Peão é trabalhador essencial para uma fazenda ou estância

Inicio » Pecuária » Peão é trabalhador essencial para uma fazenda ou estância
24/07/2019 Por
Peão é trabalhador essencial para uma fazenda ou estância

Entenda a importância do peão para a manutenção e o bom funcionamento da propriedade rural

O peão, nome popular dado aos empregados rurais, é fundamental para o desenvolvimento de fazendas e estâncias, principalmente as destinadas à criação de gado.

Do manejo do gado à ordenha, o peão é o empregado indispensável em qualquer propriedade rural, seja de pequeno, médio ou grande porte.

Peão

O que é peão?

Peão é o nome dado ao empregado de uma fazenda ou estância e que desempenha várias tarefas. Entre elas, destacam-se:

  • Tratar e domar cavalos, burros e bestas;
  • Aplicar defensivos agrícolas contra insetos e pragas;
  • Manutenção e consertos de estruturas internas;
  • Operar máquinas e equipamentos de pequeno porte;
  • Conduzir tropa;
  • Ordenhar vacas leiteiras manualmente;
  • Manter a limpeza de estábulos e currais;
  • Manejar o gado;
  • Executar serviços gerais como conserto de cercas e corte de grama;
  • Realizar implantação, criação e manutenção de hortas e lavouras;
  • Tratar de animais;
  • Administrar medicamentos aos animais;
  • Fazer compras para a fazenda ou estância.

As atividades do peão são supervisionadas pelo capataz da fazenda ou da estância, que cumpre as ordens do proprietário rural.

Pião ou peão?

A princípio, vamos esclarecer se o termo utilizado para designar esse tipo de trabalhador é pião ou peão.

Pião, principalmente, indica um brinquedo infantil. É parecido com uma pera e gira quando é impulsionado. Assim, por extensão, significa também qualquer movimento giratório realizado sobre si próprio. Um exemplo disso pode ser visto em danças, como na patinação artística, ou nas rodas de capoeira.

Acompanhe os exemplos a seguir:

  • Meu primo nunca conseguiu jogar pião.
  • Este pião era de meu pai quando criança.
  • A patinadora fez um excelente pião.

Já a palavra peão, substantivo masculino, indica, principalmente, o empregado rural. Entretanto, pode ter um significado mais amplo como amansador de animais ou auxiliar de boiadeiro.

Da mesma forma, pode indicar um indivíduo que geralmente anda a pé, um homem do povo ou um trabalhador não muito qualificado. Ao mesmo tempo, pode referir-se a um soldado de infantaria ou uma peça do jogo de xadrez.

Acompanhe os exemplos a seguir:

  • Nesta rua não circulam carros, apenas peões.
  • Em festa de rodeio, todos gritam: Segura, peão!
  • Se você mexer o seu peão nessa jogada, perderá o jogo.

Assim, ambas as palavras estão corretas, existem na língua portuguesa e são chamadas palavras parônimas. Mas, como pudemos observar, mesmo tendo grafia e pronúncias parecidas, seus significados são bem diferentes.

Peão

O que faz um peão de boiadeiro?

O peão de boiadeiro é o empregado rural encarregado de manejar, bem como negociar o gado ou o boi. Além disso, ele conduz, guarda e resgata o rebanho. Esse profissional, também conhecido como vaqueiro, na maioria das vezes é um homem simples. Contudo, é corajoso e dedicado.

Frequentemente utiliza calças jeans, botas, um grande chapéu e, naturalmente, o berrante. Montado em seu cavalo, percorre grandes distâncias diariamente, conduzindo e resgatando o rebanho. Com toda a certeza, é uma rotina bem cansativa, pois ele caminha entre campos, estradas e relvas durante horas.

A Lei nº 10.220, de 11 de abril de 2001, assinada pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, transformou as atividades do boiadeiro, assim como de trabalhadores de rodeio, em profissão.

Dessa maneira, o boiadeiro passou a ser considerado um atleta profissional, podendo se inscrever como segurado da Previdência Social na condição de trabalhador autônomo.

O Dia do Peão de Boiadeiro é comemorado em 27 de Agosto, no Estado de São Paulo, de acordo com a Lei nº 5.191, de 20 de Junho de 1986. A data está relacionada com a realização da Festa do Peão de Boiadeiro em Barretos, interior do estado.

O que faz um peão de rodeio?

O peão de rodeio é o profissional que efetivamente monta no animal, normalmente um touro. Embora existam cavalos xucros, o touro é o animal que disponibiliza maior grau de dificuldade para todos os peões.

Com a finalidade de permanecer o maior tempo possível em cima do animal, o peão deve ter um excelente preparo físico. Além disso, é necessário ter técnica, muito treino e coragem. A princípio, sai vencedor aquele que conseguir permanecer por 8 segundos montado no touro.

A profissão de peão de rodeio também foi regulamentada pela Lei nº 10.220, de 11 de abril de 2001. Entretanto, para ter direito aos benefícios da lei, o peão terá que comprovar a sua atividade mediante a participação remunerada em torneiros.

Os torneios deverão ser remunerados e promovidos por entidades públicas e privadas. O peão deverá realizar provas de destreza em montaria em animais bovinos e equinos, em torneios, vaquejadas e provas de laço.

Por mais que seja perigosa, essa profissão tem crescido muito nos últimos anos. Como a festa de peões e boiadeiros assumiu progressivamente alcance e renome nacional, é natural que haja maior interesse por ela.

Peão carreiro

O peão carreiro é responsável por conduzir um carro de bois geralmente em comitivas. Os carros de bois, principalmente durante o Brasil Imperial, eram considerados o principal meio de transporte.

Eles eram utilizados pelas famílias do meio rural para viagens de longas distâncias. Atualmente são utilizados principalmente em comitivas, guiados pelos carreiros, para participarem de celebrações religiosas.

A função do carreiro, além de guiar o carro de bois, é fazer a canga (jugo) dos animais. A finalidade da canga é unir dois ou mais animais e mantê-los emparelhados para que puxem um carro, geralmente de madeira.

Peão

O carro de bois guiado pelo carreiro foi muito utilizado para arar a terra durante décadas. Atualmente, salvo raras exceções, caiu em desuso. Inegavelmente, o carro de bois é uma tradição da qual os romeiros não abrem mão.

As comitivas com carros de bois percorrem grandes distâncias, fazendo percursos com até três dias de duração. Para isso, os carreiros fazem uma preparação antecipada para a viagem, principalmente no que diz respeito à alimentação.

Assim como manda a tradição, os carreiros preparam o que será seu alimento principal durante a viagem. Trata-se de uma paçoca à base de carne seca e farinha de mandioca preparada em um pilão e socada por eles mesmos.

Mesmo nos tempos atuais em que existem vários meios de locomoção, o peão carreiro conduz o seu carro de bois em romaria. Percorrendo longas distâncias, demonstra toda a força de sua fé, não apenas para cumprir uma promessa, como também para agradecer.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo