Salsa é erva versátil que pode ser utilizada de diversas formas

Inicio » Agricultura » Salsa é erva versátil que pode ser utilizada de diversas formas
07/05/2019 Por
Salsa é erva versátil que pode ser utilizada de diversas formas

A salsa é uma planta conhecida pelas suas propriedades medicinais e um sabor diferenciado

A salsa ou salsinha, é uma erva originária da Europa, mas que se adaptou muito bem ao clima brasileiro. Ela está presente em muitos pratos no país por conta da sua versatilidade. Pode ser acrescentada em chás, sucos e principalmente refeições como, por exemplo, no feijão, no frango à passarinho, entre outros. A planta é facilmente preparada e a melhor forma de saborear-lá é quando ainda está fresca. O seu cultivo é simples e pode ser feito em hortas de pequeno porte utilizando materiais recicláveis para o plantio, como caixas de ovos de papelão.

As propriedades da salsa são os fatores que mais chamam atenção dos consumidores. Ela é rica em proteínas e minerais, além de ser de caráter diurético; por isso, é utilizada como auxiliar no combate e prevenção de inúmeras doenças como, câncer, hipertensão, infecção urinária, prisão de ventre, por exemplo. Além disso, a planta conta com propriedades que fortalecem o sistema imune e, por isso, é um auxiliar para os sofrem com anemia e baixa resistência.

A salsa é utilizada em diversas receitas

O que é salsa?

A salsa, ou também conhecida como salsinha, é uma planta do tipo herbácea. Existem dois principais tipos de salsa, a crespa e a lisa. A planta é nativa da região mediterrânea central como a Itália, Tunísia e Argélia. Ela é de caráter medicinal e pode ser utilizada para o tratamento de doenças como infecção de urina, prisão de ventre, retensão de líquidos, pedras no rins, por exemplo.

Além disso, é uma iguaria culinária indispensável na cozinha brasileira, pois está presente nos mais variados pratos. O plantio de salsa no Brasil é um fenômeno comum, a planta se adaptou muito bem ao clima tropical e cresce com facilidade. Deste modo, é comum encontrar em plantações caseiras a salsinha sendo cultivada.

A melhor forma de desfrutar desta planta é com ela ainda fresca e recém-colhida; assim que seca, a erva perde parte do seu perde o aroma. Na culinária, apenas a acrescente no final da receita poucos minutos antes de servir. A salsinha combina com muitos tipos de pratos como em saladas, junto à pescados e legumes, molhos, por exemplo. Além disso, a erva é fonte rica de proteínas benéficas, como vitamina A, B1, B2 e C; também é auxiliar para sais minerais como o cálcio, ferro e potássio.

Um fato muito curioso, em especial na América do Sul, é o que o termo salsa não apenas se refere à uma planta, como também à um estilo de música. A salsa é conhecido como uma mescla de ritmos latino americanos nascido na década de 40 em Nova York a partir de imigrantes cubanos. E desde então tomou conhecimento mundial e até mesmo possui uma dança típica do ritmo dançante.

Quais os tipos de salsa?

Existem apenas dois tipos de salsa, a salsa lisa, também conhecida como italiana, e a salsa crespa. A salsa lisa é caracterizada por um sabor mais acentuado, por isso é a mais escolhida para a culinária. Este tipo de salsa é o mais comum no Brasil tanto pelo caráter adaptativo quanto pelo sabor. Enquanto isso, a do tipo crespa tem uma grande participação na decoração de pratos porém, também pode ser utilizada em saladas.

A maior semelhança entre estas plantas está diretamente relacionado com o tipo de plantio. Os dois tipos de salsa são mais produtivos em solos argilosos e destorroados. Como forma de fertilizar o solo, o uso de matéria orgânica atrai bastante a erva e a auxilia a balancear nos níveis de pH entre 5,8 e 6,8.

A primeira colheita após o plantio acontece entre 50 até 70 dias depois da germinação. É importante que o produtor tenha o cuidado de sempre retirar as folhas maduras da salsa durante o seu crescimento, esta atividade fortalece seu crescimento. Este tipo de cultivo é anual e, em alguns casos, pode ser bienal. A época ideal de plantio acontece, no país, o ano todo; por conta do Brasil ser um país de clima tropical e não ter invernos rigorosos, a planta de adapta em qualquer época.

Para que serve a salsa?

A salsa é uma erva que multifuncionalidades, está muito presente no campo dos remédios caseiros, assim como explorada na culinária brasileira há muitos anos. As folhas, sementes e raízes da planta são utilizadas por completo. Tendo em vista a grande quantidade de propriedades a planta contém, ela pode ajudar no combate e na prevenção de muitas doenças.

  • A salsa no ramo medicinal

A erva pode ser um grande auxiliar para o sistema imune e prevenir gripes, pois é rica em vitamina C,  flavonoides – que contém função antioxidante – e agentes antibactericidas. Além disso, é também responsável por evitar envelhecimento precoce, pois contém óleos essenciais e luteolina.

Ainda sobre o sistema imune, outro ponto importante sobre as propriedades deste alimento é por conta dos índices de ferro, que pode ajudar no combate e prevenção da anemia.

A salsa é muito simples para cultivo no Brasil

A sua característica antioxidante pode ajudar na melhora de doenças cardíacas como a aterosclerose, por exemplo. Outro ponto de destaque é a sua função que evita coágulos no sangue e, portanto, pode prevenir trombose e AVC. É um alimento diurético, por isso, muito procurado por aqueles que sofrem de retenção de líquidos com facilidade.

Há muitas pesquisas que indicam o consumo regular da salsa como agente ativo que pode ajudar no processo de emagrecimento. Sua ação que melhora a flora intestinal pode também combater infecções urinárias, controlar os índices de hipertensão e prevenir pedras nos rins.

Uma característica pouco sabida sobre a planta é que ela também pode ajudar a amenizar queimaduras e acalmar picadas de insetos. Ao retirar folhas da planta e macerar, é possível aplicar na pele para diminuir hematomas. Contudo, é sempre importante ressaltar que a planta não consegue resolver o problema por completo, apenas amenizá-lo. O ideal é sempre consultar um médico e certificar sobre o problema.

Entretanto, existem algumas contraindicações para o consumo da salsa. A planta deve ser evitada por quem contém problemas renais, assim como pelos que realizam cirurgia dos cálculos dos rins em menos de um mês. O chá desta erva pode ser evitado pelas grávidas ou que estão em fase de amamentação.

Plantação de salsinha

Para iniciar uma plantação de salsa não é necessário um extenso terreno. Na maior parte das hortas caseiras é possível observar este tipo de erva. Em um âmbito geral, grande parte dos cultivos de pequena extensão se iniciam com sementes ao invés das mudas.

Para criar um solo agradável para a planta, pode ser utilizada terra comum, areia e húmus. Além disso, muitos produtores de pequeno porte se utilizam de caixas de ovos de papelão para a plantação como forma de reciclar o material.

O primeiro passo para dar início ao plantio é misturar a areia, a terra e o húmus em partes iguais até formar uma solução homogênea. Em seguida, preencher a caixa de ovos com a terra preparada até cobri-la. Depois, as sementes podem ser introduzidas, de duas até três sementes por secção da caixa. E com isso, o produto já pode irrigar a terra, sem a deixar encharcada, apenas molhada.

O ambiente ideal para um melhor desenvolvimento desta planta é um local bem iluminado, com uma grande incidência de sol. Um cuidado especial que o produtor pode ter com a plantação está relacionado com as ervas danosas. A salsinha é muito vulnerável à pragas agrícolas e pode ser infectada com facilidade.

O terreno ideal para um plantio de grande porte e vasto desenvolvimento é de caráter argiloso e bem drenado. O recomendado é aproximadamente 15 até 20 cm entre os sulcos para que as raízes não tenha dificuldade no crescimento. A época de colheita acontece após 90 dias de plantio ou assim que a planta atinge 16 cm de altura.

O chá de salsa é diurético

Salsa para o emagrecimento

A erva salsa é muito conhecida na culinária e em receitas medicinais, assim como uma auxiliar no processo para o emagrecimento. A maior característica do alimento é a sua função diurética, sendo portanto, um agente que estimula muito a eliminação da urina.

Esta característica auxilia para a redução do inchaço em si, ou seja, problemas com retenção de líquidos. Contudo, o emagrecimento está ligado à eliminação de gordura do corpo, e neste aspecto a salsa não é auxiliar.

Entretanto, existem algumas receitas com salsa que podem ajudar a eliminar toxinas do organismo, por exemplo o suco de salsa. Para prepará-lo, é necessário laranja, maçã, pepino, água de coco e, claro, salsa. As propriedades do suco são antioxidantes, e podem ajudar na prevenção o envelhecimento precoce. Além disso, é um grande auxiliar para o sistema imune.

Já no caso do chá de salsa, a receita é simples e pode ser feita apenas acrescentado uma folha de salsa na água quente e esperando 10 até 15 minutos de descanso para a bebida. Este chá pode ser utilizado no combate de infecção urinária, assim como para ajudar no processo de infecção nos rins e ajuda no controle da hipertensão. Contudo, é importante lembrar ele não é indicado para mulheres grávidas.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo