Pacu é peixe requisitado no mercado nacional e internacional

Inicio » Pecuária » Pacu é peixe requisitado no mercado nacional e internacional
09/04/2019 Por
Pacu é peixe requisitado no mercado nacional e internacional

O pacu é versátil e pode ser criado em diferentes regiões do país, sendo amplamente desejado no mercado da piscicultura

O pacu, mesmo que de origem amazônica, pode ser facilmente encontrado em diferentes partes do país. A versatilidade da espécie permite que a sua produção seja feita em situações diversas; incluindo desde clima mais quentes até a criação em tanque.

Atualmente, o pacu é visto como uma das principais espécies de peixes que existem no Brasil, sendo requisitado principalmente pelo mercado Europeu que, por conta das baixas temperaturas, tem dificuldades para criar a espécie com sucesso.

Pacu em aquário

O que é pacu?

O pacu é uma espécie de peixe nativa do Brasil. Além de ter criação em larga escala, eles são extremamente lucrativos para a piscicultura, visto que seu sabor o tornou conhecido em diferentes Estados de todo o país. O habitat do pacu é o Pantanal, localizado dentro do Mato Grosso. Todavia, por conta de sua fácil adaptação a variados climas, a sua comercialização é feita em todo o país.

A criação do pacu em outras regiões acontece principalmente dentro de tanques. Dessa forma, o cardume é monitorado e recebe uma alimentação regrada e favorável para o seu desenvolvimento; tendo como objetivo a alta produtividade e o lucro com a comercialização da espécie.

Dentro dos tanques, por conta da alimentação, um pacu não chega a pesar mais que 1,5 kg. Diferente de quando está livre na natureza, onde o seu peso pode chegar a até 18 quilos. Em boa parte do mercado o peixe é vendido por quilo; assim, controlar o seu peso faz com que ele seja vendido inteiro. Isso é, de certa forma, interessante  para o consumidor, visto que ele pode desfrutar e fazer o uso de todas as partes do animal.

Para uma criação adequada no viveiro, é interessante que haja cerca de dois peixes por metro quadrado; garantindo que haja espaço suficiente para o seu desenvolvimento. Outro ponto importante é a infraestrutura do tanque, visto que a quantidade de água no espaço influência na oxigenação do animal.

O mercado da piscicultura cresce a cada ano e é visto como um segmento cada vez mais rentável. Por isso, a comercialização de diferentes espécies de peixes pode ser vantajosa; principalmente daquelas que só são encontradas em território nacional, como acontece com o pacu e o tambaqui.

Pacu e tambaqui

Mesmo apresentando muitas semelhanças, o pacu e o tambaqui são peixes de peculiaridades diferentes; o que é um fator importante na hora da comercialização. Entre as principais características de cada eles, podemos citar:

  • Coloração: o pacu é conhecido por sua a cor acinzentada, enquanto o tambaqui tem a coloração castanha e preta, podendo variar de acordo com a região na qual é encontrado.
  • Peso: quando criado livremente, o peso do tambaqui pode chegar a quase que o dobro do pacu, atingindo cerca de 30 quilos.
  • Alimentação: um pacu se alimenta com variedade apenas quando está no tanque; quando livre, sua principal alimentação são as frutas. Em contrapartida, o tambaqui se alimentar de tudo que encontra pelo caminho, o que também contribui para o seu ganho de peso.

Assim como o pacu, o tambaqui é uma espécie fácil de ser criada; fazendo com que também seja requisitada para criação em tanque. Além disso, o peixe é muito popular no mercado de exportação, sendo bastante popular na Europa e no mercado asiático.

Pacu sendo pescado por homem

Exportação do pacu

Atualmente, o mercado brasileiro está entre os maiores exportadores de pescados em todo o mundo. Durante o ano de 2017, o país exportou cerca de 690 mil toneladas de peixes, faturando 5,4 bilhões; de acordo com dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura – FAO.

Mesmo a exportação do pacu sendo recente, ela é feita com frequência para os países da Europa. Isso acontece por conta de a produção da espécie ser impossibilitada nessas regiões, visto que as altas temperaturas são um fator determinante para a qualidade da espécie de pescado.

A produção e a exportação do pacu podem ser ótimas opções de renda  para os cultivadores de peixe, visto que ainda existe mercado para esse tipo de alimento em desenvolvimento no Brasil. Por isso, tendo em vista a busca por novas práticas alimentares no país, exportar diferentes espécies de peixes pode ser visto como uma aposta interessante e não arriscada.

Pesca de pacu

A pesca do pacu não é simples. Por ser um peixe grande e pesado, o uso de equipamentos mais resistentes é recomendado. Isso porque, quando o anzol utilizado é mais frágil, ele pode ser facilmente serrado pelos dentes afiados do peixe.

Minhocas podem ser uma ótima opção natural de isca para atrair o pacu. Há quem prefira métodos artificiais, nesses caso são utilizados os spinners – espécie de isca artificial.

Por ser um peixe esperto, o pacu não costuma engolir tudo que encontra pelo caminho e, na maioria dos casos, ele apenas belisca a isca. Portanto, é nessa hora que o pescador deve surpreendê-lo e rotacionar o anzol, para que o peixe seja, de fato, fisgado.

Pacu em cor cinza dentro do aquário

Nutrientes do pacu

O pacu é um peixe que pode fazer parte da alimentação desde a infância. Por ser rico em vitamina A, ele é importante para o desenvolvimento do corpo e também pode atuar positivamente no sistema imunológico. Dessa forma, além de fortalecer o desenvolvimento da criança, ele também pode ajudar a evitar uma série de doenças nesse período de maior fragilidade.

Por ser rico em gordura insaturada, o pacu costuma ser recomendado por médicos  e nutricionistas como parte de uma dieta balanceada e nutritiva. No entanto, assim como qualquer outro tipo de alimento,  é recomendado evitar o seu consumo excessivo.

Atualmente, os consumidores estão cada vez mais ligados em assuntos relacionados à qualidade de vida. E para o mercado de pescados isso isso é importante, pois faz com que os peixes – alimentos ricos em nutrientes – sejam cada vez mais consumidos em função dos seus muito benefícios.

Fica clara, portanto, a importância desta espécie específica no mercado brasileiro. Isso porque, além de ser um peixe nativo, o pacu é conhecido como um dos mais fáceis de ser criado; o que o torna uma opção viável de negócio para os mais diferentes investidores do setor da piscicultura.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo