Planta ora pro nobis é cactácea trepadeira folhosa comum no Brasil

Home » Agricultura » Planta ora pro nobis é cactácea trepadeira folhosa comum no Brasil
18/10/2019 by
Planta ora pro nobis é cactácea trepadeira folhosa comum no Brasil

A planta ora pro nobis é uma excelente alternativa para quase todos os tipos de dietas, por ser uma importante fonte de proteína

A planta ora pro nobis é amplamente usada em dietas vegetarianas e veganas, sobretudo devido ao seu alto valor nutritivo. Ela integra o grupo das PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais), podendo ser facilmente encontrada no estado de Minas Gerais.

A Pereskia aculeata (nome científico da planta ora pro nobis) é uma excelente fonte proteica. Ela apresenta o benefício de ser livre das gorduras saturadas tão comuns nas carnes e prejudiciais à saúde.

Planta ora pro nobis

O que é planta ora pro nobis?

Planta ora pro nobis é uma cactácea com hábito de lianas (cipós) de folhas ricas em componentes nutritivos e flores vistosas.

Por ser uma cactácea trepadeira, a ora pro nobis é espinhosa, possuindo folhas resistentes e que se desenvolvem facilmente nos mais distintos tipos de solo. Elas adaptam-se razoavelmente bem, inclusive, em terras úmidas e pouco férteis.

As folhas, além de serem utilizadas para finalidades medicinais, são usadas como alimento. Os seus frutos (bagas redondas e amareladas) também podem servir de alimento.

Como plantar ora pro nobis

Para escolher bem a área destinada ao cultivo e, assim, ter como plantar ora pro nobis, há aspectos que devem ser levados em consideração, tais como:

  • O local deve ser de acesso fácil, a fim de que o escoamento da produção dos insumos ocorra sem transtornos;
  • Não deve haver um histórico recente de doenças ocasionadas por patógenos do solo, principalmente nematoides;
  • O terreno deve contar com boa drenagem. Essa cultura não tolera encharcamentos, pois resultam no subdesenvolvimento de suas plantas e favorecem a disseminação de pragas;
  • A área, dentro dos limites legais de utilização do solo, pode ter declividade;
  • A dimensão da área deve assegurar a capacidade operacional de uma boa condução. Isso implica no correto manejo das plantas e, obviamente, nas demandas de comercialização;
  • As linhas do plantio devem, necessariamente, serem dispostas em nível;
  • O uso da mecanização nas roçadas, limpezas e transporte interno facilitam e elevam o rendimento das operações, devendo, portanto, ser priorizado.

Época

Essa cultura é, conforme mencionado, bem adaptada aos climas subtropicais e tropicais. Isso, desde que as precipitações anuais variem entre 1300 mm a 1900 mm. Já as temperaturas anuais devem ficar entre 19 °C e 24 °C, com máximas que não excedam os 31 °C.

Para os meses frios, as temperaturas ideais devem oscilar entre 11 °C e 16 °C.

A época mais indicada para o plantio varia de acordo com a região. No Centro-Oeste e no Sudeste, o plantio ideal deve ser realizado entre setembro e janeiro.

Planta ora pro nobis

Clima

Nas regiões que não apresentam fortes geadas, como esporadicamente ocorre em regiões serranas (com altitudes superiores a mil metros) de São Paulo e Minas Gerais, há produção durante o ano todo.

Nos estados sulistas, a planta ora pro nobis adapta-se muito bem às regiões mais quentes, como o litoral do Paraná e de Santa Catarina. Nas regiões mais elevadas, observa-se a constituição de plantas com a obtenção de excelentes produções.

Entretanto, há certa redução no crescimento das plantas, queima de folhas e a interrupção da colheita nos períodos mais frios (que vão de maio até setembro). Sendo assim, o estabelecimento dessa cultura deve, preferencialmente, ser realizado de setembro até a primeira quinzena de novembro, depois que passou o risco das geadas.

Obviamente, esse período pode se estender em regiões mais quentes. Logo, nas regiões frias, a produção para fins comerciais deve se restringir a um período máximo de cinco meses.

Na região Nordeste, o desenvolvimento é permanente, desde que garantido o suprimento adequado de água durante estiagens prolongadas. Sob irrigação, há avaliações iniciais que demonstram a viabilidades de efetuar colheitas durante todo o ano.

À medida que o calor excessivo pode prejudicar o desenvolvimento das plantas, o mais indicado consiste em realizar plantios em altitudes mínimas de 600 metros.

No Norte, a ora pro nobis pode ser cultivada, existindo plantas isoladas em certas localidades do Amazonas. Contudo, as altas temperaturas associadas à umidade excessiva geram riscos ao estabelecimento de atividades comerciais e produções intensivas, com sucessivas podas.

Preparo do solo para plantação da erva ora pro nobis

É altamente recomendável preparar o solo por meio da aração (com um arado ou uma grade aradora) e da grade niveladora, a fim de uniformizar o local e simplificar o trânsito de pessoas e máquinas nas etapas posteriores.

Quando há camadas subsuperficiais compactadas, utilize um subsolador com hastes de até 35 centímetros de profundidade. Ele deve ser posicionado entre 20 e 25 centímetros abaixo das camadas compactadas.

Correção do solo

Apesar da tolerância da planta à acidez dos solos e de sua relativa rusticidade, o ideal é realizar a correção dos níveis de pH do solo. Essa medida aumenta a saturação de suas bases a 65%, segundo o resultado obtido após sua análise química. Nessa situação, aplique metade da dosagem de calcário indicada antes da aração e o restante após esse procedimento.

Estudos de campo indicam que o pH ideal para essa cultura deve oscilar entre 5 e 6. Quando há níveis reduzidos de fósforo (P), isto é, quando eles se encontram abaixo de 10 mg dm-³ (ppm), a fosfatagem deve ser efetuada em área total, a partir de fontes mais lentas de liberação, tais como termofostatos (que são fosfatos calcinados de média solubilidade) ou fosfatos de rocha.

Planta ora pro nobis

O objetivo é realizar a adubação corretiva e propiciar a reserva necessária de fósforo. Isso permite assegurar o melhor cultivo possível da erva ora pro nobis.

Lembre-se, também, de que a distribuição deve ser realizada simultaneamente à dispersão da segunda parte do calcário. Outra alternativa viável é antes da última gradagem que antecede a implantação dos adubos verdes.

Produção de muda de ora pro nobis

A muda de ora pro nobis pode ser adquirida a partir de estacas das plantas matrizes mais vigorosas e saudáveis. As porções intermediárias das hastes contam com uma capacidade superior de enraizamento.

As porções apicais (ponteiras) são muito tenras e facilmente desidratadas, ao passo que as porções basais são muito lignificadas e apresentam grandes dificuldades de enraizamento.

Os plantios de estacas de planta ora pro nobis que não são enraizadas podem ser feitos diretamente na área definitiva. Porém, os riscos de falhas são significativamente aumentados. Dessa forma, é preciso tomar bastante cuidado para não ter prejuízos.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo