Carcará é uma ave de rapina que pode atingir até 60 centímetros

Inicio » Meio Ambiente » Carcará é uma ave de rapina que pode atingir até 60 centímetros
07/10/2020 Por
Carcará é uma ave de rapina que pode atingir até 60 centímetros

A carcará é uma ave grande de rapina que é um parente distante do falcão, sendo comumente encontrada em áreas semiabertas e abertas. Com regularidade, a ave faz o forrageio do solo, consistindo em um caçador do gênero oportunista, alimentando-se também de carcaças.

A carcará pode ser identificada por sua coroa negra, sua face avermelhada, bem como seu corpo que vai da cor branca a uma graduação amarronzada. Quando em movimento de voo, a ave de rapina exibe a ponta de suas asas como “dedos separados e abertos”, feito os urubus, caracterizando-se também pela protuberante cabeça.

Carcará

O que é carcará?

Carcará é uma espécie pertencente às aves de rapina, sendo um membro da família dos chamados falconídeos. A ave de rapina é também conhecida pelo nome de “carancho” em algumas regiões do Brasil.

Em questão de tamanho, a carcará pode medir aproximadamente sessenta centímetros de altura, com uma envergadura que atinge até os cento e vinte e três centímetros.

A habitação e ocorrência dessa ave de rapina acontecem no sul e no centro de todo o território sul-americano. Assim, em alguns locais de sua distribuição, ainda pode ser conhecida pelo nome de “gavião calçudo” e “gavião de queimada”.

Apesar do nome que leva, tecnicamente falando, a caracará não é taxonomicamente nem um gavião, nem uma águia.

Na verdade, essa ave possui um parentesco distante com os falcões. Assim, pode ser tanto avistada sozinha como em numerosos bandos ao redor de carniças e mamíferos.

Em suma, sua incidência ocorre em cerrados, campos abertos, bordas de matas e até mesmos nos grandes centros urbanos de metrópoles e cidades grandes.

Significado do nome carcará

O nome científico dado a essa ave de rapina significa caracará, que na língua tupi se trata de uma onomatopeia utilizada pelo povo indígena para se referir ao som que as aves da família dos Falconídeos emitem.

Além disso, o nome também deriva de “plancus”, em latim, ou plangos, que corresponde a águia. De modo traduzido, o nome da espécie significa “águia que emite um som de carácará“.

Carcará

Caracará

No ano de 1993, foi descoberto que as subfamílias Falconinae (falcões verdadeiros) e Polyborinae (caracaras) compartilham um ancestral comum, baseado em sequências do gene do Citocromo b. Este gênero está intimamente relacionado ao Phalcoboenus, com o qual foi anteriormente fundido.

De fato, a ave de rapina carcará parece um falcão com bico afiado e garras, enquanto, por outro lado, se comporta como um abutre. Na verdade, tecnicamente falando, a caracará consiste em um grande falcão tropical de cor em um degradê de preto e branco.

Em geral, a ave pode ser frequentemente avistada pousando em postes, arbustos e árvores ao longo de estradas ou outras áreas abertas. No campo, costuma voar baixo, sendo fácil de ser avistada por observadores. Geralmente é vista isoladamente ou em pares, embora as aves jovens possam formar bandos.

Além de a ave ter um voo baixo, com asas planas, ela também caminha rotineiramente pelo chão. Além disso, a ave carancho é o único falcão que coleta material para construir um ninho.

De fato, os demais falcões depositam seus ovos em um ninho antigo construído por outra espécie. Em segunda análise, criam seus ninhos “cavocando” o chão.

O mais antigo carancho a ser conhecido tinha pelo menos vinte e um anos e nove meses quando foi identificado, sendo uma ave de vida relativamente longa.

Em suma, a carcará habita terras agrícolas, pastagens, pântanos e florestas abertas, principalmente em planícies do leste do Brasil e do extremo sul do Peru. Além disso, a ave também chega até a Terra do Fogo e às Ilhas Falkland.

Hábitos alimentares do carancho

A ave de rapina carancho é um raptor ousado e oportunista. De fato, a ave carcará é frequentemente vista andando no chão à procura de comida. Em suma, a ave alimenta-se principalmente de carcaças de animais mortos.

No entanto, também rouba comida de outras aves de rapina, invade ninhos de pássaros e mata presas vivas se surgir a possibilidade (principalmente insetos ou outras presas pequenas, pelo menos até o tamanho de uma garça). Em última análise, a planta também pode comer ovos de tartaruga, frutas e uma variedade de matéria vegetal, incluindo amendoim, feijão e abacate.

Além disso, essa ave de rapina ataca e come cordeiros recém-nascidos. Procura por suas presas principalmente a pé, andando no chão como uma galinha e, ocasionalmente, pulando para atacar a vítima. É tipicamente solitária, como visto anteriormente, mas vários indivíduos podem se reunir em uma grande fonte de alimento (por exemplo, lixões) para dividir a comida.

Carcará

Aves de rapina

De fato, quando pensamos em pássaros, geralmente não pensamos em predadores ferozes. Afinal, os pássaros não têm dentes afiados ou os músculos brutos dos tigres e lobos. Não obstante, alguns pássaros são excelentes caçadores e, embora não sejam perigosos para os seres humanos, causam o mais extremo terror em animais menores.

Esse é o caso das aves de rapina, que incluem, além da carcará, águias, abutres, águias pesqueiras, falcões, corujas, urubus e outras aves que comem carne. À primeira vista, esses pássaros podem parecer apenas vilões da natureza. Como todos os predadores, porém, eles têm o trabalho de manter o planeta Terra e a natureza em equilíbrio. Afinal, eles se alimentam de ratos, insetos e outros animais que invadiriam a terra sem eles.

Sem dúvida, como todos sabemos, a maioria das aves de rapina é altamente inteligente. Além disso, as aves de rapina também são amplamente conhecidas por sua visão excelente. Muitas aves de rapina ainda podem fazer truques e manobras no ar que deslumbram os observadores.

Como mencionado, as aves de rapina são predadores, animais que caçam outros animais como ratos, outros roedores e insetos. Por isso, elas também são conhecidas como “raptoras”. Ou seja, um termo que vem da palavra latina “rapere”, que por sua vez significa “capturar”.

Parte disso se deve à já mencionada visão aguçada desses pássaros, o que, de fato, lhes permite ver suas presas com clareza e à distância. Além disso, aves de rapina como a carcará têm garras afiadas que as ajudam a pegar suas presas enquanto voam. Por último, mas não menos importante, seus bicos curvos permitem que elas se prendam à presa, para limpar o animal antes de comê-lo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo