Brucelose é uma infecção transmitida de animais para seres humanos

Inicio » Veterinária » Brucelose é uma infecção transmitida de animais para seres humanos
20/09/2020 Por
Brucelose é uma infecção transmitida de animais para seres humanos

A brucelose pode ser transmitida de animais para pessoas por produtos lácteos que não são tratados. Essa é uma doença infecciosa, causada por bactérias e está entre uma das infecções alimentares. O diagnóstico da brucelose deve ser feito por médico e pode ser tratado com o auxílio de remédios.

Apesar de ser possível ter a ocorrência da doença, a brucelose é muito rara. Ocorrem menos de 15 mil casos por ano em todo o Brasil, e para diminuir as estatísticas é recomendado que as pessoas evitem o consumo de bebidas lácteas não pasteurizadas.

Brucelose

O que é brucelose?

Brucelose é o nome da doença infecciosa causada por bactérias do gênero Brucella sp. Para entender o que é brucelose, saiba que a bactéria pode estar presente em produtos de origem bovina, caprina, ovinos e suínos. Quando o animal é seu portador, as fêmeas podem abortar os seus filhotes sem motivo aparente.

Essa doença infecciosa também é conhecida por Febre Malta, ou ainda Febre de Gibaltar, e pode ser causada por diferentes tipos de bactérias pertencentes ao gênero Brucella:

  • Brucella abortus;
  • Suis;
  • Melitensis;
  • Brucella canis (brucelose em cães).

O que é brucelose bovina?

Sintomas da brucelose em bovinos podem incluir frequente aborto infeccioso em vacas durante o terço final da gestação ou ainda orquite em machos.

Ainda há uma grande incidência da doença nos rebanhos brasileiros, tanto no gado de corte quanto no gado leiteiro, devendo o criador ficar atento aos sintomas da brucelose bovina.

Sintomas da brucelose em humanos

Quando a pessoa entra em contato com animais contaminados ou, ainda, ingere alimentos de origem animal como o leite que não sofreu o processo de pasteurização, ocorre a transmissão da brucelose.

Sabemos que as glândulas mamárias das vacas podem liberar durante o processo de extração do leite algumas bactérias e até mesmo células sanguíneas, por isso, o leite deve ser pasteurizado, processo de esterilização, a fim de tornar o consumo seguro.

A pessoa contaminada com a doença pode demorar a obter um diagnóstico, contudo, apesar da dificuldade de diagnosticar, ela é uma doença que chama a atenção de profissionais da saúde em todo o mundo.

Os sintomas da brucelose humana consistem em febre, mal-estar, sudorese, calafrios, fraqueza e cansaço.

Além disso, a doença pode causar perda de peso e dores de cabeça, nas articulações, musculares e no abdômen. É uma doença de difícil identificação e por vezes é tratada conforme outras doenças de infecção alimentar, com o uso de antibióticos.

Durante a gravidez, a infecção por brucelose pode causar, assim como no gado, o aborto infeccioso do feto. Para evitar que surjam consequências mais graves, mulheres devem receber tratamento imediato e prioridade no atendimento.

Outros laticínios, como queijos e manteigas, podem conter a bactéria e resultar em uma infecção do mesmo modo que o consumo do leite que não foi esterilizado. Concomitante, o consumo da carne mal passada, quando contaminada, pode resultar na contração da infecção.

Brucelose

Índice de infecção por brucelose

Os índices de infecção de brucelose animal podem ser altos ainda no Brasil devido às condições precárias sanitárias em centros urbanos próximos a fazendas e criadouros de animais. As condições insalubres, em locais onde não há tratamento de esgoto, podem contaminar corpos hídricos e solo onde encontram-se os animais utilizados para a produção destes produtos.

A Agência de Vigilância Sanitária realiza a inspeção em criadouros e frigoríficos, verificando se estes cumprem as exigências sanitárias e de higiene necessárias para a produção e comercialização de carnes, bem como realiza a inspeção de cooperativas e indústria de laticínios. Estas devem se manter de acordo com a legislação vigente, a qual estabelece os processos de pasteurização e análises de contaminação destes produtos.

É importante que o gado receba tratamento, bem como os caprinos, ovinos e suínos, a fim de evitar que a infecção se espalhe entre o rebanho, e também acabe influenciando na saúde dos funcionários que têm de lidar diretamente com estes animais.

Entretanto, podem ser realizados tratamentos preventivos com antibióticos e vacina contra brucelose, para esta e outras doenças, sempre que recomendado pelo médico veterinário ou zootecnista, que são os técnicos responsáveis.

Por este motivo, são aceitáveis porcentagens de certas substâncias, como os subprodutos dos antibióticos no leite, quando realizadas as análises.

Tratamento e prevenção da brucelose

A brucelose deve ser diagnosticada por profissionais competentes e tratada com antibióticos, quando identificada ou houver a suspeita da infecção em humanos. No entanto, as medidas de prevenção da brucelose devem ser adotadas.

Essas medidas consistem no tratamento da doença e controle de sua incidência no gado, bem como a utilização de medicamentos e vacinas da brucelose. Deve-se evitar o uso de carnes mal cozidas, ou ainda beber leite logo após ser retirado da vaca, sem ao menos ter sido fervido.

Do mesmo modo, devem ser descartados os primeiros leites retirados das glândulas mamárias, os quais normalmente contêm maior quantidade de células sanguíneas e de pus das infecções que podem acometer os animais. Mediante a isso, é necessário que sejam realizadas as análises laboratoriais para identificação de patógenos e que estes possam ser tratados no rebanho.

Brucelose

Regras para criação de animais

Nessa perspectiva, a criação de gado para corte e gado leiteiro, bem como a criação de outros animais também com estes objetivos, deve seguir as regras previstas na legislação. As normas para criação destes animais dispõem sobre os riscos de infecção de doenças. Elas servem para orientar a respeito dos riscos de doenças como esta.

A recomendação é que as bezerras recebam vacina para brucelose até os seis meses de idade. A incidência da doença é maior em fêmeas em idade reprodutiva.

Portanto, é recomendado o consumo apenas de alimentos que fornecem segurança alimentar, como o leite industrializado, o qual obrigatoriamente deve ser submetido à pasteurização e também os seus derivados, passando por um controle de qualidade. Da mesma forma, o consumo de carnes vermelhas, principalmente por gestantes, deve ser feito a partir do cozimento adequado.

O contágio de funcionários que lidam diretamente com os animais também é possível e, para isso, eles devem receber adequada orientação. Essas medidas são importantes para evitar a contaminação de brucelose humana.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo