Pé de moleque é um doce típico da culinária do Brasil

Inicio » Agronegócio » Pé de moleque é um doce típico da culinária do Brasil
03/10/2020 Por
Pé de moleque é um doce típico da culinária do Brasil

Cidade mineira Piranguinho é considerada a capital do pé de moleque. O doce pé de moleque é famoso no país inteiro. No sul e sudeste, é associado à cultura caipira, na qual também chamado de “quebra dentes”. A origem da receita não é brasileira, mas o nome que atribuímos ao doce é produto totalmente nacional.

Não há um consenso sobre o que teria inspirado o nome pé de moleque. Há ao menos duas teorias, uma delas bem pitoresca, por sinal. O pé de moleque é um doce muito apreciado no Brasil, sempre presente em festas juninas e em festas de aniversário. Possivelmente só perde em popularidade para os brigadeiros e beijinhos, mas, sem dúvida, se encontra entre os principais doces de nossa culinária.

Pé de moleque

O que é pé de moleque?

Pé de moleque é um doce tradicional brasileiro feito a partir da mistura de amendoim torrado com rapadura.

O pé de moleque surgiu no Brasil em meados do século XVI, época da chegada da cana de açúcar em nosso solo.

Como dito há pouco, a receita do pé de moleque não é invenção brasileira, é inspirada em receita estrangeira que usava mel de abelha para fazer a mistura com o amendoim.

A Europa foi a porta de entrada para esse doce no Brasil, mas também não foi no velho continente que a receita foi criada.

Os árabes são os responsáveis por criar e popularizar o doce no mundo, ao menos a receita que veio a inspirar o doce brasileiro, com as suas incursões a península Itálica e Ibérica.

O produto só chegou por aqui por volta do século XVI nas mãos dos portugueses. Ganhou ingredientes próprios como o mel de cana de açúcar em substituição ao mel de abelhas e logo se tornou um dos doces mais requisitados do país.

A história de seu nome é uma incógnita.

Historiadores consideram que o nome tenha como origem o calçamento de pedras irregulares que marca presença em diversas construções brasileiras, como em cidades como Paraty e Ouro Preto. O nome desse calçamento é pé de moleque.

Mas a segunda hipótese, sem dúvida, é mais divertida.

Diz-se que os meninos de rua viviam furtando o doce das quituteiras que vendiam-no pelas ruas dos bairros.

Tentando persuadir os moleques da desnecessidade de praticar tal crime, argumentavam para eles que era só pedir pelo doce que lhes seriam entregues. Para enfatizar o argumento, gritavam: “pede moleque”.

Como fazer pé de moleque?

E como fazer pé de moleque? Lendo a definição a respeito do doce, parece simples misturar amendoim torrado com rapadura. Contudo, ver o doce pronto faz com que se tenha uma percepção diferente sobre o método de sua produção.

Como alcançar tal resultado?

A seguir, vamos informar o passo a passo de como fazer pé de moleque. Confira!

Pé de moleque

Receita de pé de moleque

Ingredientes

Os ingredientes que precisará para fazer essa receita de pé de moleque são:

  • Uma (01) xícara de chá de amendoim sem pele e torrado;
  • Uma (01) xícara de açúcar;
  • Um (01) leite condensado de 395 gramas (lata ou caixinha).

Modo de preparo

  1. Misture o açúcar e o amendoim em uma panela e leve ao fogo baixo;
  2. Caramelize o açúcar, sempre mexendo, mas tenha o cuidado de não deixá-lo escurecer;
  3. Acrescente o leite condensado e mexa por 15 minutos com uma colher de cabo longo. Também pode parar de mexer antes disso, mas apenas se a massa desprender do fundo da panela;
  4. Unte uma assadeira com manteiga e depois despeja a mistura nela com a ajuda de uma espátula. Um rolo de massa também serve;
  5. Deixe esfriando e depois corte os pedaços em forma de losango.

Industrialização do pé de moleque

Certamente você já deve ter visto pé de moleque comercializado em bares e supermercados. Normalmente são protegidos por um plástico transparente e são do tamanho de pequenos losangos.

Essas versões, em sua maioria, não são caseiras, mas industriais. E como se dá a produção industrial de pé de moleque?

O processo de produção não é muito diferente do caseiro, pois envolve os mesmos ingredientes. A diferença se encontra no maquinário utilizando, maior e mais sofisticado e com grande capacidade de produção.

Em um tacho, é feita a quantificação dos ingredientes. Esse tacho também é um misturador com função de cozimento.

Depois que a massa formada é cozida, ela entra na linha de processo, que é composta por:

  • Esteira transportadora;
  • Laminador;
  • Calibrador;
  • Ventiladores;
  • Facas rotativas;
  • Guilhotinas.

As facas rotativas são para o corte longitudinal. A guilhotina é para o corte transversal.

Pé de moleque

Doces de amendoim

Sem dúvida, o pé de moleque é um dos doces com amendoim mais populares do Brasil. Contudo, existem outros doces de amendoim que também gozam de grande prestígio no paladar do público brasileiro.

Cajuzinho

Costuma marcar presença em festas. Seu preparo é fácil e seu aspecto lembra um guarda-chuva graças ao amendoim inserido em uma das pontas.

Amendoim doce

Encontra-se amendoim doce principalmente em barraquinhas de rua. Lembra um pavê com amendoim seco sobre a camada pastosa. É crocante, doce e delicioso.

Canjica com amendoim

Costuma aparecer com força em épocas de festas juninas, mas quem disse que pode ser consumido apenas em um período do ano? Canjica, além de muito saborosa, é bem nutritiva e o amendoim só colabora para deixá-la mais encorpada e deliciosa.

Dindim

Também é conhecido como sacolé de amendoim em diferentes regiões do país. Trata-se de uma espécie de geladinho, uma massa consistente, gelada e plastificada que proporciona um doce agradável e refrescante.

Broa de amendoim

Sem dúvida, essa receita faz sucesso entre os mineiros que adoram uma broa. A broa com amendoim se trata de uma variação da receita clássica, bastando acrescentar o amendoim no preparo. Ganhou popularidade e é uma das variantes de broa mais solicitadas em bares e restaurantes.

Paçoca

Certamente rivaliza com o pé de moleque na hora de definir o posto de doce de amendoim mais popular.

A massa do amendoim é esfarelada e depois concentrada em formato de tubos. Exige certa habilidade dos consumidores para não esfarelar boa parte de sua composição pelo chão.

É um dos doces que é impossível se contentar em saborear apenas uma unidade.

Cidade de Piranguinho, em MG

A cidade mineira de Piranguinho é considerada a capital nacional do pé de moleque. O doce é tombado como patrimônio imaterial de Minas Gerais e um patrimônio histórico da cidade.

Todos os anos, ocorre a Festa do Maior Pé de Moleque do Mundo, onde além de shows, festas juninas e quadrilhas, é produzido um pé de moleque gigante, com mais de 20 metros de altura. Sem dúvida, deve ser delicioso.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo