Anta é o maior mamífero terrestre que habita o território Brasileiro

Inicio » Meio Ambiente » Anta é o maior mamífero terrestre que habita o território Brasileiro
24/06/2019 Por
Anta é o maior mamífero terrestre que habita o território Brasileiro

Anta e as principais características deste imenso mamífero

Anta geralmente é uma expressão utilizada para qualificar um pessoa desprovida de inteligência. Mas não se deixe enganar! Esses animais estão entre os mais espertos da Terra.

Além disso, o animal ainda é considerado o maior mamífero terrestre brasileiro. Em resumo, a anta é gigante intelectualmente e também fisicamente.

Anta, ou Tapirus Terrestres, é um animal que pertence ao gênero tapirus, da família tapiridae. Ela integra a ordem dos mamíferos terrestres ungulados, chamados de peryssodactylas.

Anta é o maior mamífero terrestre que habita o território Brasileiro

Esse grupo engloba todos os animais com número ímpar de dedos. Assim, cavalos e rinocerontes, por exemplo, também fazem parte dele.

No geral, o tapirus terrestres possui uma vasta distribuição geográfica. Os bichos podem ser encontrados desde o leste da Colômbia até o norte de Argentina e Paraguai.

Características da anta

Agora vamos falar um pouco sobre as características da anta. Trata-se de um animal de grande porte, que pode medir de 1,70 a 2,0 metros de comprimento. A anta ainda pode atingir a marca de 1,2 metros de altura, pesando até 300 Kg.

Não é a toa que ela recebeu o titulo de maior mamífero terrestre brasileiro e segundo maior mamífero terrestre da América do Sul.

Sua coloração é marrom-acinzentada, e ela possui a narina em forma de probóscide, que se assemelha bastante a uma pequena tromba. Sua anatomia ainda é composta por uma crista sagital proeminente e uma crina que vai do pescoço até a metade da cabeça.

Como dissemos, o habitat da anta é muito vasto. Assim, ela pode se desenvolver em uma diversidade florestal muito grande. O único requisito da anta é que ela esteja em ambientes que possuem fontes de água por todo o ano.

O interessante é que o animal se desloca tanto em mata aberta quanto fechada, além de ainda nadar muito bem. Em nosso país, o animal dominou até mesmo as partes úmidas da Caatinga.

Entretanto, devido à intervenções do ser humano acabou sendo extinta neste bioma e está distribuída no Pantanal, Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica.

Elas possuem um estilo de vida solitário, ou no máximo se juntam em grupos de três animais que tenham algum grau de parentesco.

Ainda é interessante falar um pouco sobre seus predadores naturais. Eles são, principalmente, a onça pintada e a onça parda, grandes felinos que se alimentam de seus filhotes.

E, para tentar se desvencilhar desses predadores, as antas utilizam marcação de ambiente com cheiro, através da urina e das glândulas que possuem na face.

Anta é o maior mamífero terrestre que habita o território brasileiro

Além disso, elas ainda apresentam alguns tipos de vocalização para comunicação, como os sons identificados em comportamento agonístico.

Assim, ao notarem algum perigo na mata elas se comunicam, visando alertar suas companheiras e fugir dos predadores. Alguns desses animais ainda buscam um combate corpo a corpo com seus predadores, mas a taxa de sucesso nessas situações é inexpressível.

Alimentação da anta

Está na hora de entender um pouquinho mais sobre os hábitos alimentares da anta. Esse animal possui um hábito noturno. Ele costuma acumular alimento durante a noite para poder  descansar durante o dia.

Também pode ser que, em algumas situações específicas a anta apresente atividade diurna.Trata-se de uma espécie herbívora que se alimenta principalmente de frutos, folhas, gramas, brotos e fibras.

Até mesmo por isso elas são considerados um importante agente dispersor de sementes. Isso porque, por ser um animal de grande porte, ela consegue se alimentar de frutos maiores e dispersar sementes grandes, nas suas fezes, recebendo o nome carinhoso de jardineiro natural.

A diversidade de frutos encontrados em suas fezes é grande, sendo um animal muito importante que contribui para a manutenção e desenvolvimento das florestas, principalmente de espécies de palmeiras.

Dessa maneira, podemos concluir que o declínio populacional desta espécie afeta a dinâmica de ecossistemas florestais, causando um extremo desequilíbrio no mundo selvagem.

Reprodução da anta

É importante destacar que o ciclo reprodutivo desses animais é lento. Isso se deve ao fato dele ser extremamente longo. Para que você tenha uma ideia, a gestação dura de 13 a 14 meses e geralmente nasce apenas um filhote.

Geralmente os filhotes nascem com coloração diferente dos adultos e possuem listas brancas, que vão desaparecer em torno dos 6 meses de idade.

Eles chegam ao mundo com 7 a 9 Kg e permanecem com suas mães até um ano de idade. A maturidade sexual tanto de machos, quanto de fêmeas é alcançada aos três anos de idade.

Esses animais vivem em torno de 22 anos em vida livre. Entretanto, existem registros de antas que ultrapassaram 30 anos em cativeiro. O interessante é que diversos especialistas apontam que a sua longevidade depende bastante do tamanho do espaço onde vivem.

Anta é o maior mamífero terrestre que habita o território brasileiro

Capacidade intelectual da anta

A capacidade intelectual da anta é um fator extraordinário sobre o animal. Por apresentar uma concentração grande de neurônios, ela possui uma memória comparável à de um elefante.

Existem inclusive relatos de antas domesticadas que conseguem abrir portas e realizar outros truques impressionantes. Elas possuem altíssima capacidade de aprendizagem e são muito espertas.

Principais ameaças para as antas

Apesar de serem extremamente imponentes e inteligentes, a verdade é que esses animais sofrem com constantes ameaças que acabam diminuindo a sua população. Entre elas, podemos citar:

  1. a diminuição de seu habitat;
  2. altos índices de caça do animal em território brasileiro;
  3. constantes atropelamentos;
  4. doenças transmitidas por contato com animais domésticos;
  5. maior frequência e intensidade de incêndios florestais provocados por desinteligências dos seres humanos;
  6. perda de qualidade de habitat com os limites dos fragmentos cercados por áreas de pastos, plantações, e centros urbanos construídos pelo ser humano;
  7. falta de conectividade entre eles.

A espécie é considerada um tanto vulnerável no Brasil e, portanto, exige muita atenção nesse aspecto. Entretanto, esse status é menos preocupante nas regiões do Pantanal e do Amazonas.

Mas o perigo é maior na Mata Atlântica, onde existem poucas populações viáveis, com mais de 200 indivíduos. Assim, diversos estudiosos apontam como iminente a extinção nessa região específica.

Agora você já conhece um pouco mais sobre a anta, este ser tão interessante e que de “burro” não tem nada, sendo considerado um dos animais mais inteligentes do mundo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo