Galináceos e a importância do seu papel no agronegócio brasileiro

Inicio » Pecuária » Galináceos e a importância do seu papel no agronegócio brasileiro
06/03/2019 Por
Galináceos e a importância do seu papel no agronegócio brasileiro

Galináceos e suas espécies envolvem nomes como galinhas, perus e faisões

Os galináceos são um grupo que abrange uma série de aves, incluindo aproximadamente 70 gêneros e mais de 250 espécies diferentes.

Os galináceos, que também conhecidas como galiformes, são todos ovíparos.  Dentre as espécies de galináceos mais conhecidas, podemos citar galinhas, perus, faisões, perdizes e galos, entre outros.

O que são galináceos?

Os galináceos são reconhecidos por sua base alimentar simples e muito semelhante entre as espécies, contendo sementes e grãos. Galinha, peru e faisão são três espécies de galináceos que figuram entre as mais famosas e populares para consumo no Brasil – tendo papel de destaque no mundo do agronegócio brasileiro.

Galinhas

Originária do Sudoeste da Ásia, foi trazida pelos europeus em meados de 1500 para o Brasil. A galinha – em especial a galinha caipira – sempre foi muito bem adaptável ao clima e solo do paísPor isso, é considerada um dos principais animais explorados pela cozinha brasileira. Cada estado utiliza sua carne para o preparo de um prato diferente.

Galinha espécie galináceos

Na capital paulista a facilidade de se encontrar o filé de frango é grande para os que apreciam sua carne.

Embora a carne de frango também é utilizada em caldos medicinais. É comumente misturada entre temperos no arroz e também com massa italiana. A carne branca é uma boa pedida inclusive para os que estão em dieta, devido aos benefícios de ser uma grande fonte de proteínas e vitaminas.

No campo do agronegócio é conhecida como galinha de granja. Muitos agricultores deixam de investir em suas plantações para ingressar no mundo da criação de aves e da avicultura.

As vantagens são muitas, incluindo o baixo custo de alimentos para a criação. Ou seja, grande parte de sua alimentação é composta por grãos e sementes. A venda garantida – tanto dos animais quanto de sua matéria prima, como os ovos.

Perus

Encontrado em fazendas, currais e também em seu estado selvagem, o peru é de origem indiana. Foi trazido para a Europa pelos ingleses como uma novidade entre as aves galináceas. Portanto, o Brasil o conheceu a partir dos portugueses.

Ele é bastante conhecido por sua longa cauda. Em sua cauda se destaca uma plumagem chamativa que é utilizada para o chamado de acasalamento ou para afastar possíveis inimigos. Uma característica que poucos sabem é que este animal é um excelente caçador de víboras. Portanto, é vantajoso criá-lo em áreas com alto índice de répteis. Embora seu consumo não seja comum, sua carne é rica em nutrientes.

Peru espécie galináceos

No Brasil, a procura pela carne do peru é mais intensa no final do ano, em dezembro. Devido as tradições natalinas do país. Assar o chamado “peru de Natal” e servir na ceia do dia 24 de dezembro é algo muito comum entre as famílias brasileiras. No campo do agronegócio, sua produção de ovos é farta e pode chegar até 800 ovos por ano, uma média de 2 por dia.

Faisões

Também originário da Índia (como o peru). O faisão foi trazido pelos americanos e europeus como forma de caça nas regiões. Este galináceo altivo se alimenta de raízes, verduras, insetos e folhas.

É um animal que sofre de dimorfismo sexual. Ou seja, não possui características físicas entre o gênero feminino e masculino bem demarcadas. Assim, é diferenciado pelo tamanho avantajado e as cores mais vibrantes: características predominantes nos machos.

No Brasil, a procura pelo faisão é justamente pelos machos e suas penas. As penas são utilizadas na confecção de fantasias para o carnaval.

Faisão espécie de galináceo

No campo do agronegócio, muitos criadores investem na sua criação. Por razão das vantagens que sua carne e ovos apresentam. Portanto, seus teores baixos de colesterol e gordura são as principais e mais saudáveis características de sua carne.

Por isso, O valor da carne do faisão chega a custar até R$ 40,00 por quilo. Dito isso, o mercado de galináceos se mostra vantajoso para os agropecuários que decidirem investir.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo