Pantanal é uma área no Centro-Oeste que alaga em determinada época

Inicio » Meio Ambiente » Pantanal é uma área no Centro-Oeste que alaga em determinada época
01/06/2020 Por
Pantanal é uma área no Centro-Oeste que alaga em determinada época

O Pantanal é apontado como uma das maiores superfícies úmidas do mundo

O Complexo do Pantanal, conhecido apenas como Pantanal, é um dos principais biomas brasileiros, formado basicamente de uma savana estepe. Isso significa que a maior parte desse território é alagada. São aproximadamente cerca de 250 mil km² de dimensão.

O Pantanal no Brasil está localizado na região sul do estado do Mato Grosso, assim como no nordeste do estado do Mato Grosso do Sul. Este local abriga uma diversidade enorme de animais e plantas que são características dessa região.

pantanal

O que é Pantanal?

Pantanal é um bioma importante para o Brasil.

As áreas em que a água cobre o solo, estão presentes ou perto da superfície do solo durante todo o ano, são chamadas de Pantanal.

A saturação da água determina, assim, como o solo se desenvolve e os tipos de comunidades de plantas e animais que vivem sobre ele. Essas zonas úmidas podem suportar espécies aquáticas e terrestres.

A presença prolongada de água cria condições que favorecem o crescimento de plantas especialmente adaptadas (hidrófitas) e promovem o desenvolvimento de solos característicos de áreas úmidas (hídricas).

Características do Pantanal

Não há como negar que as características do Pantanal são realmente únicas.

No Brasil, o clima dessa região é quente e úmido durante a época de verão. Já no inverno, o clima é seco e frio. Justamente nessa estação mais seca é quando a temperatura médica alcança 21 °C e praticamente não chove.

O nível de precipitação varia entre 1000 mm até 1400 mm por ano, se concentrando entre novembro a abril, no momento em que a temperatura média marca 32 °C. Durante essa estação acontecem as cheias, formando grandes alagamentos, por conta dos inúmeros rios e relevo plano.

No início do período de seca e água baixa, no solo recém inundado por água repleta de nutriente aparece uma vegetação abundante de erva e capim. Essa vegetação acaba servindo de pasto para animais nativos dali.

O Pantanal tem uma paisagem que se assemelha muito aos pântanos. No Brasil, a área do Pantanal é de 140 mil km². Dessa maneira, ele é considerado a maior planície inundada do planeta.

Vegetação do Pantanal

Em resumo, a vegetação do Pantanal é um verdadeiro aglomerado que acomoda mata, cerrado e savana.

Espécies de plantas como as árvores cambará-lixeira, canjiqueira e carandá são abundantes nessa região. O Pantanal matogrossense também apresenta campos inundados dos mais diversos tipos, brejos e lagoas com vegetações específicas.

pantanal

Em princípio, a formação vegetal é muito comum no bioma Pantanal. O carandazal, que são os campos inundáveis, têm como elemento predominante a palmeira carandá, o buritizal e o paratudo, que é um tipo de ipê.

A flora do Pantanal possui grande capacidade econômica, repleta de pastagem nativa, plantas apícolas, comestíveis, taníferas e medicinais.

Animais do Pantanal

O Pantanal brasileiro também abriga diversos tipos de animais. A sua fauna é rica em espécies de aves, mamíferos, peixes e répteis.

Nessa região há pelo menos 650 espécies de aves espalhadas pelo Pantanal. Entre as aves que habitam essa região se destacam a arara azul gigante, a garça branca, a ema, o carcará e a seriema. Além deles, o tuiuiú é um dos mais conhecidos animais do Pantanal, sendo um verdadeiro símbolo da região.

Já o número de mamíferos que habitam esse bioma é de 124 espécies diferentes. Entre elas encontram-se as capivaras, o veado-catingueiro, o macaco-prego, o bugio, o cachorro do mato e o maior mamífero brasileiro, a anta. O principal mamífero dessa região é a famosa onça-pintada.

O Pantanal também abriga centenas de espécie diferentes de peixes, sendo 253 catalogadas até hoje. Entre os peixes mais conhecidos desse local estão a piranha, o pacu, o dourado, a cachara, o jaú e o pintado.

Agora, entre os répteis, o principal deles é o jacaré. Ainda existem por essa região várias espécies diferentes de cobras, sapos, lagartos e quelônios. E mais: só de borboletas, o Pantanal já catalogou mais de 1,1 mil espécies diferentes.

Melhor época para ir ao Pantanal

O melhor período para eventualmente visitar o Pantanal é durante o período de seca. Esse período é entre maio e setembro. O período durante a estiagem é quando se torna possível observar os animais pantaneiros.

Estamos falando de quando a chuva cessa e a água que ocupava a planície fica totalmente precária, dando lugar ao campo. Apenas poucas e pequenas poças de água permanecem no local. É justamente nesse momento que os mamíferos saem em busca de água e alimento, amontoando-se nessas pequenas poças.

pantanal

Pecuária do Pantanal

Uma das mais importantes movimentações econômicas que estão presentes no Pantanal é a criação de gado. A pecuária por ali surge acompanhada ainda na época da colonização, após toda a mineração de ouro na Baixada Cuiabana. Com o final do ciclo do ouro, então, a criação de gado cresceu na região pantaneira.

Os bois ibéricos, trazidos pelos colonizadores, adaptaram-se rapidamente à região. Assim, os principais produtos comercializados ali eram o charque e o couro, que eram depois exportados pelo rio Paraguai. Posteriormente a raça zebuína foi introduzida ao Pantanal, que gradativamente foi substituído pelo Zebu, principalmente a raça Nelore.

O andamento foi intensificado principalmente após a construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil.

Ainda que essa região pantaneira seja isolada e possua diversos obstáculos, a pecuária conseguiu se expandir e chegou a representar 90% do rebanho no estado de Mato Grosso e 6% do rebanho nacional.

Atualmente o rebanho bovino chega a 5,5 milhões de cabeças de gado. São 270 anos de trabalho sustentável, com utilização de pastagem nativa.

Essa região é nacionalmente reconhecida como uma grande produtora de bezerros. Isso se deve justamente pela dificuldade que essa região possui na engorda do gado.

Por conta do constante alagamento, é inviável colocar o gado em um confinamento. Assim, um sistema intensivo de produção está completamente descartado.

Contudo, uma boa solução encontrada para o desenvolvimento da pecuária é a utilização da pastagem nativa. O único empecilho é que quando a pastagem se esgota, a restauração precisa de maior cuidado.

Cada região do Pantanal possui uma plantação nativa específica, o que torna o manejo mais difícil. Portanto, quando há esgotamento do pasto, a saída é a vedação da pastagem ou diminuição do gado no local.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo