por miasma.

Mas, para compreendê-la é preciso compreender o que é miasma. Além de entender como aconteceu sua relação com a transmissão de doenças. A essa teoria, damos o nome de Teoria Miasmática, ideia essa que foi bastante difundida na Idade Média.

miasma e pântano onde substâncias podiam ser encontradas

O que é miasma?

O miasma, segundo define o dicionário, é quando acontece a exalação de substâncias advindas de animais ou vegetais em decomposição. Mas, além disso, também se refere ao que é fétido, ou seja, a emissão de matérias fétidas que têm sua origem em matérias ou locais pútridos. Sendo assim, o miasma era considerado como o causador de doenças.

O que foi a Teoria Miasmática?

A teoria miasmática partia do princípio que o miasma provocava o aparecimento das doenças. Diante disso, uma crença se disseminou de que odores, resíduos nocivos da atmosfera, do solo e de gases provocam as patologias. Mas como as matérias poderiam ocasionar tais males?

Segundo o que acreditavam os habitantes do período medieval, as substâncias eram disseminadas pelo vento, e ao chegar em um determinado indivíduo, ele adoecia. A teoria ganhou muita notoriedade, principalmente, após o fim do Império Romano, uma vez que a limpeza não era prioridade.

Sendo assim, houve descuido em relação a higiene e ao sistema de saneamento básico. Outro agravante contribui com a disseminação da teoria miasmática. Como não era de conhecimento da população que ratos e demais insetos eram capazes de transmitir doenças, não existia preocupação em relação a esses animais.

Quais curiosidades assolam a Teoria dos Miasmas?

O médico inglês Thomas Sydenham e o cientista e médico italiano Giovanni Maria Lancisi foram os responsáveis por formular a teoria no século XVII. Segundo eles, as doenças eram provenientes dos miasmas, que por sua vez, eram formados por odores e cheiros que vinham da matéria orgânica que estava se decompondo e locais como pântanos.

Muitas das doenças que conhecemos hoje, tiveram seu nome baseado na teoria da dispersão de doenças pelo ar. Um exemplo é a malária, cuja origem mala aria significa maus ares.

Fora isso, algumas das medidas de saúde que adotamos, foram baseadas na teoria de transmissão de doenças por miasmas. São exemplos destas ações, a criação dos sistema de esgotos e o enterro de cadáveres.

Uma outra curiosidade é que surgiu uma nova teoria sobre o surgimento de doenças apenas no século XIX. E tal ideia foi estudada pelo anestesista John Snoow. Ao realizar experiências que relacionavam a manifestação da doença com a água contaminada, conclui-se que a contaminação se dava  ao ingerir o líquido.

miasma e exemplo de matéria em decomposição

Os estudos concluíram ainda que a doença se disseminava de uma pessoa doente para uma saudável, e se multiplicava. A essa ideia, foi dado o nome de Teoria do Contágio.

No entanto, os burgueses daquele época não apoiavam tal ideia. Porque se acreditassem que as doenças eram contagiosas, estariam concordando que as pessoas precisariam se ausentar das atividades. Isso, portanto, afetaria a economia local.

Logo, era mais viável acreditar na teoria de transmissão de doença pelo ar, ou melhor, pelo miasma, como justificativa para enfermidades.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo