Alfafa e os benefícios por trás das suas possibilidades de uso

Inicio » Agricultura » Alfafa e os benefícios por trás das suas possibilidades de uso
28/05/2019 Por
Alfafa e os benefícios por trás das suas possibilidades de uso

Entenda o poder da alfafa nas dietas

A alfafa é uma leguminosa presente tanto na alimentação dos seres humanos quanto dos animais herbívoros. Sendo encontrada principalmente em climas secos e temperados, ela se desenvolve mais quando o manejo é realizado adequadamente.

A alfafa é utilizada como planta medicinal e como alimento. Isso se deve ao fato de possuir diversos benefícios e ser rica em nutrientes que ajudam no bom funcionamento do organismo. Além disso, seu consumo ajuda a combater diversas doenças e a prevenir algumas dores.

Broto de alfafa

O que é alfafa?

Alfafa é uma leguminosa de cultura perene que pertence à família Fabaceae e a subfamília Faboideae. Ela é utilizada como alimentos para mamíferos herbívoros em regiões que têm o clima seco e temperado. O nome em árabe tem o significado de “o melhor alimento”. É também chamada de luzerna.

Os principais produtores mundiais de alfafa são:

  • Canadá;
  • Estados Unidos;
  • Itália;
  • Rússia.

Origem da alfafa

Alguns estudiosos e pesquisadores acreditam que a alfafa se originou na região da Pérsia e foi se espalhando por toda a Europa, inicialmente pela Grécia, através da invasão persa em aproximadamente 490 a.C. Ou seja, sua origem é do centro-sul da Ásia. Acredita-se que os persas invadiram como forragem para gado e cavalos do exército.

Ecologia da alfafa

A alfafa costuma viver de quatro a oito anos. No entanto, dependendo da variedade e do clima, algumas conseguem viver mais de 20 anos. Essa planta pode crescer aproximadamente até um metro. Seu sistema radicular é profundo, maior que o alongamento, que tem 15 metros. Sendo assim, isso faz dela um planta resistente, principalmente às secas.

Ela é muito nutritiva e tem importantes qualidade como forrageira.

  • Proteína bruta: de 22 a 25%;
  • Cálcio: 1,6%;
  • Fósforo: 0,26%;
  • NDT (Nutrientes Digestivéis Totais): 60%.

Neste último, os níveis são muito elevados, maiores do que outras fontes de alimentos consumidos frequentemente, como, por exemplo, a cana-de-açúcar, o capim-elefante e o milho. Isso acontece porque esta planta compreende bactérias simbióticas, pequenos nódulos que “prendem” o nitrogênio do ar no solo.

Há autotoxidade presente nele. Sendo assim, isso significa que é muito difícil que outras sementes de alfafa cresçam em locais onde outras alfafas já existem. Desse modo, se recomenda que os campos de alfafa tenha rotação de culturas com outras espécies, como, por exemplo, o trigo ou o milho, antes da replantio.

Características da alfafa

As alfafas têm alta fertilidade no solo, e sua forma de crescimento é herbácea. A altura pode atingir uma média de 35 a 70 centímetros. Geralmente são utilizadas para pastejo e feno. A digestibilidade e a palatabilidade são excelentes. A precipitação pluviométrica é acima de 800 milímetros anuais. Tem média tolerância à seca e alta tolerância ou frio.

O teor de proteína na matéria seca varia de 15 a 20%. Já a profundidade de plantio é de um a dois centímetros. Seu ciclo vegetativo é perene. A produção de forragem é de 14 a 24 toneladas MS/ha/ano e a fixação de nitrogênio é de 127 a 333 quilos N/ha/ano.

A cultura de perene precisa de muitos tratos culturais, como, por exemplo, adubação, controle de ervas daninhas, pH elevado e correção do solo. Faz-se necessário um solo bem profundo e com ótima drenagem.

Plantio de alfafa

Plantio de alfafa

No plantio de alfafao espaçamento entre as plantas deve ser de 15 a 30 cm, com densidade de 20 kg/ha de semente. Sendo assim, cerca de 140 a 150 planta por cada metro linear. A melhor época para realizar sua semeadura é no outono, entre os meses de maio a agosto.

O Paraná é a maior região produtora de feno da alfafa, mais precisamente sua região norte. Grande parte dos alfafais são plantados a lanço, isso pois a produtividade da planta tem de ser maior e melhor se tiver uma distribuição propícia. No entanto, é recomendável que seja feito em solos com menor incidência de ervas daninhas.

  • Plantio manual: é necessário calcular as sementes por área, se a recomendação de sementes for de 20 kg/ha (10000 m²) faz necessário preparar um lote de 100 m² e semear 200 gramas de sementes. Antes de tudo é importante verificar a distribuição das sementes.
  • Semeadura mecânica: realizada por meio de equipamentos de distribuição de calcário ou adubos. Eles devem ser postos ao sistema hidráulico dos tratores. É necessário fazer aluma mistura com material inerte, por exemplo, a areia, optando por produtos que têm densidade parecida com as sementes e que possa ser utilizado com calcário. Isso porque a regulagem mínima dessas máquinas não costumam chegar a 20 kg/ha.
  • Plantio em linha: realizada com o espaçamento adequado de 20 a 30 centímetros conforme a capina manual que vai ser utilizada. Assim, se usa cerca de 150 a 200 sementes por metro linear.

Manejo da alfafa

O manejo correto da alfafa faz com que sua persistência seja duradoura. Ela deve ser cortada quando a área florescida tiver cerca de 50%. O primeiro corte deve ser de 8 a 10 centímetros, ou seja, aproximadamente 90 a 120 dias após sua germinação. Isso possibilita melhor desenvolvimento de seu sistema radicular, resultando na maior absorção dos nutrientes, resistência à seca e maior produção de matéria seca.

Durante o inverno a alfafa não se desenvolve muito. Por isso, deve ser cortada quando a brotação for maior que cinco centímetros. Os cortes devem ter um período de descanso de 35 a 42 dias.

Para que serve a alfafa?

A alfafa é considerada tanto um alimento quanto uma planta medicinal. Ou seja, pode ser usada para compor a alimentação diária balanceada e para ajudar a combater alguns tipos de dores e possíveis doenças. Ela é rica em proteínas, sais minerais e vitaminas que contribuem para um estilo de vida mais saudável.

Alfafa na alimentação

Sendo assim, ela pode ser utilizada para:

  • Auxiliar no tratamento de estresse e ansiedade;
  • Combater à má digestão e a prisão de ventre;
  • Diminuir a retenção de líquidos;
  • Favorecer a eliminação de microrganismos;
  • Combater a anemia;
  • Regular os níveis de colesterol no sangue;
  • Promover um detox ao organismo.

Uma de suas formas de utilização é o chá de alfafa. Utiliza-se cerca de 20 mg de folhas secas e raiz em 500 mil de água fervente. Deixe descansar por cinco minutos, coe e beba até três vezes ao dia.

Benefícios da alfafa

A alfafa é rica em nutrientes, como a vitamina A, C, D, E, K e vitaminas do complexo B. Elas ajudam a aumentar a resistência do sistema imunológico e protege o organismo contra outras possíveis doenças, além de eliminar o cansaço. É também rica em potássio, cálcio e ferro, essenciais na dieta e fundamentais para o bom funcionamento do organismo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo