Verônica é planta comum nas regiões temperadas do Hemisfério Norte

Inicio » Agricultura » Verônica é planta comum nas regiões temperadas do Hemisfério Norte
10/10/2019 Por
Verônica é planta comum nas regiões temperadas do Hemisfério Norte

Verônica é nativa da Europa, mas migrou com sucesso para países frios da Ásia e do continente Americano

Apesar de ser uma planta comum no Brasil, a flor verônica não é muito popular. E isso provavelmente se deve por ser uma planta que se desenvolve em locais de baixa temperatura. Seu uso mais corriqueiro é para tratamentos à base de chá, pois tem qualidades medicinais, mas é também utilizada para decorar ambientes.

A verônica é tida como uma das primeiras plantas medicinais que se tem notícia e passou a ser conhecida como a “erva dos leprosos”. Seu uso pode ser aplicado tanto interna como externamente.

Verônica

O que é verônica?

Verônica é uma planta de origem europeia, russa, cujo nome científico é Veronica officinalis.

É uma planta medicinal de caule rasteiro que pode chegar a medir até 40 cm de altura. A flor verônica pertence à família Scrophulabiaceae e suas flores são de cor azul claro e também conhecidas por serem amargas.

É uma erva que se desenvolve melhor em locais frios, por isso, de fácil produção na Europa, onde seu consumo se mantém popular especialmente na forma de chá ou em compressas.

História da flor verônica

A erva é conhecida há séculos e acredita-se que tenha sido usada muito pelos romanos para a aplicação de cura de ao menos quarenta doenças. Sua utilização como planta medicinal se deve às propriedades benéficas tanto para consumo humano quanto animal.

A flor verônica tem propriedades:

  • Adstringente;
  • Tonificante;
  • Diurética;
  • Digestiva;
  • Aperitiva;
  • Béquica;
  • Depurante;
  • Expectorante;
  • Laxante;
  • Sedativa;
  • Antimicrobiana;
  • Expectorante;
  • Antitussígena.

Diz a lenda que se tornou famosa como a erva dos leprosos por supostamente ter curado um rei da França desse mal. Não há indícios concretos, à luz da ciência, de que a flor verônica seja capaz de promover tal cura, mas é inegável que proporciona diversos benefícios para o tratamento de outras moléstias e que colabora para a hidratação da pele.

A erva originária da Europa logo se tornou popular nos países de clima frio da Ásia e América do Norte, conforme o avançar do processo colonizador dessas regiões.

A flor verônica conta com uma enorme variedade de espécies, como verônica madeira, verônica grande, verônica cinza, entre outras.

O tipo que é usado para fins medicinais é a Veronica officinalis, pois as variantes citadas têm utilização mais recorrente para fins decorativos.

Verônica

Os benefícios da verônica

Como explicitado, a planta tem qualidades medicinais inestimáveis, sendo útil para o tratamento de diversas doenças.

A erva é usada para tratamento de problemas digestivos, falta de apetite, sensação de peso no estômago, enxaqueca provocada por má digestão e também para suavizar pele ressecada principalmente pelo frio.

A planta medicinal também é popular para cuidar de casos como:

  • Artrite;
  • Reumatismo;
  • Bronquite;
  • Rouquidão;
  • Eczemas;
  • Hemorroidas;
  • Alergias;
  • Asma;
  • Pruridos;
  • Infecção de urina.

Contudo, necessita-se avaliar cada caso para se decidir a melhor forma de aplicação da flor: infusão de folhas ou compressas.

O chá da planta pode ser encontrado em lojas de produtos naturais ou em farmácias de manipulação.

O chá de verônica

O preparo do chá de verônica é simples. Precisa-se apenas reunir de trinta a quarenta gramas das folhas e do caule da erva.

Essa porção deve ser misturada a um litro de água. A água deve está fervida antes do despejo das folhas. Contudo, as folhas devem ser adicionadas em pequenos pedaços.

Deixe a infusão ocorrer por pelo menos dez minutos. Aguarde a infusão ficar morna para poder consumir e, em seguida, coe antes de beber.

Recomenda-se a ingestão de três a quatro xícaras por dia. Os melhores horários são os que antecedem as principais refeições e o horário de dormir.

Outra dica importante é não acrescentar açúcar na infusão de folhas, pois o item é capaz de prejudicar a ação de algumas substâncias da flor. É um detalhe importante, pois a erva é conhecida por ser amarga, portanto, coragem e resistência são fundamentais!

A compressa de verônica

Outro modo que a verônica é bastante utilizada é na forma de compressa. E o preparo é idêntico ao do chá, mas diferencia-se na aplicação.

Reúna de trinta a quarenta gramas de folhas e caule. Adicione a porção em um litro de água fervente. Espere amornar e depois aplique na região afetada com um pano limpo.

Flor-não-me-esqueças

A verônica não é conhecida apenas por esse nome. Como conta com enorme variedade de tipos, recebe denominações diferentes conforme a localidade. Um de seus nomes populares é miosótis, mas principalmente flor-não-me-esqueças.

Naturalmente esse nome inusitado é a causa de sua popularidade, pois costuma despertar interesse quanto a sua origem, além de ter inegável toque romântico.

O nome procede de uma lenda europeia.

Diz-se que, em uma tarde de primavera, dois jovens enamorados se encontraram à margem de um rio. Nas águas desse rio, a jovem avistou uma belíssima flor flutuando nas correntezas das águas turbulentas.

Percebendo que a jovem ficou maravilhada pela beleza da flor, o enamorado, um cavaleiro, se dispôs a pegar a flor mergulhando nas águas. No entanto, com o peso de sua armadura, não conseguiu resistir a força da correnteza.

A lenda diz que o cavaleiro, antes de se tragado de todo pela violência implacável do rio, gritou para a amada: “Me ame para sempre. Não me esqueças!”.

Desde então, a verônica também passou a ser conhecida como flor-não-me-esqueças.

Verônica

O mercado de plantas medicinais no Brasil

Claro que não é só a flor verônica que é lembrada, plantada, cultivada e comercializada quando o assunto é tratar de determinadas enfermidades. Há grande diversidade de plantas medicinais que movimentam bastante o mercado, não só nacional como mundial.

Muito do uso dessas plantas vem de tradições milenares iniciadas com tribos indígenas, tribos que passaram seus conhecimentos sobre os poderes medicinais das ervas de geração para geração.

A comprovação da ciência de que muitas das soluções caseiras têm realmente capacidades curativas só reforçou essa cultura. Essa cultura se intensifica em contexto de saúde pública falimentar como o nosso. Embora, é claro, sempre seja recomendável consultar um médico antes de aderir irrestritamente a qualquer tratamento com plantas medicinais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população mundial faz uso de medicamentos derivados de plantas medicinais. No Brasil, esse número é ainda mais acachapante, pois os estudos mostram que mais de 90% da população já fez uso de alguma planta medicinal.

A procura por remédios naturais a base de flores como a verônica no Sistema Público de Saúde (SUS) teve aumento de mais de 160% em dois anos, segundo dados do Ministério da Saúde (MS) divulgados em 2016.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo