Papilomatose é causada por vírus e gera tumores epiteliais benignos

Inicio » Veterinária » Papilomatose é causada por vírus e gera tumores epiteliais benignos
28/10/2020 Por
Papilomatose é causada por vírus e gera tumores epiteliais benignos

A papilomatose em bovinos ocorre principalmente em animais jovens. A papilomatose pertence a um grupo de vírus chamados Human Papiloma Virus (HPV), que reúne mais de 150 vírus. Apesar do nome, também está presente em animais, como cães e bovinos.

Existem vários tipos de papilomatose, porque a manifestação do vírus pode ocorrer em diferentes partes do corpo, proporcionando sintomas menos ou mais graves. Existe papilomatose no órgão genital, na garganta, no nariz, nas mucosas, em praticamente todas as regiões do corpo. A transmissão desse vírus pode ocorrer com o contato direto com verrugas, contato sexual e, mais raramente, de mãe para filho durante a gestação.

Papilomatose

O que é papilomatose?

Papilomatose é um tumor de pele ou da mucosa que normalmente forma uma verruga parecendo, em alguns casos, com um mamilo. Ele é provocado por um dos vários tipos de vírus pertencentes ao grupo mais comumente chamado de HPV.

A papilomatose pode se manifestar em diferentes partes do corpo, sendo que uma das mais conhecidas e incômodas é a do órgão genital, transmitida durante o ato sexual.

Fazer sexo sem camisinha e com vários parceiros aumenta as chances de contrair essa doença, mas essa não é a única forma de se transmitir.

Uma das papilomatoses que gera mais dificuldades é a que se manifesta nas cordas vocais, pois além de rouquidão e alterações na voz, pode provocar problemas de respiração.

Essa doença pode se manifestar tanto em humanos, em qualquer parte do corpo, quanto em animais.

Algumas papilomatoses podem ter causas virais, porém, outras são de origem desconhecida.

Sintomas da papilomatose

Os sintomas da papilomatose dependem da região do corpo que o vírus está instalado, pois dependendo local, os sintomas podem variar, ainda que apresentem similaridades e padrões.

A papilomatose que aparece na pele apresenta como sintomas o desenvolvimento de saliências identificadas como verrugas, ou verrugas que não apresentam saliências, não se manifestam externamente, mas agem internamente no corpo.

Essas verrugas podem inicialmente se manifestar com pontos negros na região a eclodir ou com pigmentação anormal na pele.

O surgimento dessas verrugas costuma não ser doloroso, mesmos papilomatoses genitais. Porém, mesmo assim, causam incômodo e repulsa tanto aos portadores como em terceiros.

Quando o vírus se manifesta nas mamas, os sintomas são mais contundentes. Além do crescimento de protuberâncias nos seios, provoca inchaço, dores e secreções pelos mamilos.

Se a papilomatose for nasal, os sintomas podem se manifestar com congestão nasal, sangramento e dores de cabeça.

Papilomatose bovina

Não são somente os humanos que sofrem dessa moléstia, pois animais como ovinos, caprinos, equinos, bovinos e animais domésticos como cães também sofrem desse mal.

Assim como ocorre com os humanos, nos animais esse vírus provoca um tumor benigno, erupções cutâneas comumente em volta dos olhos ou boca, causando aspecto desagradável, mas não só isso: também pode provocar queda na produção de leite e de carne.

Nos bovinos, a doença tem maior incidência nos jovens.

Esses tumores são umas verrugas, também conhecidas como papilomas, que surgem principalmente na epiderme.

Os tamanhos e cores são variados na papilomatose bovina. Muitos chegam a se assemelhar a uma couve-flor.

Como dito anteriormente, esses tumores se apresentam com frequência em volta dos olhos e boca, contudo, também despontam na cabeça, no pescoço, na barbela, nos úberes e pênis dos animais.

Papilomatose

Transmissão da papilomatose

Em regiões de alta temperatura, a papilomatose é transmitida mais facilmente. No Brasil, estados como Goiás, Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo costumam apresentar alta incidência de contaminação.

A transmissão ocorre por meio do contato de animais doentes com os saudáveis. Lembrando que os sintomas dessa doença podem variar.

Em alguns casos, os tumores são bem visíveis, mas podem se manifestar na forma de manchas que não são tão perceptíveis a primeira vista.

Complica, ainda, que a transmissão ocorre não só pelo contato com animais infectados, mas também em locais como cercas, troncos e baias contaminadas.

Carrapatos e outros insetos que picam os animais são outra forma de transmissão da doença, embora não seja tão comum, mas há o risco.

Como evitar a papilomatose?

Sem dúvida, a melhor forma de evitar a papilomatose é não comprar animais que apresentem essa doença. Mas claro que essa é a possibilidade mais simples.

A complicação é quando a doença se manifesta em animais de seu rebanho. Nesse caso, como evitar a instalação e disseminação da doença?

O primeiro passo ao identificar um animal com papilomatose é isolá-lo dos demais para evitar a disseminação.

É importantíssimo utilizar material descartável ou que possa ser bem esterilizado, principalmente agulhas e seringas de vacinação e material de descorna e castração.

Bons aliados para o controle da doença são os desinfetantes feitos com formol ou soda cáustica.

Outra boa medida é fazer o controle dos carrapatos e moscas que se abastecem do sangue dos animais bovinos.

O ordenhador também precisa tomar precauções, como sempre desinfetar as mãos com soluções à base de iodo e cloro após fazer a ordenha na vaca com papilomatose nos tetos e, preferencialmente, deixar os animais contaminados por último.

Papilomatose

Tratamento para papilomatose

Mas, para o caso de humanos, como é o tratamento para papilomatose?

O tratamento depende da localização e do tipo de papilomatose. Há tipos, por exemplo, que não precisam de tratamentos, pois desaparecem sozinhos com o decorrer de dias ou semanas.

No entanto, outros precisam de uso de medicação tópica ou procedimentos como crioterapia ou laser. É o caso de verrugas genitais.

Papilomatoses na pele podem ser removidas por meio de excisão ou com uso de eletricidade. Intervenções cirúrgicas mais sérias ocorrem nos casos de papilomatose no cérebro, ductos mamários e no trato respiratório.

Prevenção da papilomatose

Durante a gravidez e parto, é fundamental fazer pré-natal de maneira regular. Se identificar papilomatose genital em você ou no parceiro e parceira, dirija-se imediatamente a um centro médico. Sem dúvida, a assistência médica reduzirá os riscos de disseminação.

Evite entrar em contato com verrugas de parceiros sexuais, portanto, camisinha é fundamental.

Outra boa medida é deixar de fumar. É comprovado cientificamente que a nicotina é capaz de elevar os ricos de infecção pelo HPV.

Além de todas essas formas de prevenção, também há vacinas contra papilomatose genital. Elas podem ser ministradas em meninos e meninas a partir dos 9 anos.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo