Mercado vegano cresce e movimenta milhões na economia brasileira

Home » Agronegócio » Mercado vegano cresce e movimenta milhões na economia brasileira
24/10/2019 by
Mercado vegano cresce e movimenta milhões na economia brasileira

O mercado vegano injeta R$ 2,8 milhões na economia brasileira

Pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência, em abril de 2018, aponta que 14% da população brasileira se considera vegana. Os números do estilo de vida vegano aumentam nas regiões metropolitanas do país como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Curitiba.

Comparando com números de 2012, houve crescimento de 75% do público classificado como vegano. Em escala planetária, o consumo de produtos relacionados a esse universo atinge a marca de 51 bilhões de dólares.

vegano

O que é vegano?

Vegano é aquele que pratica o veganismo. Parece óbvio, mas já veremos mais detalhes sobre isso em breve.

O crescimento do movimento vegano, como os números atestam, é inegável, mas como se trata de um movimento relativamente novo, certamente ainda desperta muitas dúvidas. A principal delas é a confusão entre vegano e vegetariano. Outra dúvida recorrente é sobre a alimentação vegana, o que é permitido ou não comer e se de fato esse tipo de dieta é saudável.

O veganismo, mais do que uma dieta determinada, é um modo de vida, uma filosofia, que prega de todas as formas cabíveis a exclusão do sofrimento animal, seja este racional ou não.

O “cabível” é um detalhe importante. Claro que o consumo e a exploração de produtos de origem animal estão tão inseridos na nossa sociedade que muitas vezes é impossível resistir a tais práticas. Por isso, não é de se estranhar ver um vegano consumindo um produto de origem animal. Contudo, tal consumo vem se tornando cada vez mais raro, somente em casos muito específicos.

Hoje já é totalmente possível uma alimentação de dias, semanas, meses, sem ingerir qualquer alimento de origem animal.

Mas qual seria a diferença em relação ao vegetarianismo?

Uma alimentação baseada em frutas, verduras e legumes não é diferente da alimentação vegetariana. Então por que há essa distinção de termos? Ou será que vegano e vegetariano são sinônimos?

Não, certamente não são sinônimos. Verifica-se isso ao analisar, por exemplo, que um vegano é, também, um vegetariano estrito, mas um vegetariano estrito pode não ser obrigatoriamente um vegano.

Explica-se: o vegetariano não consome alimento de origem animal, mas essa restrição não abrange outras áreas de seu cotidiano. O adepto dessa filosofia de vida não vê problema em usar botas de couro ou maquiagens que tenham explorado um ser vivo para serem produzidas.

Já o vegano vai um passo além: não só não consome alimentos de origem animal, como também não utiliza qualquer objeto que tenha gerado, de alguma forma, dor aos animais.

Isto inclui frentes como:

  • Mercado;
  • Roupas;
  • Entretenimento;
  • Trabalho forçado.

O vegano é contrário a tudo que envolva tortura animal.

Um detalhe que passa ao largo do radar de muita gente é que essa defesa ao bem-estar animal também inclui os humanos. Afinal, como diz a ciência, também não deixamos de ser animais, a diferença é que temos racionalidade. Logo, o vegano se posicionará contra, por exemplo, marcas que se utilizem de trabalho escravo para a confecção de seus produtos.

vegano

Como é a dieta vegana?

Como apontado acima, a dieta vegana exclui os alimentos derivados de animais. Porém, os que não têm familiaridade com o assunto não compreendem a lógica de algumas exclusões como, por exemplo, peixes e frutos do mar.

O vegano também não come peixes e frutos do mar pela mesma lógica do sofrimento animal.

Mas que sofrimento seria esse, já que os peixes são apenas pescados e não sofrem estresse da magnitude que as vacas, bois e galinhas passam?

Peixes, assim como todo animal, têm sistema nervoso central e capacidade de sofrer. Apesar de não emitirem sons fora da água, não significa que não sintam dor ao serem pegos pelo anzol e, principalmente, ao serem fatiados ainda vivos. Outro aspecto desagradável é a asfixia dolorosa que sofrem quando retirados da água.

Alimentos que também não fazem parte do cardápio vegano são ovos e leite. Os animais nesses casos, galinha e vaca, não são necessariamente sacrificados para produzir o alimento, mas são submetidos a situações extremas de estresse.

As galinhas, por exemplo, sofrem um processo chamado de debicagem, que é a extração, sem anestesia, dos bicos das galinhas. Esse processo serve para evitar que as aves firam umas as outras. E essas agressões podem ocorrer quando em situação de estresse, condição frequente ao se dividir espaço de 0,2 m² com até oito animais, padrão nos galinheiros dos grandes produtores.

Quanto ao leite, as vacas passam por inseminação artificial para gerarem filhotes e, assim, aumentarem a produção leiteira. Mas as gestações forçadas acabam por reduzir bastante a expectativa de vida do animal. De 20 anos, a expectativa de vida se reduz a 8.

Os filhotes fêmeas das vacas são logo retirados das mães e submetidos ao mesmo processo. Já os filhotes machos são abatidos para manter abastecido o mercado de vitelos.

A alimentação do vegano

Com a exclusão de tantos produtos alimentícios, como é a alimentação vegana? Não carece de proteínas?

Engana-se quem pensa que as opções de pratos veganos são limitadas ou pouco saborosas. Qualquer alimento que se origine das plantas é incluso no cardápio. Inclui-se, portanto, na lista de alimentos veganos:

  • Frutas;
  • Legumes;
  • Cereais;
  • Hambúrgueres;
  • Doces;
  • Frituras.

vegano

Perceba que no caso de hambúrguer se trata de um tipo especial, feito à base de soja ou de outros alimentos. Conforme o mercado vegano cresce no Brasil e no mundo, mais produtos pensados para esse público surgem, oferecendo mais variedades.

Mas o veganismo garante uma alimentação saudável?

A grande dúvida dos leigos no assunto é sobre a produção de proteínas, já que a carne é uma grande fonte dessas substâncias. Mas ocorre que a carne não é a única fonte. Os vegetais têm aminoácidos capazes de produzir proteínas dentro do organismo humano, portanto, a alimentação do vegano não é prejudicial à saúde.

Inclusive, existem muitos veganos acima do peso, porque ingerem bastante quantidade de comida vegana e não praticam exercícios físicos. Alguns atletas de esportes de alta performance são famosos veganos, como Mac Danzig (lutador UFC) e Tony Gonzales (ex-jogador de futebol americano).

Logo, uma vida de vegano não significa um corpo magricela ou mal-nutrido.

Categorias de vegetarianismo

O vegano é uma das categorias de vegetarianismo. Veja quais são essas categorias:

  • Ovolactovegetariano: não consome carne, mas consome alimentos derivados de animais, como ovos e laticínios;
  • Lactovegetariano: não come carne e nem ovos, sejam puros ou misturados em receitas;
  • Vegetariano estrito: não consome carne, ovos, leite, qualquer alimento de origem animal;
  • Vegano: além de não consumir comida de origem animal, não utiliza qualquer produto, não importa a área, que envolva animais.

Portanto, não é um despropósito afirmar que o veganismo é a radicalização da filosofia vegetariana. O vegetarianismo ao cubo. O modo de vida vegano é algo que tem potencial para crescer cada vez mais.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo