Organogênese é uma etapa do processo de desenvolvimento de embriões

Inicio » Veterinária » Organogênese é uma etapa do processo de desenvolvimento de embriões
20/10/2020 Por
Organogênese é uma etapa do processo de desenvolvimento de embriões

Organogênese é o princípio do desenvolvimento do zigoto, e faz parte da embriogênese animal. É a primeira parte do desenvolvimento de uma célula-ovo, também chamada de zigoto. Assim sendo, a organogênese acontece da quarta semana à oitava semana do desenvolvimento.

Com o início da organogênese, o embrião começa o seu quarto estágio, que é chamado de nêurula. Nesta fase inicia-se a geração do sistema nervoso do embrião. Por conseguinte, esta fase do desenvolvimento embrionar, da quarta à oitava semana, é considerada a fase mais crítica.

Organogênese

O que é organogênese?

Organogênese é o processo em que acontece o desenvolvimento dos três folhetos embrionários. Desta forma, os mencionados três folhetos são: ectoderme, mesoderme e endoderme. Ademais, é justamente nesta fase que ocorre a geração dos órgãos internos.

Nesta parte, as células são divididas e especializadas naquilo que darão origem. As células, por conseguinte, se diferenciam entre si e começam a originar os tecidos distintos e órgãos que irão compor o corpo do ser em formação.

Esse é o período do dobramento do embrião, onde o disco tridérmico é achatado, formando um embrião semelhantemente cilíndrico. Desta forma, desenvolve-se o tubo neural, e com ele começam os dobramentos transversal e longitudinal.

Além disso, para melhor entender o que é organogênese, vamos abordar com mais detalhes os dobramentos e outras partes do processo.

Desenvolvimento através da organogênese

Ao iniciar a organogênese, o zigoto entra em alguns diferentes processos. Além disso, na quarta semana, acontecem algumas fases conforme vemos abaixo:

  • Dobramento do embrião;
  • Conclusão da neurulação.

Assim sendo, o dobramento do embrião ocorre nos sentidos medianos e horizontais. O disco embrionário se converte em um cilindro com formato em “C”. A cabeça e a cauda se formam depois  por consequência do processo de constrição do saco vitelino.

Neste ponto já é possível ver o coração, que já está a bombear sangue no embrião. Ademais, ao final da quarta semana, os brotos dos membros inferiores e superiores já podem ser igualmente vistos, assim como uma cauda de forma curva.

Com o dobramento lateral e longitudinal, formam-se as pregas laterais onde uma parte do saco vitelino constringido torna-se o intestino primitivo. Nesta hora que a endoderma começa a gerar o trato digestivo.

Além disso, a endoderma é a camada mais interna do embrião, que dá origem ao epitélio da faringe, tubo digestivo, bexiga, etc. Após isso, a cavidade abdominal se origina, onde abrigará o coração, sistema digestivo e intestinos.

Nesta mesma fase, o futuro encéfalo é posicionado na cabeça do embrião. Consequentemente, toda a formação acontece gradualmente. Os somitos vão se diferenciando, de modo que geram três regiões diferentes: esclerótomo, miótomo e dermátomo.

Cada uma destas regiões, respectivamente, formará as cartilagens, ossos, músculos e pele. Além disso, uma série de transformações e subdivisões vão acontecendo, por conseguinte, geram-se todos os órgãos e tecidos.

Organogênese

Os folhetos germinativos

Os folhetos germinativos são os originários de todos os tecidos e órgãos do embrião. Assim sendo, cada um deles se divide e origina uma parte específica conforme descreveremos abaixo:

  • Ectoderma: gera o todo o sistema nervoso, epiderme, glândulas hipófise, mamárias e subcutâneas, esmalte dos dentes, medula, meninges e todas as terminações nervosas;
  • Mesoderma: gera o tecido conjuntivo, cartilagem, ossos e músculos; sistema circulatório, rins, órgãos genitais; membranas pericárdica, peritonial e pleural; baço, etc;
  • Endoderma: pele dos tratos respiratório e digestivo; glândulas tireoide e paratireoide, timo; tonsilas, fígado e pâncreas, outros revestimentos epiteliais, etc.

A quarta semana

Na quarta semana, conforme pudemos ver anteriormente, iniciam-se praticamente todos os processos da organogênese que irão se desenvolvendo ao longo da quinta, sexta, sétima e oitava semanas.

O embrião já possui seu formato em “C” e já é possível ver o coração bombeando sangue. Igualmente, pode-se observar a cauda curvilínea e a cabeça bem marcadas. Os brotos dos membros podem ser vistos no 26º dia.

Demonstra-se também a cauda delgada e as fossetas ópticas, igualmente, já está formado o cristalino que dará origem aos futuros olhos.

A quinta semana

Na quinta semana, podemos constatar o avanço do desenvolvimento com algumas particularidades. A cabeça ganha destaque, principalmente pelo seu tamanho acentuado e maior que o restante do corpo. Ademais, a face fica voltada para o coração primordial.

Os membros superiores tomam a aparência de remos, enquanto os membros inferiores tomam forma de nadadeiras. Estes ainda se apresentam como brotos. A região do futuro pescoço começa a ganhar forma.

A sexta semana

Na sexta semana, há um avanço nas formas do embrião. Nos membros superiores, já podemos ver a forma inicial das mãos. Consequentemente, é possível ver o princípio de formação dos dedos. Além disso, os membros inferiores demoram um pouco para tomar forma.

Além disso, começam os primeiros movimentos espontâneos, sendo como contrações bruscas. Já é possível observar a formação da região dos ouvidos. Em contrapartida, os olhos já estão bem desenhados e inclusive com a retina pigmentada.

A cabeça é bem maior e se curva em frente ao peito. O pescoço e o tronco já se mostram como retos. Além disso, nessa semana o embrião já responde ao toque, de forma reflexiva.

Organogênese

A sétima semana

Na sétima semana, os dedos das mãos começam a destacar-se entre si. O intestino primordial já toma uma posição mais próxima da definitiva. A barriga ainda é pequena, por consequência o intestino não pode ser plenamente alocado.

Além disso, os órgãos internos já estão em uma forma bem avançada de desenvolvimento, porém, ainda não estão em funcionamento. Os dentes igualmente já estão em formação, mas dentro das gengivas.

A oitava semana

Essa é a semana final da organogênese. Os dedos das mãos ainda estão unidos por uma membrana, porém, com suas formas já definidas. Os pés estão também em formação, e a cauda ainda existe, apesar de curta e grossa.

Começa-se a formação do couro cabeludo, onde se salienta o plexo vascular. Ao fim desta semana, os dedos já estão completamente separados. Os membros já começam a mover-se intencionalmente de forma proposital.

Os membros inferiores começam a formar os ossos e a cauda desaparece completamente. As feições do rosto já são claramente humanas, embora a cabeça ainda permaneça grande em relação ao resto do corpo.

Os olhos se fecham por conta da fusão da pele. Ainda assim, não é possível distinguir o sexo do bebê. Na oitava semana então se encerra o período da organogênese.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo