Varíola tem alta taxa de mortalidade e deve ser combatida com prevenção

Inicio » Veterinária » Varíola tem alta taxa de mortalidade e deve ser combatida com prevenção
03/04/2019 Por
Varíola tem alta taxa de mortalidade e deve ser combatida com prevenção

A varíola, ou bouba viária, é uma doença que ataca as aves. É causada por um vírus e provoca nódulos semelhantes a verrugas na crista, barbela e outras partes expostas dos animais.

O agente causador da varíola é o vírus do gênero avipoxvirus. A doença afeta galinhas, perus, pombos, marrecos, patos, gansos, além de outras aves.

Animais de todas as idades podem ser infectados pela varíola, no entanto, os filhotes são mais vulneráveis. A bouba viária, popularmente conhecida como pipoca ou caroço, é uma enfermidade grave, de alta virulência e taxa mortalidade que pode chegar a 100%.

Transmissão da varíola

A varíola é transmitida, na maioria dos casos, por moscas e mosquitos. No entanto, há registros de casos de contaminação que ocorrem por meio do contato do animal com outras fontes contaminadas como: fômites, equipamentos e alimentos, entre outros.

Varíola em ave

Uma ave com varíola pode infectar outra ave com as secreções do sistema respiratório e digestivo. Uma vez infectado, o animal já transmite o vírus, mesmo que ainda não tenha manifestado sintomas da doença. Por isso, é muito importante isolar os animais doentes.

O vírus causador da doença possui um período de incubação que varia de 4 a 10 dias e é bastante resistente, inclusive a desinfetantes. Lesões na pele das aves costumam facilitar a ocorrência da infecção. Estas lesões, geralmente causadas por ação mecânica como brigas, mutilações e picadas de insetos, deixam a mucosa exposta e, consequentemente, o animal mais vulnerável. Excesso de moscas e mosquitos no ambiente de criação também são fatores de risco, além de contribuírem para a transmissão da varíola entre os animais do plantel.

A bouba aviária é mais comum em épocas quentes e chuvosas, assim como em áreas próximos a águas paradas. Isso acontece porque o mosquito, que é o transmissor da doença, se reproduz na água.

Sintomas da varíola

A forma como a doença se manifesta depende da espécie infectada e do tipo de vírus. Os sintomas da varíola mais comuns são:

  • Caroços nas barbelas, cristas, pernas e pés
  • Nódulos esbranquiçados que aumentam e evoluem para formação de crostas cinzentas e espessas
  • Redução no ganho de peso
  • Queda na produção de ovos
  • Lesões oculares.

Varíola

Prevenção da varíola

Por se tratar de uma doença incurável, a melhor alternativa para proteger o plantel é a prevenção da varíola. A medida mais eficaz é a vacinação dos animais. É importante ainda promover a desinfecção dos galinheiros e granjas, a drenagem de poças de água e o combate aos  mosquitos. Afinal, eles são os vetores da doença. É importante ainda ter atenção às condições dos locais de criação, como excesso de lotação.

Tratamento da varíola

Infelizmente, não existe tratamento efetivo para a doença, mas existem produtos para ajudar na cicatrização das feridas. O sistema imunológico da ave infectada pode reagir à infecção e combater as lesões.

Se a varíola for diagnosticada logo no início em uma ou mais aves da criação, eles devem ser isoladas das demais. Em seguida, é importante vacinar o restante do plantel pode evitar a disseminação doença. O controle da varíola é feito principalmente através da vacinação.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo