Aterro sanitário precisa de leis e normas rigorosas para funcionar

Inicio » Meio Ambiente » Aterro sanitário precisa de leis e normas rigorosas para funcionar
30/10/2019 Por
Aterro sanitário precisa de leis e normas rigorosas para funcionar

Cedendo lugar aos antigos lixões, o Governo criou leis para o aterro sanitário ser a saída consciente para descartes responsáveis

Há pouco tempo, o aterro sanitário era usado como solução principal para o descarte final de qualquer resíduo visando o fim de lixões. Dessa forma, por aqui, com as leis vigentes, o prazo de acabar com esses lixões terminou. Resíduos sólidos são prejudiciais ao meio ambiente.

Em outras palavras, essa ação sobre aterro sanitário ficou consolidada como um grande objetivo em relação à responsabilidade dividida pelas gestões referentes aos resíduos sólidos. Nessa área, temos ações como a redução, geração, reciclagem, tratamento e reutilização deles.

Aterro sanitário

O que é aterro sanitário?

Aterro sanitário é todo local onde possam ser descartados resíduos de cidadãos. Essa implementação visa diminuir impactos de lixo no mundo, ainda mais se eles puderem contaminar água, ar e até solo.

Em geral, todo aterro sanitário é uma forma destinada a adequar todos os resíduos comuns. Contudo, sua construção precisa obedecer a critérios para melhor função desses resíduos. Ou seja, cada rotina precisa ser avaliada para evitar a poluição do nosso planeta.

Estrutura e sistema de aterros sanitários

Como uma simples definição, aterros sanitários têm suas bases em extensões de terra longe dos centros urbanos. Assim, eles podem ser cercados de locais e áreas verdes e vegetação nativa.

Como exemplo, podemos citar a cidade de São Paulo. Neste caso, para evitar despejos ilegais, exige-se que cada aterro sanitário tenha cerca de pelo menos de sessenta metros dessa vegetação nativa.

Para criar um aterro, primeiro é preciso fazer uma vala de no mínimo dois metros distante de possíveis lençóis freáticos. A seguir, é inserida uma camada de pequenas pedras e uma manta específica, para passar gases e líquidos oriundos do lixo.

Além do mais, precisam ser instalados tubos e calhas de concreto para esses gases. Com isso, eles podem ser liberados na atmosfera ou até recolhidos.

Entretanto, vale ressaltar que qualquer aterro sanitário apresenta uma quantidade máxima adequada de resíduos. Afinal, após um certo período, ele precisa ser fechado.

Isso porque as fontes de energia que utilizam matéria orgânica também andam ganhando cada vez mais espaço na questão do descarte de lixo.

Aterro sanitário

Vantagens do aterro sanitário

Embora sejam controversas, as vantagens do aterro sanitário ainda apresentam sua utilidade frente seus prejuízos ao meio ambiente. Elas dependem de muita Educação Ambiental, assim como ações dos governantes e da população para colocar tudo em prática.

Confira abaixo como essa matemática pode funcionar. Essas vantagens do aterro sanitário podem apresentar impactos tanto a médio quanto a longo prazo.

  • Reduz a soltura de metano na atmosfera;
  • Ameniza impactos ambientais;
  • Gera energia para motores a gás;
  • Converte gases visando energias renováveis.

As desvantagens do aterro sanitário

Se as vantagens são benéficas a todos, aprender a recuperar áreas já danificadas é uma missão para todo o planeta. Então, confira abaixo as maiores desvantagens do aterro sanitário:

  • Alto valor para manutenção e implantação;
  • Grande impacto ambiental como poluição do local, vazamentos, contaminação de lençóis freáticos e riscos à vida animal;
  • Sua construção exige largas áreas de terra;
  • Atrai moscas e ratos, assim como a transmissão de doenças;
  • Possui um limite para a quantidade de lixo.

Diferença entre aterro sanitário e lixão

Neste ponto, entender a diferenças entre aterro sanitário e lixão pode deixar uma série de dúvidas e levantar outras muitas questões.

Em primeiro lugar, um lixão é todo espaço aberto usado para despejo de lixo sem um sistema adequado para seu tratamento. Assim, como grande problema, ele ajuda na proliferação de moscas, insetos, escorpiões, baratas e ratos, transmitindo graves doenças.

Além disso, o lixão ainda traz poluição do ar, mau cheiro e até a contaminação dos lençóis freáticos e do solo. Enfim, esse acúmulo nos lixões ainda pode causar enchentes nos grandes centros urbanos.

Por outro lado, o aterro sanitário é o espaço próprio para esse despejo. Nele, todo resíduo passa por tratamentos, sendo cobertos para evitar incêndios, proliferação de doenças e fortes odores.

Apesar de tudo, um aterro sanitário pode gerar problemas ambientais mesmo que seja uma saída sustentável em relação ao lixão. Para isso, podem até existir sistemas mais avançados para captar gases e chorume como os aterros controlados.

Aterro sanitário

Aprenda como funciona um aterro sanitário

Agora é hora de você entender como funciona um aterro sanitário.

Para começar, um aterro é um serviço de engenharia para tratar a decomposição de resíduos da melhor forma possível. Assim, seu funcionamento tem as seguintes instruções:

  • Cada aterro precisa ser monitorado diariamente;
  • Ela precisa ter camadas impermeáveis por cima de solo compactado, para evitar vazamentos e contaminação;
  • Toda a base do aterro sanitário é formada por sistemas de drenagem;
  • Cada resíduo é coberto por argila e sistemas de drenagem pluviais, evitando infiltrações no interior;
  • No interior, é preciso ter sistemas de drenagem para os gases, ajudando na coleta de biogás para a atmosfera, aproveitado para novas fontes de energia;
  • Cada aterro sanitário precisa ter uma balança para controlar a quantidade de lixo que entra;
  • Sua presença precisa estar a pelo menos duzentos metros dos cursos de água;
  • O limite dele precisa ser cercado para impedir a entrada de animais e pessoas estranhas;
  • Há necessidade de uma guarita;
  • Presença de um prédio administrativo;
  • Uma oficina geral.

Invista em reciclagem e coleta seletiva

Tanto a coleta seletiva quanto a reciclagem podem ser alternativas seguras para garantir um destino seguro de qualquer resíduo produzido.

Aí que entra a atividade da separação de resíduos em tipos de lixo. Afinal, para cada tipo de resíduo existe uma área específica, com separação pelas cores abaixo:

  • Azul para papelões e papéis;
  • Verde para vidros;
  • Vermelho para plásticos;
  • Amarelo para metais;
  • Marrom para resíduos orgânicos;
  • Preto para madeiras;
  • Cinza para materiais não-reciclados;
  • Branco para lixos hospitalares;
  • Laranja para resíduos perigosos;
  • Roxo para resíduos radioativos.

Depois de feita essa separação, os materiais são reciclados e até reaproveitados para a produção de novos. Em suma, uma coleta seletiva consiste na separação de materiais, assim como sua reciclagem. Assim como em um aterro sanitário, cada processo de cuidado com os resíduos contribui para diminuir o lixo no meio ambiente.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo