Passiflora é comum para fins medicinais por suas propriedades calmantes

Inicio » Agricultura » Passiflora é comum para fins medicinais por suas propriedades calmantes
28/10/2019 Por
Passiflora é comum para fins medicinais por suas propriedades calmantes

A Passiflora também é chamada de planta do maracujá ou flor da paixão

A Passiflora é uma planta com uma finalidade medicinal. Por isso, ela pode ser usada para preparar medicamentos fitoterápicos e infusões. De modo geral, esse elemento natural é destinado para reduzir alguns quadros de estresse, falta de sono e ansiedade.

Vale salientar que os chás e outros itens oriundos da Passiflora podem ser achados facilmente em drogarias e farmácias. No entanto, a recomendação é que esses produtos apenas sejam usados com a permissão de um médico, nutricionista ou outro profissional da área de saúde.

O que é passiflora?

Passiflora é uma planta que se enquadra no segmento de botânica com aproximadamente 500 tipos de plantas e integra o grupo das Passifloraceae. Também pode ser chamada de flor da paixão.

Isso quer dizer que boa parte destas plantas se caracteriza como trepadeiras. No entanto, também existem arbustos e outros elementos herbáceos. Todavia, a Passiflora chama muito mais atenção pelo seu fruto maracujá.

passiflora

O território nacional conta com uma grande quantidade desta planta. Mesmo servindo como abrigo para em torno de um terço desses grupos, apenas dois tipos são aproveitados com finalidade comercial nos dias de hoje.

O Brasil explora unicamente a P. edulis (maracujá roxo) e sua versão amarelada P.edulis Sims f. flavicarpa Deg. (maracujá amarelo), bem como o P. alata (maracujá doce).

Em torno de 90% da plantação nacional se limita ao tipo do maracujá amarelado.

Benefícios da passiflora

Como citado anteriormente, a Passiflora pode ser útil para minimizar os efeitos de doenças extremamente em voga nos dias de hoje, como a ansiedade e a insônia. Mas as vantagens do uso adequado e monitorado da planta não param aí.

Confira a seguir alguns de seus benefícios.

  • Ajuda a acalmar

Essa planta facilita a liberação de alguns hormônios que fazem com que o corpo humano fique mais relaxado e tranquilo. Em função disto, a Passiflora acaba sendo utilizada por alguns pacientes que sofrem com a insônia e quadros de estresse.

  • Combate quadros de depressão

Outra enfermidade que está crescendo perigosamente no Brasil e que pode ter seus efeitos minimizados pelos benefícios da passiflora é a depressão.

Isso porque a Passiflora proporciona uma sensação de bem-estar por um espaço de tempo. Afinal, a sua composição química atua desta maneira através dos alcaloides e flavonoides como um tipo de antidepressivo natural.

  • Facilita a concentração

Quem também possui dificuldade para se concentrar em uma atividade pode ser beneficiado com o uso apropriado da planta do maracujá.

A sua ação faz com que o indivíduo tenha a capacidade de se manter em um estágio de concentração por mais tempo que o normal.

  • Atua contra quadros de infecção

É importante frisar que a Passiflora também conta com ativo antibactericida. Portanto, ela pode se transformar em boa aliada para atacar esses quadros de doenças a partir da indicação de um médico de confiança.

  • Ajuda a manter a pressão arterial sob controle

As harmalas, elementos que fazem parte da composição da Passiflora, reduzem o uso exagerado e desnecessário de oxigênio pelo cérebro.

Todavia, ainda se está pesquisando se esses fatores também contribuem para diminuir as taxas de circulação, colaborando para manter a pressão arterial sob controle.

passiflora

Propriedades da passiflora

É importante salientar que a passiflora é uma planta natural e conta com uma quantidade considerável de flavonoides na sua composição. Esses elementos possuem diversos efeitos biológicos e farmacológicos, abrangendo ação antibacteriana, antialérgica, antiviral e até anti-inflamatória.

Outro detalhe é que esses elementos também vetam a ação da peroxidação lipídica e diminuem o perigo de problemas cardiovasculares, consequências essas envolvidas com a atividade antioxidante. A atividade antioxidante é conhecida devido à sua possibilidade de ceifar radicas livres em organismos vivos.

Além disso, os alcaloides também fazem parte das propriedades da Passiflora, tais como a betacarbolina, derivada da serotonina e do triptofano, geralmente integrado no organismo.

Esses dois itens servem para inibir uma enzima chamada monoaminoxidase (MAO). Também possuem efeito agonista com relação aos receptores GABA e benzodiazepínicos.

Por isso, eles são adotados como relaxantes e até adotados para ajudar no tratamento de pessoas que lidam com a hipertensão no dia a dia.

Outra das propriedades da passiflora se refere às saparinas. Essa é uma espécie de substância que tem atuação no sistema nervoso central. De modo geral, as saparinas ajudam os neurotransmissores e oportunizam um relaxamento no corpo humano.

Todavia, a planta ainda possui outros compostos, como os fenóis e os cianogênicos glicosil.

Chá de passiflora

Como tratado anteriormente, a planta pode ser utilizada para a produção de um chá de passiflora, cápsulas, tinturas e até medicação. De maneira geral, os itens da planta que servem para a preparação destes elementos são as suas flores, as suas folhas e os caules.

No entanto, o chá de passiflora pode ser produzido de modo muito simples.

É possível adicionar duas colheres de chá de passiflora seca em um copo com água em estágio fervente. Posteriormente, a dica é deixar repousar ao longo de 10 minutos. Após esse período, é só coar e tomar em três momentos no decorrer do seu dia.

passiflora

Porém, o ideal é não exceder na quantidade consumida e acompanhar a prescrição de um profissional da saúde. Tudo para não lidar com efeitos inadequados e que podem afetar a sua saúde.

Além disso, crianças e pessoas com histórico de hipersensibilidade e alergia a alguma propriedade da planta somente deve adotar o consumo com a indicação do seu médico.

É importante salientar que as mulheres no decorrer da gravidez também devem se manter longe da planta. Isso porque a passiflora conta com um elemento no seu extrato que pode gerar o aumento da contração no útero. Essa distância também tende a ser mantida no período de amamentação da criança.

E a passiflora também não é apropriada para indivíduos que necessitam utilizar outros remédios com atuação sedativa, anti-histamínica ou hipnótica.

No fim das contas, o ideal é que o paciente não faça a automedicação e acompanhe as indicações do seu médico tanto na medicação consumida quanto na sua quantidade. Mesmo diante dos benefícios da passiflora, priorize sempre o seu bem-estar e busque por orientação qualificada!

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo